1 Tessalonicenses 4

Almeida Antiga - IBC

Exortação à piedade
1 Finalmente, irmãos, vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus que, como aprendestes de nós de que maneira deveis andar e agradar a Deus, assim como estais fazendo, nisso mesmo abundeis cada vez mais.
2 Pois vós sabeis que preceitos vos temos dado pelo Senhor Jesus.
3 Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição,
4 que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santidade e honra,
5 não na paixão da concupiscência, como os gentios que não conhecem a Deus;
6 ninguém iluda ou defraude nisso a seu irmão, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também antes vo-lo dissemos e testificamos.
7 Porque Deus não nos chamou para a imundícia, mas para a santificação.
8 Portanto, quem rejeita isso não rejeita ao homem, mas sim a Deus, que vos dá o seu Espírito Santo.
9 Quanto, porém, ao amor fraternal, não necessitais de que se vos escreva, visto que vós mesmos sois instruídos por Deus a vos amardes uns aos outros;
10 porque certamente já o fazeis para com todos os irmãos que estão por toda a Macedônia. Exortamo-vos, porém, irmãos, a que ainda nisto abundeis cada vez mais,
11 e procureis viver quietos, tratar dos vossos próprios negócios, e trabalhar com vossas próprias mãos, como já vo-lo mandamos,
12 a fim de que andeis dignamente para com os que estão de fora, e não tenhais necessidade de coisa alguma.

Sobre a ressurreição dos mortos

13 Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais como os outros que não têm esperança.
14 Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que dormem, Deus, mediante Jesus, os tornará a trazer juntamente com ele.
15 Dizemo-vos, pois, isto pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que já dormem.
16 Porquanto o próprio Senhor descerá do céu com um grande brado, com a voz do arcanjo, e com a trombeta de Deus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro.
17 Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, para encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.
18 Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.

Referências Cruzadas

1 Fp 1:27; 1Ts 2:12; Cl 1:10
3 Rm 12:2; Ef 5:27; 1Co 6:15; 1Ts 5:23
4 Rm 6:19
5 Rm 1:24; Ef 4:17; Ef 4:18; 1Co 15:34
6 Lv 19:11; Lv 19:13; 1Co 6:8; 2Ts 1:8
7 Lv 11:44; Lv 19:2; 1Co 1:2; Hb 12:14; 1Pe 1:14; 1Pe 1:15
8 Lc 10:16; 1Co 2:10; 1Co 7:40; 1Jo 3:24
9 1Ts 5:1; Jr 31:34; Jo 6:45; Jo 14:26; Hb 8:11; 1Jo 2:20; 1Jo 2:27; Mt 22:39; Jo 13:34; Jo 15:12; Ef 5:2; 1Pe 4:8; 1Jo 3:11; 1Jo 3:23; 1Jo 4:21
10 1Ts 1:7; 1Ts 3:12
11 2Ts 3:11; At 20:35
12 Rm 13:13
13 Lv 19:28; Lv 2:12
14 1Co 15:13; 1Co 15:18; 1Co 15:23
15 1Rs 13:17; 1Co 15:51
16 Mt 24:30; Mt 24:31; 1Co 15:52; 1Co 15:23
17 1Co 15:51; At 1:9; Jo 12:26
18 1Ts 5:11

v. 3 Longos e perseverantes esforços, e não só na oração. A santificação não é obra de um momento, de uma hora, de um dia, mas da vida toda. Não se alcança com um feliz vôo dos sentimentos, mas é o resultado de morrer constantemente para o pecado, e viver constantemente para Cristo. Não se pode corrigir os erros nem apresentar reforma de caráter por meio de esforços débeis e intermitentes. Só podemos vencer mediante longos e perseverantes esforços, severa disciplina e rigoroso conflito (AA 314.1).

O humano e o divino. Nossa santificação é obra do Pai, do Filho e do Espírito Santo. É o cumprimento da aliança que Deus fez com os que se comprometem junto a Ele de permanecer em santa comunhão com Ele, o Filho e o Espírito. Você já nasceu de novo? Já se tornou um novo ser em Cristo Jesus? Então coopere com os três grandes poderes celestiais que trabalham em seu favor (Ms H 1901).
Evidências da santificação. A verdadeira santificação é evidenciada por consciente consideração a todos os mandamentos de Deus, esmerado desenvolvimento de todos os talentos e conversação ponderada, revelando em todos os atos a mansidão de Cristo (FO, 53).
Verdadeiro sinal da santificação. Os que desonram a Deus pela transgressão de Sua lei podem falar de santificação, mas esta é de tanto valor e é tão aceitável quanto a oferta de Caim. A obediência a todos os mandamentos de Deus é o único verdadeiro sinal de santificação. A desobediência é o sinal da deslealdade e da apostasia (Ms 41, 1897).
Santidade ao alcance de todos. Deus escolheu os seres humanos desde a eternidade para serem santos. “Esta é a vontade de Deus: a vossa santificação” [1Ts 4:3]. A lei de Deus não tolera nenhum pecado, mas exige obediência perfeita. O eco da voz de Deus chega a nós, dizendo sempre: “Santo, mais santo ainda.” E nossa resposta deve ser: “Sim, Senhor, mais santo ainda.” A santidade está ao alcance de todos os que a buscam pela fé, não por causa de suas boas obras, mas por causa dos méritos de Cristo. O poder divino é fornecido a toda pessoa que luta para alcançar a vitória sobre o pecado e Satanás.
Justificação significa salvar uma pessoa da perdição, para que ela possa obter a santificação e, através da santificação, a vida celestial. A justificação significa que a consciência, purificada de obras mortas, é colocada onde pode receber as bênçãos da santificação (Ms 11, 1902).
Santificação e comunhão. Santificação quer dizer comunhão habitual com Deus (LC [MM 1968], 129).
7 Ver Ellen G. White sobre Rm 6:19, 22.
13, 14 Erros relativos à volta de Cristo. Havia ainda outra razão para que Paulo escrevesse a esses irmãos. Alguns novos na fé haviam caído em erros quanto aos que morreram após sua conversão. Eles haviam esperado que todos testemunhassem a vinda de Cristo; mas experimentaram grande tristeza à medida que um após outro dos crentes foram caindo sob o poder da morte, ficando assim impossibilitados de contemplar aquele almejado acontecimento: a vinda de Cristo nas nuvens dos céus.
Alguns, que haviam caído no erro de que Cristo voltaria em seus dias, aceitaram a ideia fanática de que era louvável que demonstrassem sua fé, renunciando a todas as atividades e resignando-se a ficar ociosos enquanto esperavam pelo grande evento que pensavam estar próximo (PAF, 110).
16 A última trombeta. Quando Cristo vier reunir a Si os fiéis, soará a última trombeta, e toda a Terra a ouvirá, desde os cumes das mais altas montanhas aos mais baixos recantos das minas mais profundas. Os justos mortos ouvirão o som da última trombeta e sairão de suas sepulturas, para serem revestidos da imortalidade e se encontrarem com o Senhor (EF, 277, 278).
Jesus não altera o caráter em Sua vinda. Se quereis ser santos no Céu precisais ser primeiro santos na Terra. Os traços de caráter que acalentais na vida não serão modificados pela morte ou pela ressurreição. Saireis da sepultura com a mesma disposição que manifestastes em vosso lar e na sociedade. Jesus não altera o caráter em Sua vinda. A obra de transformação tem de ser efetuada agora. Nossa vida diária está determinando o nosso destino. Precisamos arrepender-nos dos defeitos de caráter, vencê-los pela graça de Cristo e formar um caráter simétrico neste período de prova, a fim de que sejamos habilitados para as mansões lá do alto (EF 295.1).

16, 17 Ver Ellen G. White sobre Is 26:19; 1Co 15:51-55; Ap 1:7.