Escolha uma Página

Apocalipse 14

Almeida Antiga - IBC

O Cordeiro e seus remidos sobre o monte Sião
1 E olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o Monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, tendo escrito, em suas frontes, o nome de seu Pai.
2 E ouvi uma voz do céu, como a voz de muitas águas, e como a voz de um grande trovão e a voz que ouvi era como de harpistas, que tocavam as suas harpas.
3 E cantavam um cântico novo diante do trono, e diante dos quatro seres viventes e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil, aqueles que foram comprados da terra.
4 Estes são os que não se contaminaram com mulheres; porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá. Estes foram comprados dentre os homens para serem as primícias para Deus e para o Cordeiro.
5 E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis diante do trono de Deus.
6 E vi outro anjo voando pelo meio do céu, e tinha um evangelho eterno para proclamar aos que habitam sobre a terra e a toda nação, e tribo, e língua, e povo,
7 dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque vinda é a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.
8 Seguiu-se um outro anjo, dizendo: Caiu, caiu Babilônia, aquela grande cidade, porque a todas as nações deu a beber do vinho da ira de sua fornicação.
9 Seguiu-se a estes o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber seu sinal na testa, ou na sua mão,
10 também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro.
11 E o fumo do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso, nem de dia nem de noite, os que adoram a besta e a sua imagem, e quem quer que receber o sinal do seu nome.
12 # Aqui está a paciência dos santos, aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé de Jesus.
13 Então ouvi uma voz do céu, que dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, pois as suas obras os acompanham.

A ceifa

14 E olhei, e eis uma nuvem branca, e assentado sobre a nuvem um semelhante ao Filho do homem, que tinha sobre a cabeça uma coroa de ouro, e na mão uma foice afiada.
15 E outro anjo saiu do santuário, clamando com grande voz ao que estava assentado sobre a nuvem: Lança a tua foice e ceifa, porque é chegada a hora de ceifar, porque já a seara da terra está madura.
16 Então aquele que estava assentado sobre a nuvem meteu a sua foice à terra, e a terra foi ceifada.
17 Ainda outro anjo saiu do santuário que está no céu, o qual também tinha uma foice afiada.
18 E saiu do altar outro anjo, que tinha poder sobre o fogo, e clamou com grande voz ao que tinha a foice afiada, dizendo: Lança a tua foice afiada, e vindima os cachos da vinha da terra, porque já as suas uvas estão maduras.
19 E o anjo meteu a sua foice à terra, e vindimou as uvas da vinha da terra, e lançou-as no grande lagar da ira de Deus.
20 E o lagar foi pisado fora da cidade, e saiu sangue do lagar até os freios dos cavalos, pelo espaço de mil e seiscentos estádios.

Referências Cruzadas

1 Ap 5:6; Ap 7:4; Ap 7:3; Ap 13:16; Ex 33:19
2 Ap 1:15; Ap 19:6; Ap 5:8
3 Ap 5:9; Ap 15:3; Ap 14:1
4 2Co 11:2; Ap 3:4; Ap 7:15; Ap 7:17; Ap 17:14
5 1Pe 2:22; Sl 141:3; Sl 32:2; Sf 3:13; Ef 5:27; Jd 24; Is 53:9
6 Ap 8:13; Ef 3:9; Ef 3:10; Ef 3:11; Tt 1:2
7 Ap 11:18; Ap 15:4; Ne 9:6; Sl 33:6; Sl 124:8; Sl 146:5; Sl 146:6; At 14:15; Rm 4:19-21
8 Is 21:9; Jr 51:8; Ap 18:2; Jr 51:7; Ap 11:8; Ap 16:19; Ap 17:2; Ap 17:5; Ap 18:3; Ap 18:10
9 Ap 13:14; Ap 13:15; Ap 13:16
10 Sl 75:8; Is 51:17; Jr 25:15; Ap 18:6; Ap 16:19; Ap 20:10; Ap 19:20; Hc 2:16
11 Is 34:10; Ap 19:3
12 Ap 13:10; Ap 12:17
13 Ec 4:1; Ec 4:2; Ap 20:6; 1Co 15:18; 2Ts 1:7; Hb 4:9; Hb 4:10; Dn 12:12
14 Ez 1:26; Dn 7:13; Ap 6:2
15 Ap 16:17; Jl 3:13; Mt 13:39; Jr 51:33
18 Ap 16:8; Jl 3:13
19 Ap 19:15
20 Is 63:3; Lm 1:15; Hb 13:12; Ap 19:14

1-3 Ver Ellen G. White sobre Ap 7:2,3.
1-4 Um sinal do caráter. Esta passagem bíblica apresenta o caráter do povo de Deus nestes últimos dias (Ms 139, 1903).
O sinete do Céu. João viu um Cordeiro em pé sobre o monte Sião e, com Ele, os 144 mil, tendo na fronte escrito o Seu nome e o nome de Seu Pai. Eles portavam o sinete do Céu. Refletiam a imagem de Deus. Estavam cheios da luz e da glória do Santo. Se queremos ter a imagem e a inscrição de Deus sobre nós, precisamos nos separar de toda iniquidade. Precisamos abandonar todo caminho mau e, então, colocar nosso caso nas mãos de Cristo. Enquanto estivermos desenvolvendo nossa salvação com temor e tremor, Deus efetuará em nós tanto o querer como o realizar, segundo a Sua boa vontade (RH, 19/03/1889).
Cristo formado na alma. Por que eles foram destacados de maneira tão particular? Porque tiveram de se colocar, com uma verdade maravilhosa, diante do mundo todo e receber sua oposição. Enquanto recebiam essa oposição, deviam se lembrar de que eram filhos e filhas de Deus e que deviam ter Cristo formado dentro de si como a esperança da glória (Ms 13, 1888).
Os interesses eternos são supremos. Aqueles que têm na fronte o selo do Deus infinito considerarão o mundo e suas atrações como sendo subordinados aos interesses eternos (RH, 13/07/1897).
A identidade dos 144 mil. Cristo diz que haverá na igreja pessoas que apresentarão fábulas e suposições, quando Deus deu verdades grandes, inspiradoras e enobrecedoras, as quais devem ser sempre conservadas no depósito da mente. Quando as pessoas apanham esta e aquela teoria, quando são curiosas de saber alguma coisa que não lhes é necessário saber, Deus não as está conduzindo. Não é plano dEle que Seu povo apresente alguma coisa que eles supõem, a qual não é ensinada na Palavra de Deus. Não é Sua vontade que eles se metam em discussões acerca de questões que não os ajudam espiritualmente, tais como: Que pessoas vão constituir os cento e quarenta e quatro mil? Isto, aqueles que forem os eleitos de Deus hão de sem dúvida, saber em breve. Meus irmãos e irmãs, apreciai e estudai as verdades que Deus vos tem dado, a vós e a vossos filhos. Não gasteis o tempo buscando saber aquilo que não vos será de proveito espiritual. “Que farei para herdar a vida eterna?” (Lc 10:25). Esta é a pergunta de suprema importância, e ela foi claramente respondida. “Que está escrito na lei? Como lês?” (ME1, 174, 175).
4 O povo que segue o Cordeiro. O Senhor tem na Terra um povo que segue o Cordeiro aonde quer que vá. Ele tem os Seus milhares que não dobraram os joelhos diante de Baal. Esses estarão com Ele em pé no monte Sião. Mas, aqui na Terra, eles têm de estar revestidos de toda a armadura, prontos para empenhar-se na obra de salvar os que estão prestes a perecer. Os anjos celestiais conduzem essa busca, e é requerido de todos os que creem na verdade presente que sejam espiritualmente ativos, para que possam se unir aos anjos nessa obra. Não precisamos esperar até que sejamos trasladados, para então seguir a Cristo. O povo de Deus deve fazer isso aqui mesmo. Só havemos de seguir o Cordeiro nos átrios celestiais, se O seguirmos aqui. O segui-Lo no Céu depende de nossa observância dos mandamentos agora. Não devemos seguir a Cristo intermitente ou caprichosamente, apenas quando é para nossa vantagem. Devemos decidir segui-Lo. Na vida diária devemos seguir Seu exemplo, como um rebanho segue, confiante, seu pastor. Devemos segui-Lo mesmo sofrendo por Sua causa, e dizendo a cada passo: “Ainda que Ele me mate, nEle confiarei” (Jó 13:15). A prática de Sua vida deve ser a prática da nossa. Ao buscarmos ser semelhantes a Ele e ao depositar nossa vontade em conformidade com a Sua, havemos de revelá-Lo (RH, 12/04/1898; LC [MM 1968], 298).
5 Ver Ellen G. White sobre 2Ts 2:7-12.
6 Lei e evangelho de mãos dadas. Se queremos ter o espírito da terceira mensagem angélica, temos de apresentar a lei e o evangelho juntos, pois eles andam de mãos dadas (Ev 232.1).
6-12 Logo será entendida. Apocalipse 14 é um capítulo do mais profundo interesse. Esta passagem logo será entendida em todo o seu alcance, e as mensagens dadas a João, o revelador, serão repetidas com clareza (RH, 13/10/1904).
Identificando os três anjos. Cristo virá segunda vez com poder para salvar. Tendo em vista preparar os seres humanos para esse evento, Ele enviou as mensagens do primeiro, segundo e terceiro anjos. Estes anjos representam aqueles que recebem a verdade e, com poder, abrem o evangelho diante do mundo (VA, 247).
Pessoas leais. As igrejas se transformaram naquilo que é descrito em Apocalipse 18. Por que foram dadas as mensagens de Apocalipse 14? Porque os princípios das igrejas se tornaram corruptos. [Citado Ap 14:6-10.] Aparentemente o mundo inteiro é culpado de receber a marca da besta. Mas o profeta vê um grupo de pessoas que não estão adorando a besta, e que não receberam sua marca na fronte ou na mão. Ele declara: “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Ms 92, 1904).
Milhares aceitam a verdade. O tempo dos destruidores juízos divinos será um tempo de misericórdia para os que ainda não tiveram oportunidade de aprender que é a verdade. O Senhor olhará ternamente para eles. Seu coração de misericórdia se comove; Sua mão ainda está estendida para salvar, ao passo que a porta se fecha para os que não querem entrar. Será acolhido grande número de pessoas que nestes últimos dias ouvirão a verdade pela primeira vez (Este Dia com Deus [MM 1980], 161).
7 Dar glória a Deus. Dar glória a Deus é revelar o caráter dEle por meio do nosso e, assim, torná-Lo conhecido. Qulquer que seja a maneira em que revelemos o Pai ou o Filho, estamos glorificando a Deus (Ms 16, 1890).
8 Embriagados com o vinho de Babilônia. Deus denuncia Babilônia porque “tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição. ” Isto significa que ela desconsiderou o único mandamento que aponta para o Deus verdadeiro e derrubou o sábado, o memorial divino da criação. Deus fez o mundo em seis dias e descansou no sétimo, santificando esse dia e separando-o de todos os outros como consagrado a Ele, para que fosse observado por Seu povo durante todas as suas gerações. Mas o homem do pecado, exaltando-se acima de Deus, assentando-se no templo de Deus e ostentando-se como se fosse o próprio Deus, cuidou em mudar os tempos e as leis. Este poder, pretendia provar que não somente era igual a Deus, mas que estaria acima de Deus. Assim, mudou o dia de repouso, colocando o primeiro dia da semana onde deveria estar o sétimo. E o mundo protestante adotou este filho do papado, considerando-o sagrado. Na Palavra de Deus, isto é chamado de sua fornicação. Deus tem uma controvérsia com as igrejas de hoje. Elas estão cumprindo a profecia de João: “Pois todas as nações têm bebido do vinho do furor da sua prostituição” (Ap 18:3). Divorciaram-se de Deus ao se recusarem receber Seu sinal. Não têm o espírito do verdadeiro povo de Deus observador dos mandamentos. Os habitantes do mundo, ao darem sua sanção a um falso dia de repouso e ao calcarem a pés o sábado do Senhor, beberam do vinho do furor da sua prostituirão (Carta 98, 1900; EF, 123).
Quem é Babilônia. As igrejas denominacionais caídas é que são Babilônia. Babilônia tem estado a promover doutrinas venenosas, o vinho do erro. Este vinho do erro é composto de doutrinas falsas, tais como a imortalidade natural da alma, o tormento eterno dos ímpios, a negação da pré-existência de Cristo antes de Seu nascimento em Belém, a defesa e exaltação do primeiro dia da semana acima do santo e santificado dia de Deus. Estes erros e outros semelhantes são apresentados ao mundo pelas várias igrejas, e assim se cumprem as Escrituras, que dizem: “Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua prostituição” (TS2 362.3).
9-12 A verdadeira questão no conflito final. É do interesse de todos que compreendam o que é a marca da besta e como podem escapar das terríveis ameaças de Deus. Por que os homens não estão interessados em saber o que constitui a marca da besta e da sua imagem? Ela está em contraste direto com o sinal de Deus. [Citado Ex 31:12-17]. A questão do dia de repouso será o tema de controvérsia no grande conflito em que o mundo todo tomará parte. [Citado Ap 13:4-8,10.] Este capítulo todo é uma revelação do que seguramente ocorrerá [citado Ap 13:11, 15-17] (Ms 88, 1897).
O que é a marca da besta? João foi convidado a contemplar um povo distinto dos que adoram a besta ou a sua imagem pela observância do primeiro dia da semana. A observância desse dia é a marca da besta (TM, 133).
Imagem e marca. A ‘imagem da besta’ representa a forma de protestantismo apóstata que se desenvolverá quando as igrejas protestantes buscarem o auxílio do poder civil para imposição de seus dogmas. Resta definir ainda o ‘sinal da besta’. Depois da advertência contra o culto à besta e sua imagem, declara a profecia: ‘Aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus, e a fé de Jesus.’ Visto os que guardam os mandamentos de Deus serem assim colocados em contraste com os que adoram a besta e sua imagem, e recebem o seu sinal, é claro que a guarda da lei de Deus, por um lado, e sua violação, por outro, deverão assinalar a distinção entre os adoradores de Deus e os da besta (GC 445-446).
Advertência contra a marca. A mensagem do terceiro anjo foi enviada ao mundo, advertindo as pessoas contra a recepção da marca da besta ou da sua imagem na fronte ou na mão. Receber esta marca significa tomar a mesma decisão que a besta e advogar as mesmas ideias que ela, em direta oposição à Palavra de Deus. Acerca de todos aqueles que recebem essa marca, Deus diz: “Também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da Sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro.” […] Se a luz da verdade é apresentada, revelando o sábado do quarto mandamento e mostrando que não há fundamento na Palavra de Deus para a observância do domingo, e se mesmo assim vocês se apegarem ao falso dia de repouso, recusando-se a guardar o sábado que Deus chama de “Meu santo dia”, então vocês receberão a marca da besta. Quando ocorrerá isto? Quando vocês obedecerem ao decreto que lhes ordena deixar de trabalhar no domingo para adorar a Deus. Cientes de que não há uma só palavra na Bíblia que mostre ser o domingo outra coisa além de um dia comum de trabalho, vocês consentirão em receber a marca da besta e recusarão o selo de Deus (Mar [MM 1977], 209). Se recebermos esta marca em nossa fronte ou em nossa mão, os juízos pronunciados contra os desobedientes cairão também sobre nós. Mas o selo do Deus vivo é colocado sobre aqueles que conscientemente guardam o sábado do Senhor (RH, 13/07/1897).
Questão de vida ou morte. Esta mensagem [terceira] engloba as duas mensagens precedentes. Ela é representada como sendo dada em “grande voz”, isto é, com o poder do Espírito Santo. Tudo agora está em jogo. A mensagem do terceiro anjo deve ser considerada da maior importância. Ela é uma questão de vida ou morte. A impressão causada por esta mensagem será proporcional ao fervor e à solenidade com que for proclamada (Ms 16, 1900).
Não é um sinal visível. Na questão da grande disputa, formam-se dois grupos: os que adoram “a besta e a sua imagem”, e recebem sua marca, e os que recebem o selo do Deus vivo, que têm “escrito na fronte […] o nome” do Pai. Este não é um sinal visível (ST, 01/11/1899).
O tempo de prova esclarece a questão. Quando vier a prova, será mostrado claramente o que é a marca da besta. Ela é a observância do domingo. Aqueles que, depois de terem ouvido a verdade, continuarem a considerar esse dia como santo receberão o sinal do homem do pecado, que cuidaria em mudar os tempos e as leis (EF, 224; Carta 12,1900).
Braço direito. A reforma de saúde, foi-me mostrado, é parte da terceira mensagem angélica, e está com ela tão intimamente relacionada como está o braço e a mão com o corpo humano (CRA 33.1).
10 Ver Ellen G. White sobre Gn 6:17; Mt 27:21, 22, 29.
12 O povo que leva o nome de Deus. Quem são esses? O povo que leva o nome de Deus, aqueles que, na Terra, testificaram & sua lealdade a Ele. Quem são eles? Os que guardaram os mandamentos de Deus 11 de Jesus; os que têm o Crucificado como seu Salvador (NAV [MM 1962], 343).
O que é o sinal de Deus? O sinal da obediência é a observância do sábado do quarto mandamento. Se as pessoas observarem o quarto mandamento observarão todo o restante (TM, 134).
O sinal do santo sábado. Deve haver um sinal aposto ao povo de Deus, e esse sinal é a guarda do Seu santo sábado (LC [MM 1968], 150).
Leais a quem? Deus declarou que tem muito significado o fato de alguém descartar a Palavra do Deus vivo e aceitar as afirmações daqueles que procuram mudar os tempos e a lei. [Citado Êx 31:12-17], Aqueles que, em face dessas especificações, se recusarem a arrepender-se de suas transgressões compreenderão o resultado da desobediência. Precisamos individualmente perguntar: Ao observar um dia de repouso, estaria derivando minha fé de uma representação falsa da verdade ou das Escrituras? Todo aquele que se apega a uma aliança divina e eterna, feita e apresentada a nós como sinal e marca do governo de Deus, liga-se à áurea corrente da obediência, da qual cada elo é uma promessa. Demonstra que considera a Palavra de Deus como estando acima da palavra de homens, e o amor de Deus como sendo preferível ao amor humano. Aqueles que se arrependem da transgressão e se voltam à lealdade, aceitando o sinal de Deus, mostram ser súditos fiéis, prontos a fazer a Sua vontade e a obedecerem os mandamentos. A verdadeira observância do sábado é um sinal de lealdade a Deus (Ms 63, 1899).
Fidelidade cresce na emergência. Em Apocalipse 14, João descreve outra cena. Ele vê um povo cuja fidelidade e lealdade às leis do reino crescem em situações de emergência. O desprezo mostrado para com a lei de Deus só os faz revelar mais decididamente ainda seu amor por essa lei. O amor dos fiéis aumenta em face do desprezo à lei Por parte do mundo (Ms 163, 1897).
É tempo de lutar! Que ninguém ceda à tentação e se torne menos fervoroso em seu apego à lei de Deus devido ao desprezo com que ela é considerada; pois é precisamente isso que nos deverá fazer orar de todo o coração e com fervor: é tempo, Senhor, para intervires, pois a Tua lei está sendo violada” (SI 119:126). Portanto, não é por causa do desprezo geral que me tornarei um traidor, uma vez que Deus será grandemente glorificado e honrado pela minha lealdade. O quê?! Deveriam os adventistas do sétimo dia afrouxar sua devoção quando suas capacidades e faculdades deviam estar ao lado do Senhor; quando um testemunho inabalável, nobre e integro devia sair de seus lábios? “Amo os Teus mandamentos mais do que o ouro, mais do que o ouro refinado” (SI 119: 127). Quando a lei de Deus for grandemente ridicularizada e levada ao maior desprezo, então é tempo para todos os fiéis seguidores de Cristo, que entregaram o coração a Deus e estão decididos a obedecer-Lhe, colocarem-se resolutamente em defesa da fé confiada aos santos. “Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o perverso, entre o que serve a Deus e o que não o serve” [Ml 3:18]. Quando os heróis forem mais necessários, será a hora de lutar (RH, 08/06/1897; FV [MM 2005/1959], 291).

Fé de Jesus. Os adventistas precisam colocar a fé de Jesus no lugar que lhe é devido: na terceira mensagem angélica. A lei ocupa posição importante, mas é impotente, a menos que a justiça de Cristo seja posta ao seu lado para emprestar sua glória so régio padrão de justiça (Ms 30, 1889). 
Fé em Jesus. A fé na capacidade de Cristo de nos salvar ampla, completa e totalmente é a fé de Jesus (Materiais 1888, 217.4)
13 Deus honra os idosos fiéis. Neste mundo vivem pessoas que passaram dos noventa anos de idade. Os resultados naturais da velhice se fazem notar em sua debilidade. Mas elas creem em Deus, e o Senhor as ama. O selo de Deus está nelas, as quais se encontrarão entre aqueles a cujo respeito o Senhor disse: “Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor” (EF, 223). Com Paulo, eles podem dizer: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a Sua vinda.” Há muitos cujos cabelos grisalhos Deus honra porque eles combateram o bom combate e guardaram a fé (Carta 207, 1899).