1 Samuel 8

Almeida Antiga - IBC

Os israelitas pedem um rei
1 Ora, havendo Samuel envelhecido, constituiu a seus filhos por juízes sobre Israel.
2 O seu filho primogênito chamava-se Joel, e o segundo Abias; e julgavam em Berseba.
3 Seus filhos, porém, não andaram nos caminhos dele, mas desviaram-se após o lucro e, recebendo propinas, perverteram a justiça.
4 Então todos os anciãos de Israel se congregaram, e vieram ter com Samuel, a Ramá,
5 e lhe disseram: Eis que já estás velho, e teus filhos não andam nos teus caminhos. Constitui-nos, pois, agora um rei para nos julgar, como o têm todas as nações.
6 Mas pareceu mal aos olhos de Samuel, quando disseram: Dá-nos um rei para nos julgar. Então Samuel orou ao Senhor.
7 Disse o Senhor a Samuel: Ouve a voz do povo em tudo quanto te dizem, pois não é a ti que têm rejeitado, porém a mim, para que eu não reine sobre eles.
8 Conforme todas as obras que fizeram desde o dia em que os tirei do Egito até o dia de hoje, deixando-me a mim e servindo a outros deuses, assim também fazem a ti.
9 Agora, pois, ouve a sua voz, contudo lhes protestarás solenemente, e lhes declararás qual será o modo de agir do rei que houver de reinar sobre eles.
10 Referiu, pois, Samuel todas as palavras do Senhor ao povo, que lhe havia pedido um rei,
11 e disse: Este será o modo de agir do rei que houver de reinar sobre vós: tomará os vossos filhos, e os porá sobre os seus carros, e para serem seus cavaleiros, e para correrem adiante dos seus carros;
12 e os porá por chefes de mil e chefes de cinquenta, para lavrarem os seus campos, fazerem as suas colheitas e fabricarem as suas armas de guerra e os petrechos de seus carros.
13 Tomará as vossas filhas para perfumistas, cozinheiras e padeiras.
14 Tomará o melhor das vossas terras, das vossas vinhas e dos vossos olivais, e o dará aos seus servos.
15 Tomará o dízimo das vossas sementes e das vossas vinhas, para dar aos seus oficiais e aos seus servos.
16 Também os vossos servos e as vossas servas, e os vossos melhores mancebos, e os vossos jumentos tomará, e os empregará no seu trabalho.
17 Tomará o dízimo do vosso rebanho; e vós lhe servireis de escravos.
18 Então naquele dia clamareis por causa de vosso rei, que vós mesmos houverdes escolhido; mas o Senhor não vos ouvira.
19 O povo, porém, não quis ouvir a voz de Samuel; e disseram: Não, mas haverá sobre nós um rei,
20 para que nós também sejamos como todas as outras nações, e para que o nosso rei nos julgue, e saia adiante de nós, e peleje as nossas batalhas.
21 Ouviu, pois, Samuel todas as palavras do povo, e as repetiu aos ouvidos do Senhor.
22 Disse o Senhor a Samuel: Dá ouvidos à sua voz, e constitui-lhes rei. Então Samuel disse aos homens de Israel: Volte cada um para a sua cidade.

Referências Cruzadas

1 Dt 16:18; 2Cr 19:5; Jz 10:4; Jz 12:14; Jz 5:10
2 1Cr 6:28
3 Jr 22:15; Jr 22:16; Jr 22:17; Ex 18:21; 1Tm 3:3; 1Tm 6:10; Dt 16:19; Sl 15:5
5 1Sm 8:19; 1Sm 8:20; Dt 17:14; Os 13:10; At 13:21
7 Ex 16:8; 1Sm 10:19; 1Sm 12:17; 1Sm 12:19; Os 13:10; Os 13:11
9 1Sm 8:11
11 Dt 17:16; 1Sm 10:25; 1Sm 14:52
14 1Rs 21:7; Ez 46:18
15 Gn 37:36
18 Pv 1:25; Pv 1:26; Pv 1:27; Pv 1:28; Is 1:15; Mq 3:4
19 Jr 44:16
20 1Sm 8:5
22 1Sm 8:7; Os 13:11

1-3 Os filhos de Samuel amavam a recompensa. Samuel havia julgado Israel desde sua juventude. Havia sido um juiz justo e imparcial, fiel em todo o seu trabalho. Estava ficando velho, e o povo viu que seus filhos não seguiam pelos seus caminhos. Embora não fossem vis como os filhos de Eli, eram desonestos e vacilantes. Conquanto ajudassem o pai em sua exaustiva obra, o amor deles à recompensa os levava a favorecer a causa dos injustos (SP1, 353).
1-5 Samuel se engana quanto a seus filhos. Esses jovens haviam recebido fiéis instruções de seu pai por preceito e por exemplo. Não ignoravam as advertências dadas a Eli e os juízos divinos que haviam sido visitados sobre ele e sobre sua casa. Aparentemente eram homens da mais alta virtude e integridade, além de intelectualmente promissores. Foi com o pleno assentimento do povo que Samuel passou a dividir com os filhos as responsabilidades da função. O caráter deles, porém, ainda devia ser testado. Separados da influência do pai, seria visto se eram leais aos princípios que lhes haviam sido ensinados. O resultado mostrou que Samuel havia estado dolorosamente enganado quanto a seus filhos. Como ocorre com muitos jovens de hoje que foram abençoados com grandes capacidades, eles perverteram as faculdades que receberam de Deus. A honra que lhes foi conferida os tornou orgulhosos e autossuficientes. Não tornaram seu objetivo o glorificar a Deus, nem buscaram fervorosamente dEle força e sabedoria. Cedendo ao poder da tentação, eles se tornaram gananciosos, egoístas e injustos. A Palavra de Deus declara que “não andaram pelos caminhos dele; antes, se inclinaram à avareza, e aceitaram subornos, e perverteram o direito” [1Sm 8:3] (ST, 02/02/1882).
5 Como todas as nações. O desejo não satisfeito de poder mundano e de ostentação é tão difícil de sanar hoje como o era nos dias de Samuel. Os cristãos procuram edificar como os mundanos edificam e vestir como os mundanos se vestem, imitando os costumes daqueles que adoram apenas o deus deste século. As instruções da Palavra de Deus, os conselhos e reprovações de Seus servos e mesmo as advertências enviadas diretamente de Seu trono parecem destituídos de poder para subjugar essa ambição indigna. Quando o coração está alienado de Deus, qualquer pretexto praticamente basta para justificar a desconsideração de Sua autoridade. As insinuações do orgulho e da vaidade são gratificadas, seja qual for o preço para a causa de Deus (VF [MM, 71], 147; ST, 13/07/1882).
6 A fidelidade traz críticas. Os que são destituídos de consagração e que são amantes do mundo estão sempre prontos a criticar e a condenar os que se colocam destemidamente ao lado de Deus e do que é direito. Se é visto um defeito em alguém a quem o Senhor confiou grandes responsabilidades, então toda a sua devoção anterior é esquecida, e são feitos esforços para silenciar sua voz e destruir sua influência. No entanto, esses que a si mesmos se constituem juízes devem se lembrar de que o Senhor lê os corações. Os segredos que nutrem não podem ser ocultados de Seu olhar perscrutador. Deus declara que trará a juízo todas as obras, até as que estão escondidas (ST, 13/07/1882).
6, 7 Pessoas úteis raramente são apreciadas. As pessoas mais úteis raramente são apreciadas. Os que trabalham mais ativa e altruisticamente pelos semelhantes e que têm contribuído para o alcance de maiores resultados são, muitas vezes, recompensados com ingratidão e negligência. Quando tais pessoas se veem postas de lado, quando seus conselhos são repelidos e desprezados, elas talvez sintam que estão sendo vítimas de grande injustiça. Aprendam, porém, pelo exemplo de Samuel a não se justificarem nem se defenderem, a menos que o Espírito de Deus, da maneira mais evidente, conduza a tal procedimento.
Os que desprezam e rejeitam o fiel servo de Deus não mostram desdém simplesmente pelo homem, mas por seu Senhor, que o enviou. As palavras de Deus, Suas reprovações e Seus conselhos é que são desconsiderados; Sua autoridade é que é rejeitada (VF [MM, 711 147; ST, 13/07/1882).