1 João 3

Almeida Antiga - IBC

Os filhos de Deus
1 Vede que grande amor nos concedeu o Pai: de sermos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não conheceu a ele.
2 Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; pois o veremos como ele é.
3 E todo o que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo, assim como ele é puro.
4 Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei.
5 E sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado.
6 Todo aquele que permanece nele não peca; todo aquele que peca não o viu, nem o conheceu.
7 Filhinhos, ninguém vos engane; quem pratica a justiça é justo, assim como ele é justo.
8 Quem pratica o pecado é do Diabo; porque o Diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo.
9 Todo aquele que é nascido de Deus não comete pecado; porque sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus.
10 Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do Diabo: quem não pratica a justiça não é de Deus, nem o que não ama a seu irmão.
11 Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio, que nos amemos uns aos outros.
12 Não como Caim, que era do Maligno, e matou a seu irmão. E por que o matou? Porque as suas obras eram más, e as de seu irmão, justas.
13 Não vos admireis, meus irmãos, se o mundo vos odeia.
14 Sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama o irmão permanece na morte.
15 Todo o que odeia a seu irmão é assassino; e vós sabeis que nenhum assassino tem a vida eterna permanecendo nele.
16 # Nisto conhecemos o amor de Deus: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos.
17 Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitando, lhe fechar o seu coração, como permanece nele o amor de Deus?
18 Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obras e em verdade.
19 E nisto conhecemos que somos da verdade, e asseguraremos nosso coração diante dele.
20 Porque se nosso coração nos condena, Deus é maior que nosso coração, e sabe todas as coisas.
21 Amados, se nosso coração não nos condena, temos confiança para com Deus;
22 e qualquer coisa que pedimos, dele a recebemos, porque guardamos os seus mandamentos, e fazemos o que é agradável diante dele.
23 E o seu mandamento é este: que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e amemos uns aos outros, conforme o mandamento que nos deu.
24 Aquele que guarda os seus mandamentos permanece nele, e ele nele. E nisto conhecemos que ele permanece em nós: pelo Espírito que nos tem dado.

Referências Cruzadas

1 Jo 1:12; Jo 15:18; Jo 15:19; Jo 16:3; Jo 17:25
2 Is 56:5; Rm 8:15; Gl 3:26; Gl 4:6; 1Jo 5:1; Rm 8:18; 2Co 4:17; Rm 8:29; 1Co 15:49; Fp 3:21
3 1Jo 4:17
4 Rm 4:15; 1Jo 5:17
5 Mt 1:21; 1Jo 1:2; Is 53:5; Is 53:6; Is 53:11; 1Tm 1:15; Hb 1:3; Hb 9:26; 1Pe 2:24
6 1Jo 2:4; 1Jo 4:8; 3Jo 1:11
7 1Jo 2:26; Ez 18:5-9; Rm 2:13; 1Jo 2:29; Sl 119:172
8 Mt 13:38; Hb 3:15
9 1Jo 5:18; 1Pe 1:23
10 1Jo 2:29; 1Jo 4:8
11 1Jo 1:5; 1Jo 3:23
12 Gn 4:4; Gn 4:8; Jd 11
13 Jo 15:18; Jo 15:19; Jo 17:14; 2Tm 3:12
14 1Jo 2:10; 1Jo 2:9; 1Jo 2:11
15 Mt 5:21; Mt 5:22; 1Jo 4:20; Gl 5:21; Ap 21:8
16 Jo 3:16; Jo 15:13; Rm 5:8
17 Dt 15:7; 1Jo 4:20
18 Ez 33:31; Tg 2:15; Tg 2:16; 1Pe 1:22
19 Jo 18:37
20 1Co 4:4
21 Jó 22:26; Hb 10:22
22 Sl 34:15; Jo 8:29
23 Jo 6:29; 1Jo 3:11; 1Jo 2:8; 1Jo 2:10
24 Jo 14:23; Jo 17:21; Rm 8:9

1, 2 Ver Ellen G. White sobre Hb 2:14-18; Tg 1:25.
3 Padrão elevado. Os que vencem o mundo, a carne e o diabo, serão os agraciados que receberão o selo do Deus vivo. Aqueles cujas mãos não são limpas, cujo coração não é puro, não terá o selo do Deus vivo (TM 445.1).
3, 4 Ver Ellen G. White sobre 1Ts 4:3.
4 Ver Ellen G. White sobre Jo 14:15; Rm 3:31.
6 Andar como Cristo andou. Aqueles que andam como Cristo andou, que são pacientes, bondosos, amáveis, mansos e humildes de coração, que tomam o jugo de Cristo e levam os Seus fardos, que desejam alcançar as pessoas assim como Ele desejava – esses entrarão no gozo de seu Senhor. Com Cristo, verão o trabalho de Sua alma e ficarão satisfeitos. O Céu triunfará, pois os lugares vazios deixados ali pela queda de Satanás e seus anjos serão preenchidos pelos redimidos do Senhor (FV [MM 1959], 114).
Imitação de Cristo. Verdadeira religião é imitação de Cristo. Aqueles que seguem a Cristo negarão o eu, tomarão a cruz e andarão em Seus passos. Seguir a Cristo significa obediência a todos os Seus mandamentos. Não se pode dizer que um soldado segue seu comandante, se não segue ordens. Cristo é nosso modelo. Copiar Jesus, cheio de amor, ternura e compaixão exige que nos acheguemos a Ele diariamente. Oh, como Deus tem sido desonrado por Seus professos representantes! (Carta 31a, 1894)
15 Entre a pessoa e Jesus. Aqueles que vão sempre se aproximando mais do mundo, tornando-se mais e mais semelhantes a ele nos sentimentos, planos e ideias deixaram um espaço entre eles e o Salvado e Satanás se insinuou nesse espaço, de modo que a experiência deles se torna entretecida com planos reles, mundanos e egoístas (PC [MM 1965], 246).
Moeda sem valor no Céu. Assim como os amantes do mundo tornam a religião sub-serviente ao mundo, Deus requer que Seus adoradores subordinem o mundo à religião (CT [MM 2002], 237). Não se deve dar a primeira consideração às coisas do mundo que perecem com o uso; elas não são a áurea moeda do Céu. Deus não estampou nelas Sua imagem e inscrição (Ms 16, 1890).
18 Desvendando o anticristo. Aqueles que ficarem confusos em sua compreensão da Palavra, que deixarem de ver o significado do anticristo, certamente se colocarão do lado dele. Não há tempo agora para nos tornarmos semelhantes ao mundo. Daniel já está no seu quinhão [ver Dn 12:13] e em seu lugar. As profecias de Daniel e de João devem ser entendidas. Elas se interpretam mutuamente. Dão ao mundo verdades que todos devem compreender. Essas profecias devem ser testemunhas ao mundo. Por seu cumprimento nestes últimos dias, elas se explicarão a si mesmas.
O Senhor está prestes a punir o mundo por sua iniquidade. Está prestes a punir as corporações religiosas por sua rejeição da luz e da verdade que lhes têm sido comunicadas. Deve ser dada ao mundo a grande mensagem que combina a primeira, a segunda e a terceira mensagens angélicas. Essa deve ser a preocupação de nossa obra. Aqueles que verdadeira mente creem em Cristo se colocarão em aberta conformidade com a lei de Yahweh. O sábado é o sinal entre Deus e Seu povo; e devemos tornar visível nossa conformidade com a lei de Deus por nossa observância do sábado. Ele deverá ser o sinal que fará distinção entre o povo escolhido de Deus e o mundo (Ms 10, 1900).
Sociedade dividida em classes. Toda a sociedade está se dividindo em duas grandes classes: os obedientes e os desobedientes. Em que classe seremos achados?
Aqueles que guardam os mandamentos, que não vivem só de pão, mas de toda palavra que procede da boca de Deus, compõem a igreja do Deus vivo. Aqueles que escolhem seguir o anticristo são súditos do grande apóstata. Reunidos sob a bandeira de Satanás, eles transgridem a lei de Deus e levam outros a transgredi-la. Esforçam-se para formular as leis das nações de forma que os indivíduos mostrem sua lealdade aos governos terrestres pisando nas leis do reino de Deus.
Satanás está distraindo as mentes com assuntos insignificantes, para que as pessoas não vejam de maneira clara e distinta os assuntos de grande importância. O inimigo está planejando apanhar o mundo numa armadilha.
O chamado mundo cristão será o palco de grandes ações decisivas. Homens em autoridade promulgarão leis para controlar a consciência, seguindo o exemplo do papado. Babilônia fará que todas as nações bebam do vinho da ira da sua prostituição. Toda nação será envolvida [citado Ap 18:3-7 (Ms 24, 1891; ME3, 392).
O Céu do lado de Cristo. A determinação do anticristo de levar avante a rebelião que ele começou no Céu continuará a operar nos filhos da desobediência. Sua inveja e seu ódio contra os que obedecem ao quarto mandamento se tornarão cada vez mais intensos. Mas o povo de Deus não deve ocultar o seu estandarte. Eles não devem desprezar os mandamentos de Deus e, por amor à comodidade, acompanhar a multidão para fazer o mal (ME3, 401).
Quanto maior a influência do crente para o bem, sob o domínio do Espírito de Deus, tanto mais resolvido será o inimigo a manifestar inveja e ciúme contra ele por meio de perseguição religiosa. Todo o Céu está, porém, ao lado de Cristo, não do anticristo. Os que amam a Deus e estão dispostos a ser participantes com Cristo em Seus sofrimentos, serão honrados por Deus. O anticristo representa todos os que se exaltam contra a vontade e a obra de Deus; estes, no tempo designado, sentirão a ira dAquele que a Si mesmo Se deu para que eles não perecessem, mas tivessem a vida eterna. Todos os que perseverarem na obediência, os que não se venderem por dinheiro ou pela aprovação de homens, serão inscritos por Deus no livro da vida (ME3, 402).
Razão humana versus sabedoria divina. Muitos exaltam a razão humana, idolatram a sabedoria humana, e colocam a opinião de homens acima da sabedoria revelada de Deus. Isso dá margem para a atuação de Satanás, e o espírito do anticristo está muito mais difundido do que qualquer de nós imagina. […]
As máximas do mundo que não conhece a Deus têm sido introduzidas nas teorias da igreja. Aos olhos dos homens, a vã filosofia e o saber, como falsamente lhe chamam, são de muito mais valor do que a Palavra de Deus. Prevalece, em grande medida, o conceito de que o Mediador divino não é essencial para a salvação. As várias teorias promovidas pelos chamados sábios segundo o mundo com respeito à elevação do homem são objeto de mais crença e confiança do que a verdade de Deus ensinada por Cristo e Seus apóstolos (RH, 08.11.1892).
4 A única definição de pecado (Rm 3:20; ver Ellen G. White sobre Gl 3:24-26; Ef 2:14-16). “O pecado é a transgressão da lei.” Esta é a única definição de pecado. Sem a lei não pode haver transgressão. “Pela lei vem o pleno conhecimento do pecado” [Rm 3:20]. O padrão de justiça é sumamente amplo, proibindo tudo aquilo que é mau (Ms 27, 1899).
4, 5 O que é a justiça de Deus? A transgressão da lei de Deus em qualquer caso, por menor que seja, é pecado. E a não execução da penalidade estipulada para esse pecado seria um crime na administração divina. Deus é um juiz, o executor da justiça, e esta constitui a morada e o fundamento de Seu trono. Ele não pode colocar de lado Sua lei; Ele não pode passar por alto o mínimo item a fim de condescender com o pecado e perdoá-lo. A retidão, a justiça e a excelência moral da lei devem ser mantidas e vindicadas perante o universo celestial e os mundos não caídos (OPA [MM 1983], 373).
O que é a justiça de Deus? É a santidade de Deus em relação ao pecado. Cristo suportou os pecados do mundo em favor do ser humano para que o pecador pudesse ter outra chance, com todas as oportunidades e vantagens divinas que Deus proveu (Ms 145, 1897).
8 A simplicidade da piedade. João dá testemunho de Cristo, o outorgador da Palavra, dizendo: “Para isto Se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo.” Na linguagem mais simples, João nos apresenta a verdadeira piedade prática. Esta simplicidade não demonstra superficialismo, mas profundidade. João está falando a homens e mulheres reais, e o Espírito Santo o dirigiu para que escrevesse de tal forma que eles fossem colocados em contato com um Deus real e vivo. Ele nos mostra o que Deus está fazendo, e o que o homem precisa fazer para satisfazer às exigências de Deus. João não apresenta a verdade de maneira hesitante, mas decidida. Ele fala positivamente [citado 1Jo 1:1-7] (ST, 11/01/1899).