Escolha uma Página

Apocalipse 18

Almeida Antiga - IBC

1 Depois destas coisas, vi descer do céu outro anjo, que tinha grande autoridade, e a terra foi iluminada com a sua glória.
2 E ele clamou com voz forte, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e guarida de todo espírito imundo, e guarida de toda ave imunda e detestável.
3 Porque todas as nações têm bebido do vinho da ira da sua prostituição, e os reis da terra se prostituíram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias.
4 Ouvi outra voz do céu dizer: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não recebas de suas pragas.
5 Porque os seus pecados se acumularam até o céu, e Deus se lembrou das iniquidades dela.
6 Tornai a dar-lhe como também ela vos tem dado, e retribuí-lhe em dobro conforme as suas obras; no cálice em que vos deu de beber dai-lhe a ela em dobro.
7 Quanto ela se glorificou, e em delícias esteve, tanto lhe dai de tormento e de pranto; pois que ela diz em seu coração: Estou assentada como rainha, e não sou viúva, e de modo algum verei o pranto.
8 Por isso, num mesmo dia virão as suas pragas, a morte, e o pranto, e a fome; e será consumida no fogo; porque forte é o Senhor Deus que a julga.
9 E os reis da terra, que com ela se prostituíram e viveram em delícias, sobre ela chorarão e prantearão, quando virem a fumaça do seu incêndio;
10 e, estando de longe por medo do tormento dela, dirão: Ai! Ai da grande cidade, Babilônia, a cidade forte! Pois numa só hora veio o teu julgamento.
11 E sobre ela choram e lamentam os mercadores da terra; porque ninguém compra mais as suas mercadorias:
12 mercadorias de ouro, de prata, de pedras preciosas, de pérolas, de linho fino, de púrpura, de seda e de escarlata; e toda espécie de madeira odorífera, e todo objeto de marfim, de madeira preciosíssima, de bronze, de ferro e de mármore;
13 e canela, especiarias, perfume, mirra e incenso; e vinho, azeite, flor de farinha e trigo; e gado, ovelhas, cavalos e carros; e escravos, e até almas de homens.
14 Também os frutos que a tua alma cobiçava foram-se de ti; e todas as coisas delicadas e suntuosas se foram de ti, e nunca mais se acharão.
15 Os mercadores destas coisas, que por ela se enriqueceram, ficarão de longe por medo do tormento dela, chorando e lamentando,
16 dizendo: Ai! Ai da grande cidade, da que estava vestida de linho fino, de púrpura, de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas, e pérolas! Porque numa só hora foram assoladas tantas riquezas.
17 E todo piloto, e todo o que navega para qualquer porto e todos os marinheiros, e todos os que trabalham no mar se puseram de longe;
18 e, contemplando a fumaça do incêndio dela, clamavam: Que cidade é semelhante a esta grande cidade?
19 E lançaram pó sobre as suas cabeças, e clamavam, chorando e lamentando, dizendo: Ai! Ai da grande cidade, na qual todos os que tinham naus no mar se enriqueceram em razão da sua opulência! Porque numa só hora foi assolada.
20 Exulta sobre ela, ó céu, e vós, santos e apóstolos e profetas; porque Deus vindicou a vossa causa contra ela.
21 Um forte anjo levantou uma pedra, qual uma grande mó, e lançou-a no mar, dizendo: Com igual ímpeto será lançada Babilônia, a grande cidade, e nunca mais será achada.
22 E em ti não se ouvirá mais o som de harpistas, de músicos, de flautistas e de trombeteiros; e nenhum artífice de arte alguma se achará mais em ti; e em ti não mais se ouvirá ruído de mó;
23 e luz de candeia não mais brilhará em ti, e voz de noivo e de noiva não mais em ti se ouvirá; porque os teus mercadores eram os grandes da terra; porque todas as nações foram enganadas pelas tuas feitiçarias.
24 E nela se achou o sangue dos profetas, e dos santos, e de todos os que foram mortos na terra.

Referências Cruzadas

1 Ap 17:1; Ez 43:2
2 Is 13:19; Is 21:9; Jr 51:8; Ap 14:8; Is 13:21; Is 21:8; Is 34:14; Jr 50:39; Jr 51:37; Is 14:23; Is 34:11; Mc 5:2; Mc 5:3
3 Ap 14:8; Ap 17:2; Ap 18:11; Ap 18:15; Is 47:15
4 Is 48:20; Is 52:11; Jr 50:8; Jr 51:6; Jr 51:45; 2Co 6:17
5 Gn 18:20; Gn 18:21; Jr 51:9; Jo 1:2; Ap 16:19
6 Sl 137:8; Jr 50:15; Jr 50:29; Jr 51:24; Jr 51:49; 2Tm 4:14; Ap 13:10; Ap 14:10; Ap 16:19; Hc 2:16
7 Ez 28:2; Is 47:7; Is 47:8; Sf 2:15
8 Ap 18:10; Is 47:9; Ap 17:16; Jr 50:34; Ap 11:17
9 Ap 18:3; Ez 26:16; Ez 26:17; Ap 18:2; Jr 50:46; Ap 18:18; Ap 19:3
10 Is 21:9; Ap 14:8; Ap 18:17; Ap 18:19
11 Ap 18:3; Ez 27:27-36
12 Ap 17:4
13 Ez 27:13
15 Ap 18:3; Ap 18:11
16 Ap 17:4
17 Ap 18:10; Is 23:14; Ez 27:29
18 Ap 18:9; Ez 27:30; Ez 27:31; Ap 13:4
19 Js 7:6; 1Sm 4:12; Jó 2:12; Ez 27:30; Ap 18:8
20 Is 44:23; Is 49:13; Jr 51:48; Lc 11:49; Lc 11:50
21 Jr 51:64; Ap 12:8; Ap 16:20
22 Is 24:8; Jr 7:34; Jr 16:9; Jr 25:10; Ez 26:13
23 Jr 25:10; Jr 7:34; Jr 16:9; Jr 25:10; Jr 33:11; Is 23:8; 2Rs 9:22; Na 3:4; Ap 17:2
24 Ap 17:6; Jr 51:49

1 O anjo de Apocalipse 18 As profecias de Apocalipse 18 logo se cumprirão. Durante a proclamação da mensagem do terceiro anjo, descerá “do céu outro anjo”, que terá “grande autoridade”, e a Terra se iluminará “com a sua glória”. O Espírito do Senhor abençoará tão graciosamente os consagrados instrumentos humanos, que homens, mulheres e crianças abrirão os lábios em louvor e ações de graça, enchendo a Terra com o conhecimento de Deus e com Sua insuperável glória, como as águas cobrem o mar.
Os que guardarem até ao fim sua confiança inicial [Hb 3:14] estarão bem despertos durante o tempo em que a mensagem do terceiro anjo for proclamada com grande poder (Mar [MM 1977], 216).
A mensagem prepara para a trasladação. Entre os clamores que causam perplexidade: “Eis que Cristo está aqui! Eis que Cristo está ali!”, será apresentado um testemunho especial, uma especial mensagem de verdade apropriada para este tempo, a qual deve ser recebida, crida e posta em prática. É a verdade, não ideias fantasiosas, que tem eficácia. A verdade eterna da Palavra sobressairá livre de toda forma de erros sedutores e interpretações espiritualistas, livre de todos os quadros atrativos e fantasiosos. A atenção do povo de Deus, insistentemente, serão apresentadas falsidades, mas a verdade deve permanecer ornada de seus belos e puros trajes. A Palavra, preciosa em sua influência santa e própria para elevar, não deve ser degradada ao nível dos assuntos comuns e ordinários. Deve permanecer sempre isenta das falácias com que Satanás procura enganar, se possível os próprios eleitos (ME2, 24).
A proclamação do evangelho é o único meio no qual Deus pode empregar seres humanos como seus instrumentos para salvação de pessoas. À medida que homens, mulheres e crianças proclamarem o evangelho, o Senhor abrirá os olhos dos cegos para verem Seus estatutos, e escreverá Sua lei no coração dos que verdadeiramente se arrependerem. O vivificante Espírito de Deus, trabalhando por meio de agentes humanos, leva os crentes a ter uma só mente e um só coração a amar, unidos, a Deus e a guardar os Seus mandamentos, preparando-se assim, aqui na terra, para a trasladação (RH, 13/10/1904).
O refrigério da chuva serôdia. Ao se aproximarem do período de sua luta final, “o tempo da angústia de Jacó”, os membros do corpo de Cristo crescerão nEle e partilharão grandemente de Seu Espírito. A medida que a terceira mensagem se avoluma e se torna um alto clamor, e que a obra final é acompanhada de grande poder e glória, o fiel povo de Deus participa dessa glória. É a chuva serôdia que os vivifica e fortalece para passar pelo tempo de angústia. Seus rostos brilharão com a glória daquela luz que acompanha a mensagem do terceiro anjo (RP [MM 1999], 342).
Condição para a chuva serôdia. Cumpre-nos remediar os defeitos de caráter, purificar de toda a contaminação o templo da alma. Então a chuva serôdia cairá sobre nós, como caiu a temporã sobre os discípulos no dia de Pentecostes (EF 192.3).
Muitos adventistas tomam posição contra a luz. Nas igrejas [adventistas do sétimo dia] deverá haver admirável manifestação do poder de Deus, mas ela não influirá sobre os que não se têm humilhado diante do Senhor, abrindo a porta do coração pela confissão e arrependimento. Na manifestação desse poder que ilumina a Terra com a glória de Deus, eles só verão alguma coisa que, em sua cegueira, consideram perigosa, alguma coisa que despertará os seus receios, e se disporão a resistir-lhe. Visto que o Senhor não age de acordo com suas ideias e expectativas, eles combaterão a obra. “Por que — dizem eles — não reconheceríamos o Espírito de Deus, se temos estado na obra por tantos anos?” (EF 209.3).

A mensagem do terceiro anjo não será compreendida, e a luz que iluminará a Terra com sua glória será chamada de falsa luz pelos que recusam andar em sua glória progressiva (EF 210.1).
Não se deve esperar pela chuva serôdia . Não devemos esperar pela chuva serôdia. Ela está vindo sobre todos os que reconhecerem o orvalho e os chuveiros da graça que caem sobre nos e que se apropriam deles. Quando recolhermos os fragmentos de luz, quando apreciarmos as seguras misericórdias de Deus, o qual deseja que nEle confiemos, então toda promessa se cumprirá [citado Is 61:11.] A Terra inteira se encherá da glória de Deus (Carta 151, 1897).
Revelação da justiça de Cristo. O tempo de prova está exatamente diante de nós, pois o alto clamor do terceiro anjo já começou na revelação da justiça de Cristo, o redentor que perdoa os pecados. Este é o princípio da luz do anjo cuja glória há de encher a Terra (ME1, 362, 363).
1-5 Todos os poderes do mal atuarão. Assim como Deus chamou os filhos de Israel para sair do Egito, para que pudessem guardar Seu sábado, Ele também chama Seu povo para sair de Babilônia, para que não adorem a besta nem sua imagem. O homem do pecado, que pensou em mudar os tempos e as leis, exaltou-se acima de Deus ao apresentar ao mundo um falso dia de repouso. O mundo cristão aceitou esse filho do papado e, ao embalá-lo e acalentá-lo, desafia a Deus, ao remover o monumento comemorativo da criação para estabelecer um dia de repouso rival.
Depois que a verdade for proclamada como testemunho a todas as nações, todo poder concebível do mal entrará em ação. Então, as pessoas ficarão confundidas por muitas vozes clamando: ‘Eis aqui o Cristo!’, ‘Ei-lo ali!’, ‘Isto é verdade’, ‘Tenho uma mensagem de Deus’, ‘Ele me enviou com grande luz’. Serão removidos então os marcos, e será feita uma tentativa para demolir as colunas de nossa fé. Será feito o mais decidido esforço para exaltar o falso dia de repouso e para lançar ignomínia sobre o próprio Deus, suplantando o dia que Ele abençoou e santificou. Esse falso dia de repouso será imposto por uma lei opressiva.
Satanás e seus anjos estão bem despertos e intensamente ativos, trabalhando com energia e perseverança por meio de instrumentalidades humanas a fim de efetuar seu propósito de obliterar o conhecimento de Deus da mente das pessoas. Enquanto Satanás estiver operando com seus prodígios da mentira, se cumprirá o tempo predito no Apocalipse, e o poderoso anjo que iluminará a Terra com sua glória proclamará o povo de Deus a abandoná-la (ME3, 406, 407).
mandamento, e tem repetido a mentira que Satanás disse no princípio a Eva no Éden: a imortalidade natural da alma. Muitos erros semelhantes tem ela propagado por toda parte, “ensinando doutrinas que são preceitos de homens” (Mt 15:9).
Dois chamados às igrejas Quando Jesus começou Seu ministério público, purificou o templo de sua sacrílega profanação. Entre os últimos atos de Seu ministério estava a segunda purificação do templo. Assim, na última obra de advertência ao mundo, dois chamados distintos são feitos às igrejas. A mensagem do segundo anjo é: “Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição” (Ap 14:8). No alto clamor da mensagem do terceiro anjo, ouve-se uma voz do Céu, dizendo: “Retirai-vos dela, povo Meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos; porque os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus Se lembrou dos atos iníquos que ela praticou” (Ap 18:4, 5; ME2, 118).
Três mensagens a serem combinadas. As mensagens dos três anjos devem ser combinadas, dando ao mundo sua tríplice luz. No Apocalipse, João declara: “Vi descer do Céu outro anjo, que tinha grande autoridade, e a Terra se iluminou com a sua glória” (Ap 18:1). [Citado Ap 18:2-5.] Isto representa a transmissão da última e tríplice mensagem de advertência ao mundo (Ms 52, 1900; Mar [MM 1977], 171).
1-8 O perigo de alianças terrenas. Este terrível quadro traçado por João mostra quão completamente os poderes da Terra se entregarão ao mal. Ele deve mostrar àqueles que receberam a verdade quão perigoso é afiliar-se a sociedades secretas ou unir-se, de qualquer maneira que seja, àqueles que não guardam os mandamentos de Deus (Ms 135, 1902).
3-7 Ver Ellen G. White sobre 1Jo 2:18.