1 Samuel 25

Almeida Antiga - IBC

A morte de Samuel
1 Ora, faleceu Samuel; e todo o Israel se ajuntou e o pranteou; e o sepultaram na sua casa, em Ramá. E Davi se levantou e desceu ao deserto de Parã.
2 Havia um homem em Maom que tinha as suas possessões no Carmelo. Este homem era muito rico, pois tinha três mil ovelhas e mil Cabras e estava tosquiando as suas ovelhas no Carmelo.
3 Chamava-se o homem Nabal, e sua mulher chamava-se Abigail; era a mulher sensata e formosa; o homem porém, era duro, e maligno nas suas ações; e era da casa de Calebe.
4 Ouviu Davi no deserto que Nabal tosquiava as suas ovelhas,
5 e enviou-lhe dez mancebos, dizendo-lhes: Subi ao Carmelo, ide a Nabal e perguntai-lhe, em meu nome, como está.
6 Assim lhe direis: Paz seja contigo, e com a tua casa, e com tudo o que tens.
7 Agora, pois, tenho ouvido que tens tosquiadores. Ora, os pastores que tens acabam de estar conosco; agravo nenhum lhes fizemos, nem lhes desapareceu coisa alguma por todo o tempo que estiveram no Carmelo.
8 Pergunta-o aos teus mancebos, e eles to dirão. Que achem, portanto, os teus servos graça aos teus olhos, porque viemos em boa ocasião. Dá, pois, a teus servos e a Davi, teu filho, o que achares à mão.
9 Chegando, pois, os mancebos de Davi, falaram a Nabal todas aquelas palavras em nome de Davi, e se calaram.

Nabal recusa dar comida aos servos de Davi

10 Ao que Nabal respondeu aos servos de Davi, e disse: Quem é Davi, e quem o filho de Jessé? Muitos servos há que hoje fogem ao seu senhor.
11 Tomaria eu, pois, o meu pão, e a minha água, e a carne das minhas reses que degolei para os meus tosquiadores, e os daria a homens que não sei donde vêm?
12 Então os mancebos de Davi se puseram a caminho e, voltando, vieram anunciar-lhe todas estas palavras.
13 Pelo que disse Davi aos seus homens: Cada um cinja a sua espada. E cada um cingiu a sua espada, e Davi também cingiu a sua, e subiram após Davi cerca de quatrocentos homens, e duzentos ficaram com a bagagem.
14 Um dentre os mancebos, porém, o anunciou a Abigail, mulher de Nabal, dizendo: Eis que Davi enviou mensageiros desde o deserto a saudar o nosso amo; e ele os destratou.
15 Todavia, aqueles homens têm-nos sido muito bons, e nunca fomos agravados deles, e nada nos desapareceu por todo o tempo em que convivemos com eles quando estávamos no campo.
16 De muro em redor nos serviram, assim de dia como de noite, todos os dias que andamos com eles apascentando as ovelhas.
17 Considera, pois, agora e vê o que hás de fazer, porque o mal já está de todo determinado contra o nosso amo e contra toda a sua casa; e ele é tal filho de Belial, que não há quem lhe possa falar.

Abigail apazigua Davi

18 Então Abigail se apressou, e tomou duzentos pães, dois odres de vinho, cinco ovelhas assadas, cinco medidas de trigo tostado, cem cachos de passas, e duzentas pastas de figos secos, e os pôs sobre jumentos.
19 E disse aos seus mancebos: Ide adiante de mim; eis que vos seguirei de perto. Porém não o declarou a Nabal, seu marido.
20 E quando ela, montada num jumento, ia descendo pelo encoberto do monte, eis que Davi e os seus homens lhe vinham ao encontro; e ela se encontrou com eles.
21 Ora, Davi tinha dito: Na verdade que em vão tenho guardado tudo quanto este tem no deserto, de sorte que nada lhe faltou de tudo quanto lhe pertencia; e ele me pagou mal por bem.
22 Assim faça Deus a Davi, e outro tanto, se eu deixar até o amanhecer, de tudo o que pertence a Nabal, um só varão.
23 Vendo, pois, Abigail a Davi, apressou-se, desceu do jumento e prostrou-se sobre o seu rosto diante de Davi, inclinando-se à terra,
24 e, prostrada a seus pés, lhe disse: Ah, senhor meu, minha seja a iniquidade! Deixa a tua serva falar aos teus ouvidos, e ouve as palavras da tua serva.
25 Rogo-te, meu senhor, que não faças caso deste homem de Belial, a saber, Nabal; porque tal é ele qual é o seu nome. Nabal é o seu nome, e a loucura está com ele; mas eu, tua serva, não vi os mancebos de meu senhor, que enviaste.
26 Agora, pois, meu senhor, vive o Senhor, e vive a tua alma, porquanto o Senhor te impediu de derramares sangue, e de te vingares com a tua própria mão, sejam agora como Nabal os teus inimigos e os que procuram fazer o mal contra o meu senhor.
27 Aceita agora este presente que a tua serva trouxe a meu senhor; seja ele dado aos mancebos que seguem ao meu senhor.
28 Perdoa, pois, a transgressão da tua serva; porque certamente fará o Senhor casa firme a meu senhor, pois meu senhor guerreia as guerras do Senhor; e não se achará mal em ti por todos os teus dias.
29 Se alguém se levantar para te perseguir, e para buscar a tua vida, então a vida de meu senhor será atada no feixe dos que vivem com o Senhor teu Deus; porém a vida de teus inimigos ele arrojará ao longe, como do côncavo de uma funda.
30 Quando o Senhor tiver feito para com o meu senhor conforme todo o bem que já tem dito de ti, e te houver estabelecido por príncipe sobre Israel,
31 então, meu senhor, não terás no coração esta tristeza nem este remorso de teres derramado sangue sem causa, ou de haver-se vingado o meu senhor a si mesmo. E quando o Senhor fizer bem a meu senhor, lembra-te então da tua serva.
32 Ao que Davi disse a Abigail: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, que hoje te enviou ao meu encontro!
33 E bendito seja o teu conselho, e bendita sejas tu, que hoje me impediste de derramar sangue, e de vingar-me pela minha própria mão!
34 Pois, na verdade, vive o Senhor Deus de Israel que me impediu de te fazer mal, que se tu não te apressaras e não me vieras ao encontro, não teria ficado a Nabal até a luz da manhã nem mesmo um menino.
35 Então Davi aceitou da mão dela o que lhe tinha trazido, e lhe disse: Sobe em paz à tua casa; vê que dei ouvidos à tua voz, e aceitei a tua face.
36 Ora, quando Abigail voltou para Nabal, eis que ele fazia em sua casa um banquete, como banquete de rei; e o coração de Nabal estava alegre, pois ele estava muito embriagado; pelo que ela não lhe deu a entender nada daquilo, nem pouco nem muito, até a luz da manhã.
37 Sucedeu, pois, que, pela manhã, estando Nabal já livre do vinho, sua mulher lhe contou essas coisas; de modo que o seu coração desfaleceu, e ele ficou como uma pedra.
38 Passados uns dez dias, o Senhor feriu a Nabal, e ele morreu.
39 Quando Davi ouviu que Nabal morrera, disse: Bendito seja o Senhor, que me vingou da afronta que recebi de Nabal, e deteve do mal a seu servo, fazendo cair a maldade de Nabal sobre a sua cabeça. Depois mandou Davi falar a Abigail, para tomá-la por mulher.
40 Vindo, pois, os servos de Davi a Abigail, no Carmelo, lhe falaram, dizendo: Davi nos mandou a ti, para te tomarmos por sua mulher.
41 Ao que ela se levantou, e se inclinou com o rosto em terra, e disse: Eis que a tua serva servirá de criada para lavar os pés dos servos de meu senhor.
42 Então Abigail se apressou e, levantando-se, montou num jumento, e levando as cinco moças que lhe assistiam, seguiu os mensageiros de Davi, que a recebeu por mulher.
43 Davi tomou também a Ainoã de Jezreel; e ambas foram suas mulheres.
44 Pois Saul tinha dado sua filha Mical, mulher de Davi, a Palti, filho de Laís, o qual era de Galim.

Referências Cruzadas

1 1Sm 28:3; Nm 20:29; Dt 34:8; Gn 21:21; Sl 120:5
2 1Sm 23:24; Js 15:55
4 Gn 38:13; 2Sm 13:23
5 1Sm 17:22
6 1Cr 12:18; Sl 122:7; Lc 10:5
7 1Sm 25:15; 1Sm 25:21
8 Ne 8:10; Et 9:19
10 Jz 9:28; Sl 73:7; Sl 73:8; Sl 123:3; Sl 123:4
11 Jz 8:6
13 1Sm 30:24
15 1Sm 25:7
16 Ex 14:22; Jó 1:10
17 1Sm 20:7; Dt 13:13; Jz 19:22
18 Gn 32:13; Pv 18:16; Pv 21:14
19 Gn 32:16; Gn 32:20
21 Sl 109:5; Pv 17:13
22 Rt 1:17; 1Sm 3:17; 1Sm 20:13; 1Sm 20:16; 1Sm 25:34; 1Rs 14:10; 1Rs 21:21; 2Rs 9:8
23 Js 15:18; Jz 1:14
26 2Rs 2:2; 1Sm 25:33; Gn 20:6; Rm 12:19; 2Sm 18:32
27 Gn 33:11; 1Sm 30:26; 2Rs 5:15; 1Sm 25:42; Jz 4:10
28 2Sm 7:11; 2Sm 7:27; 1Rs 9:5; 1Cr 17:10; 1Cr 17:25; 1Sm 18:17; 1Sm 24:11
29 Jr 10:18
31 Pv 31:26
32 Gn 24:27; Ex 18:10; Sl 41:13; Sl 72:18; Lc 1:68
33 1Sm 25:26
34 1Sm 25:26; 1Sm 25:22
35 1Sm 20:42; 2Sm 15:9; 2Rs 5:19; Lc 7:50; Lc 8:48; Gn 19:21
36 2Sm 13:23
39 1Sm 25:32; Pv 22:23; 1Sm 25:26; 1Sm 25:34; 1Rs 2:44; Sl 7:16
41 Rt 2:10; Rt 2:13; Pv 15:33
42 1Sm 25:27
43 Js 15:56; 1Sm 27:3; 1Sm 30:5
44 2Sm 3:14; 2Sm 3:15; Is 10:30

Errata

12 + 2 =

1 Compôs o salmo 120 e 121 nesta ocasião. Enquanto a atenção de Saul estava ocupada em lamentação pela morte de Samuel, Davi aproveitou o ensejo para procurar um lugar de maior segurança; assim, fugiu para o deserto de Parã. Foi ali que compôs os salmos cento e vinte e cento e vinte e um. Naquelas desoladas regiões incultas, compenetrado de que o profeta era morto, e que o rei era seu inimigo, cantou… (PP 491.3).

Relacionamento entre jovens e idosos. A vida de Samuel desde a meninice tinha sido uma vida de piedade e devoção. Ele havia sido deixado sob o cuidado de Eli em sua juventude, e a bondade do seu caráter conquistou a afeição do idoso sacerdote. Ele era bondoso, generoso, diligente, obediente e respeitoso. O contraste entre a conduta do jovem Samuel e a dos próprios filhos do sacerdote era muito marcante, e Eli encontrava refrigério, conforto e bênção com a presença de seu tutelado. Era coisa singular que entre Eli, o supremo juiz da nação, e aquela simples criança pudesse existir tão cálida amizade. Samuel era prestativo e afetuoso, e nenhum pai jamais amou mais ternamente a um filho do que Eli a este jovem. Ao sobrevirem a Eli as aflições da idade, Ele sentiu de maneira mais aguda o comportamento desalentador, condenável e indigno de seus filhos, e buscou em Samuel o conforto e apoio.
Quão tocante é ver jovens e velhos sentindo mútua dependência, o jovem buscando do idoso conselho e sabedoria, o idoso procurando no jovem ajuda e simpatia. Assim é que devia ser sempre. Deus gostaria que os jovens possuíssem qualificações tais de caráter que encontrassem prazer na presença amiga dos idosos, de modo que se unissem por ternos laços de afeição àqueles que estão se aproximando da sepultura (VF [MM, 71], 145; ST, 19/10/1888).
10, 11 O lucro era o deus de Nabal. Nabal não se preocupava em gastar uma quantidade extravagante de sua riqueza para condescender consigo mesmo e glorificar-se; mas parecia-lhe demasiado penoso conceder uma compensação que nem chegaria a sentir falta aos homens que tinham sido como um muro para suas ovelhas e rebanhos. Nabal era como o homem rico da parábola. Ele tinha um só pensamento: usar os dons de Deus para satisfazer a seus apetites egoístas e animalescos. Não possuía um só pensamento de gratidão para com o Doador. Não era rico para com Deus, pois os tesouros eternos não tinham qualquer atrativo para ele. A vida presente de luxo, de lucro, era a única coisa que absorvia o seu pensamento. Isto era o seu deus (VF [MM, 71], 170; ST, 26/10/1888).
18-31 Um contraste de caráter. No caráter de Abigail, esposa de Nabal, temos uma ilustração de feminilidade de acordo com Cristo, ao passo que seu marido ilustra o que um homem pode tornar-se quando se rende ao controle de Satanás (VF 168, Ms 17, 1891).
26-28 Repreensão implícita. Abigail apresentou por inferência a conduta que Davi deveria adotar. Ele faria as guerras do Senhor. Não deveria procurar vingança de ofensas pessoais, embora perseguido como um traidor (PP 493.2).

34 Não provocar os poderes. Devemos avançar silenciosamente, e quando nosso caminho aparentemente estiver bloqueado numa direção, não devemos condenar os poderes existentes, pois procedendo assim estaremos ensinando a outros poderes como agir para obstruir o nosso caminho. Não devemos incitar elementos opositores, nem provocar represália ou vingança. O ponto culminante chegará bem depressa. Ele já está se aproximando como o ladrão de noite. E podemos proferir verdades bíblicas que não suscitem influências opositoras (EDD 262).
39 Deus endireitará as coisas. Quando Davi ouviu a notícia da morte de Nabal, agradeceu a Deus por não haver tomado a vingança em suas próprias mãos. Ele havia sido impedido de fazer o mal, e o Senhor tornou a impiedade do ímpio sobre sua própria cabeça. Na maneira de Deus tratar a Davi e a Nabal, as pessoas podem se sentir encorajadas a pôr os seus problemas nas mãos de Deus; pois em seu devido tempo Deus endireitará as coisas (VF 170; ST, 26/10/1888).