2 Coríntios 10

Almeida Antiga - IBC

Paulo defende seu ministério
1 Ora eu mesmo, Paulo, vos rogo pela mansidão e benignidade de Cristo, eu que, na verdade, quando presente entre vós, sou humilde, mas quando ausente, ousado para convosco;
2 sim, eu vos rogo que, quando estiver presente, não me veja obrigado a usar, com confiança, da ousadia que espero ter para com alguns que nos julgam como se andássemos segundo a carne.
3 Porque, embora andando na carne, não militamos segundo a carne,
4 pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus, para demolição de fortalezas;
5 derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo;
6 e estando prontos para vingar toda desobediência, quando for cumprida a vossa obediência.
7 Olhais para as coisas segundo a aparência. Se alguém confia de si mesmo que é de Cristo, pense outra vez isto consigo, que, assim como ele é de Cristo, também nós o somos.
8 Pois, ainda que eu me glorie um tanto mais da nossa autoridade, a qual o Senhor nos deu para edificação, e não para vossa destruição, não me envergonharei;
9 para que eu não pareça como se quisera intimidar-vos por cartas.
10 Porque eles dizem: As cartas dele são graves e fortes, mas a sua presença corporal é fraca, e a sua palavra desprezível.
11 Considere o tal isto, que, quais somos no falar por cartas, estando ausentes, tais seremos também no fazer, estando presentes,
12 pois não ousamos contar-nos, ou comparar-nos com alguns, que se louvam a si mesmos; mas estes, medindo-se consigo mesmos e comparando-se consigo mesmos, estão sem entendimento.
13 Nós, porém, não nos gloriaremos além da medida, mas conforme o padrão da medida que Deus nos designou para chegarmos mesmo até vós;
14 porque não nos estendemos além do que convém, como se não chegássemos a vós, pois já chegamos também até vós no evangelho de Cristo,
15 não nos gloriando além da medida em trabalhos alheios; antes tendo esperança de que, à proporção que cresce a vossa fé, seremos nós cada vez mais engrandecidos entre vós, conforme a nossa medida,
16 para anunciar o evangelho nos lugares que estão além de vós, e não em campo de outrem, para não nos gloriarmos no que estava já preparado.
17 Aquele, porém, que se gloria, glorie-se no Senhor.
18 Porque não é aprovado aquele que se recomenda a si mesmo, mas sim aquele a quem o Senhor recomenda.

Referências Cruzadas

1 Rm 12:1; 2Co 10:10; 2Co 12:5; 2Co 12:7; 2Co 12:9
2 1Co 4:21; 2Co 13:2; 2Co 13:10
4 Ef 6:13; 1Ts 5:8; 1Tm 1:18; 2Tm 2:3; At 7:22; 1Co 2:5; 2Co 6:7; 2Co 13:3; 2Co 13:4; Jr 1:10
5 1Co 1:19; 1Co 3:19
6 2Co 13:2; 2Co 13:10; 2Co 2:9
7 Jo 7:24; 2Co 5:12; 1Co 14:37; 1Jo 4:6; 1Co 3:23; 2Co 11:23
8 2Co 13:10; 2Co 7:14
10 2Co 10:1; 1Co 2:3; 1Co 2:4; 2Co 12:5; 2Co 12:7; 2Co 12:9; Gl 4:13; 1Co 1:17; 2Co 11:6
12 2Co 3:1
13 2Co 10:15
14 1Co 3:5; 1Co 3:10; 1Co 4:15
15 Rm 15:20
17 Is 65:16; Jr 9:24; 1Co 1:31
18 Pv 27:2; Rm 2:29; 1Co 4:5

7,8 Ver Ellen G. White sobre At 18:1-3.
4 Ver Ellen G. White sobre 1Co 3:9,
5 Cada faculdade deve refletir a mente divina (Cl 3:10). Foi uma coisa maravilhosa o fato de Deus criar o homem, formar a mente. A glória de Deus deve ser revelada na criação do homem à imagem divina e em sua redenção. Uma pessoa é de mais valor que um mundo. Deus criou o ser humano para que cada habilidade fosse uma habilidade da mente divina. O Senhor Jesus Cristo é o Autor de nosso ser e também é o Autor de nossa redenção, e todo o que quiser entrar no reino de Deus adquirirá um caráter que seja uma réplica do caráter de Deus. Ninguém pode habitar com Deus no santo Céu, exceto aqueles que trouxerem Sua semelhança. Os que serão redimidos devem ser vencedores; devem ser elevados, puros, um com Cristo (MG [MM 1974], 244; Carta 55, 1895).
Deus é o autor de todo pensamento nobre. Os homens e as mulheres considerarão como Deus encara as criaturas formadas por Ele? Ele formou a mente do homem. Não temos um nobre pensamento que não provenha dEIe. Ele conhece todas as misteriosas operações da mente humana, pois não foi Ele quem a fez? Deus vê que o pecado tem aviltado e degradado o homem, mas Ele O encara com piedade e compaixão; pois vê que Satanás o retém em seu poder (Ex [MM 1992], 254).
O poder do intelecto. O intelecto enobrecido, purificado e direcionado para o Céu é o poder universal para construir o reino de Deus. O intelecto pervertido tem exatamente a influência oposta; é uma corrupção do talento humano que é concedido para ser multiplicado em trabalho diligente para o bem. Ele engana e destrói. Deus concedeu dotes suficientes aos homens para que realizassem, com capacidade e sabedoria, e representassem, com graça e força, as maravilhosas obras do Senhor para todos os que O amam e obedecem aos Seus mandamentos (Ms 63, 1900).
18 Auto-aprovação desonra a Deus. Não permitamos que Deus seja desonrado pela declaração de lábios humanos: “Estou sem pecado; sou santo.” Lábios santificados nunca pronunciarão palavras de tamanha presunção (AA 314.4).