Atos 8

Almeida Antiga - IBC

Perseguição e dispersão dos discípulos
1 Naquele dia levantou-se grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judeia e da Samaria.
2 E uns homens piedosos sepultaram a Estêvão, e fizeram grande pranto sobre ele.
3 Saulo porém, assolava a igreja, entrando pelas casas e, arrastando homens e mulheres, os entregava à prisão.
4 No entanto os que foram dispersos iam por toda parte, anunciando a palavra.
5 E descendo Filipe à cidade de Samaria, pregava-lhes a Cristo.
6 As multidões escutavam, unânimes, as coisas que Filipe dizia, ouvindo-o e vendo os sinais que operava;
7 pois saíam de muitos possessos os espíritos imundos, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos foram curados;
8 pelo que houve grande alegria naquela cidade.

Simão, o mágico

9 Ora, estava ali certo homem chamado Simão, que vinha exercendo naquela cidade a arte mágica, fazendo pasmar o povo da Samaria, e dizendo ser ele uma grande personagem;
10 ao qual todos atendiam, desde o menor até o maior, dizendo: Este é o Poder de Deus que se chama Grande.
11 Eles o atendiam porque já desde muito tempo os vinha fazendo pasmar com suas artes mágicas.
12 Mas, quando creram em Filipe, que lhes pregava acerca do reino de Deus e do nome de Jesus, batizavam-se homens e mulheres.
13 E creu até o próprio Simão e, sendo batizado, ficou de contínuo com Filipe; e admirava-se, vendo os sinais e os grandes milagres que se faziam.

Pedro e João em Samaria

14 Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, tendo ouvido que os da Samaria haviam recebido a palavra de Deus, enviaram-lhes Pedro e João;
15 os quais, tendo descido, oraram por eles, para que recebessem o Espírito Santo.
16 Porque sobre nenhum deles havia ele descido ainda; mas somente tinham sido batizados em nome do Senhor Jesus.
17 Então lhes impuseram as mãos, e eles receberam o Espírito Santo.
18 Quando Simão viu que pela imposição das mãos dos apóstolos se dava o Espírito Santo, ofereceu-lhes dinheiro,
19 dizendo: Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu impuser as mãos, receba o Espírito Santo.
20 Mas disse-lhe Pedro: Vá tua prata contigo à perdição, pois cuidaste adquirir com dinheiro o dom de Deus.
21 Tu não tens parte nem sorte neste ministério, porque o teu coração não é reto diante de Deus.
22 Arrepende-te, pois, dessa tua maldade, e roga ao Senhor para que porventura te seja perdoado o pensamento do teu coração;
23 pois vejo que estás em fel de amargura, e em laços de iniquidade.
24 Respondendo, porém, Simão, disse: Rogai vós por mim ao Senhor, para que nada do que haveis dito venha sobre mim.

O diácono Filipe e o eunuco etíope

25 Eles, pois, havendo testificado e falado a palavra do Senhor, voltando para Jerusalém, evangelizavam muitas aldeias dos samaritanos.
26 Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Levanta-te, e vai em direção do sul pelo caminho que desce de Jerusalém a Gaza, o qual está deserto.
27 E levantou-se e foi; e eis que um etíope, eunuco, mordomo-mor de Candace, rainha dos etíopes, o qual era superintendente de todos os seus tesouros e tinha ido a Jerusalém para adorar,
28 regressava e, sentado no seu carro, lia o profeta Isaías.
29 Disse o Espírito a Filipe: Chega-te e ajunta-te a esse carro.
30 E correndo Filipe, ouviu que lia o profeta Isaías, e disse: Entendes, porventura, o que estás lendo?
31 Ele respondeu: Pois como poderei entender, se alguém não me ensinar? E rogou a Filipe que subisse e com ele se sentasse.
32 Ora, a passagem da Escritura que estava lendo era esta: Foi levado como a ovelha ao matadouro, e, como um cordeiro mudo perante o seu tosquiador, assim ele não abriu a sua boca.
33 Na sua humilhação foi tirado o seu julgamento; quem declarará a sua geração? Porque a sua vida é tirada da terra.
34 Respondendo o eunuco a Filipe, disse: Rogo-te, de quem diz isto o profeta? De si mesmo, ou de algum outro?
35 Então Filipe tomou a palavra e, começando por esta escritura, anunciou-lhe a Jesus.
36 E indo eles caminhando, chegaram a um lugar onde havia água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado?
37 E disse Felipe: é lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.
38 Então, mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e Filipe o batizou.
39 Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, e não o viu mais o eunuco, que jubiloso seguia o seu caminho.
40 Mas Filipe achou-se em Azoto e, indo passando, evangelizava todas as cidades, até que chegou a Cesareia.

Referências Cruzadas

1 At 7:58; At 22:20; At 11:19
2 Gn 23:2; Gn 50:10; 2Sm 3:31
3 At 7:58; At 9:1; At 9:13; At 9:21; At 22:4; At 26:9-11; 1Co 15:9; Gl 1:13; Fp 3:6; 1Tm 1:13
4 Mt 10:23; At 11:19
5 At 6:5
6 Ef 3:8-9
7 Mc 16:17
9 At 13:6; At 5:36
12 At 1:3
15 At 2:38
16 At 19:2; Mt 28:19; At 2:38; At 10:48; At 19:5
17 At 6:6; At 19:6; Hb 6:2
20 Mt 10:8; 2Rs 5:16; At 2:38; At 10:45; At 11:17
22 Dn 4:27; 2Tm 2:25
23 Hb 12:15
24 Gn 20:7; Gn 20:17; Ex 8:8; Nm 21:7; 1Rs 13:6; Jó 42:8; Tg 5:16
27 Sf 3:10; Jo 12:20
32 Is 53:7; Is 53:8
35 Lc 24:27; At 18:28
36 At 10:47
37 Mt 28:19; Mc 16:16; Mt 16:16; Jo 6:69; Jo 9:35; Jo 9:38; Jo 11:27; At 9:20; 1Jo 4:15; 1Jo 5:5; 1Jo 5:13
39 1Rs 18:12; 2Rs 2:16; Ez 3:12; Ez 3:14

4 Ver Ellen G. White sobre At 18:2.
1 Por que Deus permitiu a perseguição. Esquecidos de que a fortaleza para resistir ao mal é melhor obtida pelo trabalho intenso, começram a pensar que não havia para eles trabalho tão importante como o de escudar a igreja de Jerusalém dos ataques do inimigo. Em lugar de instruir os novos conversos para levarem o evangelho aos que ainda não o haviam ouvido, estavam em perigo de tomar um caminho que os levria a se sentirem satisfeitos com o que já tinha sido alcançado. A fim de espalhar Seus representantes por outras partes do mundo, de maneira que pudessem trabalhar por outros, Deus permitiu que lhes sobreviesse a perseguição (AA 58.2).
9-24 Nero patrocinava a Simão. Por muitos anos, os apóstolos Paulo e Pedro estiveram bastante distanciados em seu trabalho, sendo que a atividade de Paulo era levar o evangelho aos gentios, enquanto Pedro trabalhava especialmente pelos judeus. Contudo, na providência de Deus, ambos deviam testemunhar de Cristo na metrópole do mundo, e sobre seu solo ambos deviam derramar o sangue, como semente de uma vasta colheita de santos e mártires.
Cerca do tempo do segundo aprisionamento de Paulo, Pedro também foi preso […] Tinha se tornado especialmente odioso às autoridades por seu zelo e êxito em expor os enganos e desfazer a trama de Simão, o Mago, o encantador, que o seguira a Roma a fim de se opor a ele e de impedir a obra do evangelho. Nero, que era crente em magias, patrocinava Simão. Ficou assim grandemente exasperado contra o apóstolo e, dessa maneira, foi levado a ordenar sua prisão (HR, 314).
10. Tão poderosa será a personificação de Cristo por Satanás. É este o poderoso engano, quase invencível. Semelhantes aos samaritanos que foram enganados por Simão Mago, as multidões, desde o menor até o maior, dão crédito a esses enganos, dizendo: “Esta é a grande virtude de Deus.” Atos 8:10 (GC 624.2).
27 Um exemplo de obediência. Quando Deus indicou para Filipe sua obra, o discípulo não falou: “O Senhor não quer dizer isso”. Não; “ele se levantou e foi” (At 8:26). Havia aprendido a lição da conformidade com a vontade divina. Compreendia que toda alma é preciosa aos olhos de Deus, e que anjos são enviados para colocar os que estão buscando luz em contato com os que podem ajudá-los.
Hoje, como naquele tempo, anjos estão esperando para guiar seres humanos ao seu próximo. Na experiência de Filipe e do etíope é apresentada a obra à qual o Senhor chama Seu povo (RH, 02/03/1911).