Deuteronômio 15

Almeida Antiga - IBC

O ano da remissão
1 Ao fim de cada sete anos farás remissão.
2 E este é o modo da remissão: todo credor remitirá o que tiver emprestado ao seu próximo; não o exigirá do seu próximo ou do seu irmão, pois a remissão do Senhor é apregoada.
3 Do estrangeiro poderás exigi-lo; mas o que é teu e estiver em poder de teu irmão, a tua mão o remitirá.
4 Contudo não haverá entre ti pobre algum (pois o Senhor certamente te abençoará na terra que o Senhor teu Deus te dá por herança, para a possuíres),
5 contanto que ouças diligentemente a voz do Senhor teu Deus para cuidares em cumprir todo este mandamento que eu hoje te ordeno.
6 Porque o Senhor teu Deus te abençoará, como te prometeu; assim, emprestarás a muitas nações, mas não tomarás empréstimos; e dominarás sobre muitas nações, porém elas não dominarão sobre ti.
7 Quando no meio de ti houver algum pobre, dentre teus irmãos, em qualquer das tuas cidades na terra que o Senhor teu Deus te dá, não endurecerás o teu coração, nem fecharás a mão a teu irmão pobre;
8 antes lhe abrirás a tua mão, e certamente lhe emprestarás o que lhe falta, quanto baste para a sua necessidade.
9 Guarda-te, que não haja pensamento vil no teu coração e venhas a dizer: Vai-se aproximando o sétimo ano, o ano da remissão; e que o teu olho não seja maligno para com teu irmão pobre, e não lhe dês nada; e que ele clame contra ti ao Senhor, e haja em ti pecado.
10 Livremente lhe darás, e não fique pesaroso o teu coração quando lhe deres; pois por esta causa te abençoará o Senhor teu Deus em toda a tua obra, e em tudo no que puseres a mão.
11 Pois nunca deixará de haver pobres na terra; pelo que eu te ordeno, dizendo: Livremente abrirás a mão para o teu irmão, para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra.
12 Se te for vendido um teu irmão hebreu ou irmã hebreia, seis anos te servirá, mas na sétimo ano o libertarás.
13 E, quando o libertares, não o deixarás ir de mãos vazias;
14 liberalmente o fornecerás do teu rebanho, e da tua eira, e do teu lagar; conforme o Senhor teu Deus tiver abençoado te darás.
15 Pois lembrar-te-ás de que foste servo na terra do Egito, e de que o Senhor teu Deus te resgatou; pelo que eu hoje te ordeno isso.
16 Mas se ele te disser: Não sairei de junto de ti; porquanto te ama a ti e a tua casa, por estar bem contigo;
17 então tomarás uma sovela, e lhe furarás a orelha contra a porta, e ele será teu servo para sempre; e também assim farás à tua serva.
18 Não seja duro aos teus olhos de teres de libertá-lo, pois seis anos te prestou serviço equivalente ao dobro do salário dum mercenário; e o Senhor teu Deus te abençoará em tudo o que fizeres.
19 Todo primogênito que nascer das tuas vacas e das tuas ovelhas santificarás ao Senhor teu Deus; com o primogênito do teu boi não trabalharás, nem tosquiarás o primogênito das tuas ovelhas.
20 Perante o Senhor teu Deus os comerás, tu e a tua casa, de ano em ano, no lugar que o Senhor escolher.
21 Mas se nele houver algum defeito, como se for coxo, ou cego, ou tiver qualquer outra deformidade, não o sacrificarás ao Senhor teu Deus.
22 Nas tuas portas o comerás; o imundo e o limpo igualmente o comerão, como da gazela ou do veado.
23 Somente do seu sangue não comerás; sobre a terra o derramarás como água.

Referências Cruzadas

1 Ex 21:2; Ex 23:10; Ex 23:11; Lv 25:2; Lv 25:4; Dt 31:10; Jr 34:14
3 Dt 23:20
4 Dt 28:8
5 Dt 28:1
6 Dt 28:12; Dt 28:44; Dt 28:13; Pv 22:7
7 1Jo 3:17
8 Lv 25:35; Mt 5:42; Lc 6:34; Lc 6:35
9 Dt 28:54; Dt 28:56; Pv 23:6; Pv 28:22; Mt 20:15; Dt 24:15; Mt 25:41; Mt 25:42
10 2Co 9:5; 2Co 9:7; Dt 14:29; Dt 24:19; Sl 41:1; Pv 22:9
11 Mt 26:11; Mc 14:7; Jo 12:8
12 Ex 21:2; Lv 25:39; Jr 34:14
14 Pv 10:22
15 Dt 5:15; Dt 16:12
16 Ex 21:5; Ex 21:6
18 Is 16:14; Is 21:16
19 Ex 13:2; Ex 34:19; Lv 27:26; Nm 3:13
20 Dt 12:5; Dt 12:6; Dt 12:7; Dt 12:17; Dt 14:23; Dt 16:11; Dt 16:14
21 Lv 22:20; Dt 17:1
22 Dt 12:15; Dt 12:22
23 Dt 12:16; Dt 12:23

11 Nenhum fio de egoísmo na trama da vida. Deuteronômio contém muitas instruções sobre o que a lei é para nós e sobre a relação que teremos com Deus ao reverenciarmos Sua lei e a obedecermos.
Somos servos de Deus e estamos fazendo Seu serviço. Na grande trama da vida, não devemos introduzir nenhum fio de egoísmo pois isso estragaria o desenho. Mas, oh, quão descuidadas podem ser as pessoas! Quão raramente fazem seus os interesses dos profundos desígnios de Deus! Os pobres estão por toda parte ao seu redor, mas elas passam por eles, descuidadas e indiferentes sem prestar atenção às viúvas e aos órfãos que, sem recursos, sofrem, mas não falam de suas necessidades. Se os ricos colocassem um pequeno fundo no banco à disposição dos necessitados, quanto sofrimento seria poupado! O santo amor de Deus devia levar cada um a ver que é seu dever cuidar de alguma outra pessoa, e assim manter vivo o espírito de benevolência. […] Com que bondade, misericórdia e amor Deus coloca Seus requisitos diante de Seus filhos, dizendo-lhes o que devem fazer. Ele nos honra ao nos tornar Sua mão ajudadora. Em vez de reclamar, regozijemo-nos por ter o privilégio de servir a um Senhor tão bom e misericordioso (Carta 112, 1902).