2 Crônicas 17

Almeida Antiga - IBC

O bom reinado de Jeosafá
1 Jeosafá, seu filho, reinou em seu lugar, e fortaleceu-se contra Israel.
2 Pôs forças armadas em todas as cidades fortes de Judá e dispôs guarnições na terra de Judá, como também nas cidades de Efraim que Asa, seu pai, tinha tomado.
3 E o Senhor era com Jeosafá, porque andou conforme os primeiros caminhos de Davi, seu pai, e não buscou aos baalins;
4 antes buscou ao Deus de seu pai, e andou nos seus mandamentos, e não segundo as obras de Israel.
5 Por isso o Senhor confirmou o reino na sua mão; e todo o Judá trouxe presentes a Jeosafá; e ele teve riquezas e glória em abundância.
6 E encorajou-se o seu coração nos caminhos do Senhor; e ele tirou de Judá os altos e os aserins.
7 No terceiro ano do seu reinado enviou ele os seus príncipes, Bene-Hail, Obadias, Zacarias, Netanel e Micaías, para ensinarem nas cidades de Judá;
8 e com eles os levitas Semaías, Netanias, Zebadias, Asael, Semiramote, Jônatas, Adonias, Tobias e Tobadonias e, com estes levitas, os sacerdotes Elisama e Jeorão.
9 E ensinaram em Judá, levando consigo o livro da lei do Senhor; foram por todas as cidades de Judá, ensinando entre o povo.
10 Então caiu o temor do Senhor sobre todos os reinos das terras que estavam ao redor de Judá, de modo que não fizeram guerra contra Jeosafá.
11 Alguns dentre os filisteus traziam presentes a Jeosafá, e prata como tributo; e os árabes lhe trouxeram rebanhos: sete mil e setecentos carneiros, e sete mil e setecentos bodes.
12 Assim Jeosafá ia-se tornando cada vez mais poderoso; e edificou fortalezas e cidades-armazéns em Judá;
13 e teve grande quantidade de munições nas cidades de Judá, e soldados, homens valorosos, em Jerusalém.
14 Este é o número deles segundo as suas casas paternas: de Judá os comandantes de mil: o comandante Adná, com trezentos mil homens valorosos;
15 após ele o comandante Jeoanã com duzentos e oitenta mil;
16 após ele Amasias, filho de Zicri, que voluntariamente se entregou ao Senhor, e com ele duzentos mil valorosos;
17 e de Benjamim: Eliadá, homem destemido, com duzentos mil armados de arco e de escudo;
18 e após ele Jeozabade, com cento e oitenta mil armados para a guerra.
19 Estes estavam no serviço do rei, afora os que o rei tinha posto nas cidades fortes por todo o Judá.

Referências Cruzadas

1 1Rs 15:24
2 2Cr 15:8
4 1Rs 12:28
5 1Sm 10:27; 1Rs 10:25; 1Rs 10:25; 1Rs 10:27; 2Cr 18:1
6 1Rs 22:43; 2Cr 15:17; 2Cr 19:3; 2Cr 20:33
7 2Cr 15:3
9 Ne 8:7
10 Gn 35:5
11 2Sm 8:2
16 Jz 5:2; Jz 5:9
19 2Cr 17:2

3-7, 9, 10 A obediência traz o favor de Deus. A obediência ao Senhor sempre traz Seu favor, e um fiel desempenho de princípios justos trará as credenciais divinas. No entanto, o Senhor é desonrado quando aqueles colocados como mordomos do rebanho de Deus toleram e sancionam uma obra ímpia.
Os sinais exteriores de jejum e oração, sem um espírito quebrantado e contrito, não têm valor aos olhos de Deus. É necessária a obra interior da graça. A humilhação de alma é essencial. É para isso que Deus olha. Ele receberá graciosamente aqueles que humilharem o coração, ouvirá suas petições e sarará suas apostasias.
Ministros e povo precisam da obra de purificação na alma para que os juízos de Deus sejam desviados deles. Deus está esperando, esperando por humilhação e arrependimento. Ele receberá a todos os que para Ele se voltarem de todo o coração (Ms 33, 1903).