1 Tessalonicenses 5

Almeida Antiga - IBC

A vinda do Senhor
1 Mas, irmãos, acerca dos tempos e das épocas não necessitais de que se vos escreva:
2 porque vós mesmos sabeis perfeitamente que o dia do Senhor virá como vem o ladrão de noite;
3 pois quando estiverem dizendo: Paz e segurança! então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida; e de modo nenhum escaparão.
4 Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que aquele dia, como ladrão, vos surpreenda;
5 porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas;
6 não durmamos, pois, como os demais, antes vigiemos e sejamos sóbrios.
7 Porque os que dormem, dormem de noite, e os que se embriagam, embriagam-se de noite;
8 mas nós, porque somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e do amor, e tendo por capacete a esperança da salvação;
9 porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançarmos a salvação por nosso Senhor Jesus Cristo,
10 que morreu por nós, para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos juntamente com ele.
11 Pelo que exortai-vos uns aos outros e edificai-vos uns aos outros, como na verdade o estais fazendo.

Preceitos diversos

12 Ora, rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, presidem sobre vós no Senhor e vos admoestam;
13 e que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obras. Tende paz entre vós.
14 Exortamo-vos também, irmãos, a que admoesteis os insubordinados, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais pacientes para com todos.
15 Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, uns para com os outros, e para com todos.
16 Regozijai-vos sempre.
17 Orai sem cessar.
18 Em tudo dai graças; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.
19 Não extingais o Espírito;
20 não desprezeis as profecias,
21 mas ponde tudo à prova, retende o que é bom.
22 Abstende-vos de toda aparência de mal.
23 E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.
24 Fiel é o que vos chama, e ele também o fará.

Saudações

25 Irmãos, orai por nós.
26 Saudai a todos os irmãos com ósculo santo.
27 Pelo Senhor vos conjuro que esta epístola seja lida a todos os irmãos.
28 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco.

Referências Cruzadas

1 Mt 24:3; 1Ts 4:9
2 Mt 24:43
3 Is 13:6-9; Jr 13:21
4 Rm 13:12
5 Ef 5:8
6 Mt 25:5; Mt 24:42; Mt 25:13
7 Lc 21:34; At 2:15
8 Is 59:17
9 Rm 9:22; 2Ts 2:13
10 Rm 14:8; Rm 14:9
11 1Ts 4:18
12 1Co 16:18
13 Mc 9:50
14 2Ts 3:11; 2Ts 3:12; Hb 12:12; Rm 14:1; Gl 5:22
15 Lv 19:18; Gl 6:10
16 2Co 6:10
17 Lc 18:1
18 Ef 5:20
19 Ef 4:30
20 1Co 14:1; 1Co 14:39
21 1Co 2:11; 1Co 2:15; Fp 4:8
22 1Ts 4:12
23 Fp 4:9; 1Ts 3:13; 1Co 1:8; 1Pd 5:10; Hb 12:14; 2Tm 2:21; At 26:18
24 1Co 1:9; Hb 12:14; Jd 24
25 Cl 4:3
26 Rm 16:16
27 Cl 4:16
28 Rm 16:20

2 Os abafados passos do ladrão. O fim está próximo, aproximando-se de nós tão furtiva, tão imperceptível, tão silenciosamente como os abafados passos do ladrão, à noite, para surpreender os dormintes desapercebidos e desprevenidos (RP 43.2).

Terrível surpresa.
Os cristãos devem estar-se preparando para aquilo que logo irá cair sobre o mundo como terrível surpresa, e esta preparação deve ser feita mediante diligente estudo da Palavra de Deus e pelo levar a vida na conformidade com os seus preceitos (PR 320.3).
Satanás se nos tem adiantado. Se todo soldado de Cristo houvesse cumprido seu dever, se todo vigia nos muros de Sião houvesse dado à trombeta um sonido certo, o mundo poderia ter ouvido a mensagem de advertência. Mas a obra está com anos de atraso. Enquanto os homens têm dormido, Satanás se nos tem adiantado furtivamente (SC 66.1).
17 Ver Ellen G. White sobre Pv4 23
23 Necessidade de santificação. A verdade deve santificar todo o ser humano: a mente, os pensamentos, o coração e as energias. As energias vitais não devem ser consumidas nas próprias práticas concupiscentes. Essas precisam ser vencidas, ou elas o vencerão (Mar [MM 1977], 228).
Dissipando a atmosfera do pecado, Santificação – quantos entendem seu pleno sentido? A mente é obscurecida por corrupções sensuais. Os pensamentos precisam ser purificados. O que não poderiam ter realizado homens e mulheres, se tivessem reconhecido que o trato do corpo tem tudo a ver com o vigor e a pureza da mente e do coração!
O cristão verdadeiro alcança uma experiência que promove a santidade. Não tem ele na consciência uma mancha de culpa, nem uma mácula de corrupção na vida. A espiritualidade da lei de Deus, com seus princípios orientadores, é aplicada à vida. A luz da verdade ilumina seu entendimento. Uma chama de perfeito amor pelo Redentor dissipa a atmosfera escura que se interpusera entre sua mente e Deus. A vontade de Deus se torna a sua vontade pura, elevada, refinada e santificada. Seu semblante revela a luz do Céu. Seu corpo é um adequado templo para o Espírito Santo. A santidade adorna-lhe o caráter. Deus pode comungar com ele, pois mente e corpo estão em harmonia com Deus [MM 1968], 200).
Propriedade divina por criação e redenção. Deus quer que compreendamos que Ele tem direito sobre a mente, o corpo e o espírito; sobre tudo que possuímos. Pertencemos-Lhe pela criação e pela redenção. Como nosso Criador, Ele reivindica nosso inteiro serviço. Como nosso Redentor, por amor e por direito reivindica nosso amor supremo. Deveríamos compenetrar-nos dessa reivindicação em todos os momentos de nossa existência. Perante crentes e descrentes precisamos reconhecer nossa constante dependência de Deus. Nosso corpo, a mente e toda a vida são Seus, não somente por serem Seu generoso dom, mas porque Ele nos supre constantemente com Seus benefícios e nos dá forças para usar nossas habilidades. Ao devolvermos o que Lhe pertence, ao trabalharmos voluntariamente para Ele, mostramos que reconhecemos nossa dependência dEle (RH, 24/11/1896; Mar [MM 1977], 228).
Jesus pede que nos consagremos a Ele, que conferiu assinalada honra à raça humana; pois diz: “A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no Seu nome” [Jo 1:12].
Não daremos, pois, a Cristo aquilo por cuja redenção Ele morreu? Se vocês fizerem isso, Ele ativará a consciência de vocês, renovará o coração, santificará as afeições, purificará os pensamentos e levará todas as suas habilidades em serviço para Ele. Cada motivo, cada pensamento será levado cativo a Jesus Cristo.
Os que são filhos de Deus O representam no caráter. Suas obras são perfumadas pela infinita ternura, compaixão, pelo amor e pureza do Filho de Deus. E, quanto mais completa for a entrega da mente e do corpo ao Espírito Santo, mais intensa será a fragrância de nossa oferta a Ele (RH, 24/11/1896; MG [MM 1974], 243).