1 Samuel 16

Almeida Antiga - IBC

Deus manda Samuel ungir a Davi como rei
1 Então disse o Senhor a Samuel: Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche o teu vaso de azeite, e vem; enviar-te-ei a Jessé o belemita, porque dentre os seus filhos me tenho provido de um rei.
2 Disse, porém, Samuel: Como irei eu? Pois Saul o ouvirá e me matará. Então disse o Senhor: Leva contigo uma bezerra, e dize: Vim para oferecer sacrifício ao Senhor:
3 E convidarás a Jessé para o sacrifício, e eu te farei saber o que hás de fazer; e ungir-me-ás a quem eu te designar.
4 Fez, pois, Samuel o que dissera o Senhor, e veio a Belém; então os anciãos da cidade lhe saíram ao encontro, tremendo, e perguntaram: É de paz a tua vinda?
5 Respondeu ele: É de paz; vim oferecer sacrifício ao Senhor. Santificai-vos, e vinde comigo ao sacrifício. E santificou ele a Jessé e a seus filhos, e os convidou para o sacrifício.
6 E sucedeu que, entrando eles, viu a Eliabe, e disse: Certamente está perante o Senhor o seu ungido.
7 Mas o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque eu o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem olha para o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração.
8 Depois chamou Jessé a Abinadabe, e o fez passar diante de Samuel, o qual disse: Nem a este escolheu o Senhor.
9 Então Jessé fez passar a Samá; Samuel, porém, disse: Tampouco a este escolheu o Senhor.
10 Assim fez passar Jessé a sete de seus filhos diante de Samuel; porém Samuel disse a Jessé: O Senhor não escolheu a nenhum destes.
11 Disse mais Samuel a Jessé: São estes todos os teus filhos? Respondeu Jessé: Ainda falta o menor, que está apascentando as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Manda trazê-lo, porquanto não nos sentaremos até que ele venha aqui.
12 Jessé mandou buscá-lo e o fez entrar. Ora, ele era ruivo, de belos olhos e de gentil aspecto. Então disse o Senhor: Levanta-te, e unge-o, porque é este mesmo.
13 Então Samuel tomou o vaso de azeite, e o ungiu no meio de seus irmãos; e daquele dia em diante o Espírito do Senhor se apoderou de Davi. Depois Samuel se levantou, e foi para Ramá.

Saul é atormentado pelo espírito maligno

14 Ora, o Espírito do Senhor retirou-se de Saul, e o atormentava um espírito maligno da parte do Senhor.
15 Então os criados de Saul lhe disseram: Eis que agora um espírito maligno da parte de Deus te atormenta;
16 dize, pois, senhor nosso, a teus servos que estão na tua presença, que busquem um homem que saiba tocar harpa; e quando o espírito maligno da parte do Senhor vier sobre ti, ele tocara com a sua mão, e te sentirás melhor.
17 Então disse Saul aos seus servos: Buscai-me, pois, um homem que toque bem, e trazei-mo.
18 Respondeu um dos mancebos: Eis que tenho visto um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar bem, e é forte e destemido, homem de guerra, sisudo em palavras, e de gentil aspecto; e o Senhor é com ele.
19 Pelo que Saul enviou mensageiros a Jessé, dizendo: Envia-me Davi, teu filho, o que está com as ovelhas.
20 Jessé, pois, tomou um jumento carregado de pão, e um odre de vinho, e um cabrito, e os enviou a Saul pela mão de Davi, seu filho.
21 Assim Davi veio e se apresentou a Saul, que se agradou muito dele e o fez seu escudeiro.
22 Então Saul mandou dizer a Jessé: Deixa ficar Davi ao meu serviço, pois achou graça aos meus olhos.
23 E quando o espírito maligno da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito maligno se retirava dele.

Referências Cruzadas

1 1Sm 15:35; 1Sm 15:23; 1Sm 9:16; 2Rs 9:1; Sl 78:70; Sl 89:19; Sl 89:20; At 13:22; Mt 2:1
2 1Sm 9:12; 1Sm 20:29
3 Ex 4:15; 1Sm 9:16
4 1Sm 21:1; 1Rs 2:13; 2Rs 9:22
5 Ex 19:10; Ex 19:14
6 1Sm 17:13; 1Cr 27:18; 1Rs 12:26
7 Sl 147:10; Sl 147:11; Is 55:8; 2Co 10:7; 1Rs 8:39; 1Cr 28:9; Sl 7:9; Jr 11:20; Jr 17:10; Jr 20:12; At 1:24
8 1Sm 17:13
9 1Sm 17:13; 2Sm 13:3; 1Cr 2:13
11 1Sm 17:12; 2Sm 7:8; Sl 78:70
12 1Sm 17:42; 1Sm 9:17; Ct 1:16
13 1Sm 10:1; Sl 89:20; Nm 27:18; Jz 11:29; Jz 13:25; Jz 14:6; 1Sm 10:6; 1Sm 10:10; At 4:25
14 Jz 16:20; 1Sm 11:6; 1Sm 18:12; 1Sm 28:15; Sl 51:11; Jz 9:23; 1Sm 18:10; 1Sm 19:9
16 1Sm 16:21; 1Sm 16:22; Gn 41:46; 1Rs 10:8; 1Sm 16:23; 2Rs 3:15
18 1Sm 17:32; 1Sm 17:34; 1Sm 17:35; 1Sm 17:36; 1Sm 3:19; 1Sm 18:12; 1Sm 18:14
19 1Sm 16:11; 1Sm 17:15; 1Sm 17:34
20 1Sm 10:27; 1Sm 17:18; Gn 43:11; Pv 18:16
21 Gn 41:46; 1Rs 10:8; Pv 22:29
23 1Sm 16:14; 1Sm 16:16

7-13 Cristo edifica o caráter de Davi. Quando chamou Davi do aprisco de seu pai para ungi-lo rei de Israel, Deus viu nele alguém a quem poderia comunicar Seu Espírito. Davi era suscetível à influência do Espírito Santo, e o Senhor em Sua providência o treinou para Sua obra, preparando-o para executar Seus propósitos. Cristo foi o grande edificador de seu caráter (Ms 163, 1902).
11, 12. Deus escolheu e preparou Davi. Situada dez quilômetros ao sul de Jerusalém, “a cidade do grande Rei”, estava Belém, onde Davi nascera mais de mil anos antes de o menino Jesus ser colocado na manjedoura e ser adorado pelos magos do Oriente. Séculos antes do advento do Salvador ao mundo, Davi, no vigor da meninice, havia vigiado os rebanhos enquanto pastavam nos campos abertos de Belém. O simples menino-pastor cantava os cânticos que ele mesmo compunha, e a música de sua harpa era um doce acompanhamento à melodia de sua jovem voz. O Senhor havia escolhido Davi, e havia disposto sua vida de tal forma que ele pudesse ter uma oportunidade de treinar a voz e cultivar seu talento para a música e a poesia. O Senhor o estava preparando, em sua vida solitária com os rebanhos, para a obra que planejava confiar a ele no futuro (ST, 08/06/1888).