2 Crônicas 33

Almeida Antiga - IBC

A idolatria de Manassés
1 Tinha Manassés doze anos quando começou a reinar, e reinou cinquenta e cinco anos em Jerusalém.
2 E fez o que era mau aos olhos do Senhor, conforme as abominações dos povos que o Senhor lançara fora de diante dos filhos de Israel.
3 Pois tornou a edificar os altos que Ezequias, seu pai, tinha derribado; e levantou altares aos baalins, e fez aserotes, e adorou a todo o exército do céu, e o serviu.
4 Também edificou altares na casa do Senhor, da qual o Senhor tinha dito: Em Jerusalém estará o meu nome eternamente.
5 Edificou altares a todo o exército do céu, nos dois átrios da casa do Senhor.
6 Além disso queimou seus filhos como sacrifício no vale do filho de Hinom; e usou de augúrios e de encantamentos, e dava-se a artes mágicas, e instituiu adivinhos e feiticeiros; sim, fez muito mal aos olhos do Senhor, para o provocar à ira.
7 Também a imagem esculpida do ídolo que tinha feito, ele a colocou na casa de Deus, da qual Deus tinha dito a Davi e a Salomão, seu filho: Nesta casa, e em Jerusalém, que escolhi de todas as tribos de Israel, porei eu o meu nome para sempre;
8 e nunca mais removerei o pé de Israel da terra que destinei a vossos pais; contanto que tenham cuidado de fazer tudo o que eu lhes ordenei, toda a lei, os estatutos e as ordenanças dados por intermédio de Moisés.
9 Manassés tanto fez errar a Judá e aos moradores de Jerusalém, que eles fizeram o mal ainda mais do que as nações que o Senhor tinha destruído de diante dos filhos de Israel.
10 Falou o Senhor a Manassés e ao seu povo, porém não deram ouvidos.

O cativeiro de Manassés, sua oração e morte

11 Pelo que o Senhor trouxe sobre eles os comandantes do exército do rei da Assíria, os quais prenderam Manassés com ganchos e, amarrando-o com cadeias de bronze, o levaram para Babilônia.
12 E estando ele angustiado, suplicou ao Senhor seu Deus, e humilhou-se muito perante o Deus de seus pais;
13 sim, orou a ele; e Deus se aplacou para com ele, e ouviu-lhe a súplica, e tornou a trazê-lo a Jerusalém, ao seu reino. Então conheceu Manassés que o Senhor era Deus.
14 Ora, depois disso edificou um muro do lado de fora da cidade de Davi, ao ocidente de Giom, no vale, até a entrada da porta dos peixes; e fê-lo passar ao redor de Ofel, e o levantou muito alto; também pôs oficiais do exército em todas as cidades fortificadas de Judá.
15 Tirou da casa do Senhor os deuses estranhos e o ídolo, como também todos os altares que tinha edificado no monte da casa do Senhor, e em Jerusalém, e os lançou fora da cidade.
16 Também reparou o altar do Senhor, e ofereceu sobre ele sacrifícios de ofertas pacíficas e de ações de graças; e ordenou a Judá que servisse ao Senhor Deus de Israel.
17 Contudo o povo ainda sacrificava nos altos, mas somente ao Senhor seu Deus.
18 O restante dos atos de Manassés, e a sua oração ao seu Deus, e as palavras dos videntes que lhe falaram em nome do Senhor, Deus de Israel, eis que estão escritas no livros dos reis de Israel.
19 Também a sua oração, e como Deus se aplacou para com ele, e todo o seu pecado, e a sua transgressão, e os lugares onde edificou altos e pôs os aserins e as imagens esculpidas antes de se ter humilhado, eis que estão escritos nas crônicas dos videntes.
20 E dormiu Manassés com seus pais, e o sepultaram em sua casa; e Amom, seu filho, reinou em seu lugar.

O reinado de Amom, a sua impiedade e morte

21 Tinha Amom vinte e dois anos quando começou a reinar, e reinou dois anos em Jerusalém.
22 Fez o que era mau aos olhos do Senhor, como havia feito Manassés, seu pai Amom sacrificou a todas as imagens esculpidas que Manassés, seu pai, tinha feito, e as serviu.
23 Mas não se humilhou perante o Senhor, como Manassés, seu pai, se humilhara; pelo contrário multiplicou Amom os seus delitos.
24 E conspiraram contra ele os seus servos, e o mataram em sua casa.
25 Mas o povo da terra matou todos os que conspiraram contra o rei Amom, e fez reinar em lugar dele seu filho Josias.

Referências Cruzadas

1 2Rs 21:1
2 Dt 18:9; 2Cr 28:3
3 2Rs 18:4; 2Cr 30:14; 2Cr 31:1; 2Cr 32:12; Dt 16:21; Dt 17:3
4 Dt 12:11; 1Rs 8:29; 1Rs 9:3; 2Cr 6:6; 2Cr 7:16
5 2Cr 4:9
6 Lv 18:21; Dt 18:10; 2Rs 23:10; 2Cr 28:3; Ez 23:37; Ez 23:39; Dt 18:10; Dt 18:11; 2Rs 21:6
7 2Rs 21:7; Sl 132:14
8 2Sm 7:10
11 Dt 28:36; Jó 36:8; Sl 107:10; Sl 107:11
12 1Pe 5:6
13 1Cr 5:20; Ed 8:23; Sl 9:16; Dn 4:25
14 1Rs 1:33; 2Cr 27:3
15 2Cr 33:3; 2Cr 33:5; 2Cr 33:7
16 Lv 7:12
17 2Cr 32:12
18 1Sm 9:9
20 2Rs 21:18
21 2Rs 21:19
23 2Cr 33:12
24 2Rs 21:23; 2Rs 21:24

9-13 A maneira como Deus age. No caso de Manassés, o Senhor nos dá um exemplo da maneira como Ele age. O Senhor falou muitas vezes ao Seu povo em advertências e reprovações. Revelou-Se em misericórdia, amor e bondade. Não deixou Seu povo apóstata à mercê do inimigo, mas suportou-o longamente, mesmo durante sua obstinada apostasia. Porém, depois que os apelos foram feitos em vão, Ele prepara a vara do castigo. Que compassivo amor foi exercido para com o povo de Deus! O Senhor poderia ter destruído em seus pecados aqueles que estavam trabalhando em oposição a Ele, mas não fez isso. Sua mão ainda se acha estendida. Temos razões para oferecer ações de graças a Deus porque Ele não retirou Seu Espírito daqueles que se recusaram a andar em Seu caminho (Carta 94, 1899).