Deuteronômio 18

Almeida Antiga - IBC

Os direitos dos sacerdotes e dos levitas
1 Os levitas sacerdotes, e toda a tribo de Levi, não terão parte nem herança com Israel. Comerão das ofertas queimadas do Senhor e da herança dele.
2 Não terão herança no meio de seus irmãos; o Senhor é a sua herança, como lhes tem dito.
3 Este, pois, será o direito dos sacerdotes, a receber do povo, dos que oferecerem sacrifícios de boi ou de ovelha: o ofertante dará ao sacerdote a espádua, as queixadas e o bucho.
4 Ao sacerdote darás as primícias do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e as primícias da tosquia das tuas ovelhas.
5 Porque o Senhor teu Deus o escolheu dentre todas as tribos, para assistir e ministrar em nome do Senhor, ele e seus filhos, para sempre.
6 Se um levita, saindo de alguma das tuas cidades de todo o Israel em que ele estiver habitando, vier com todo o desejo da sua alma ao lugar que o Senhor escolher,
7 e ministrar em nome do Senhor seu Deus, como o fazem todos os seus irmãos, os levitas, que assistem ali perante o Senhor,
8 comerá porção igual à deles, fora a das vendas do seu patrimônio.
9 Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te dá, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos.
10 Não se achará no meio de ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro,
11 nem encantador, nem quem consulte um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos;
12 pois todo aquele que faz estas coisas é abominável ao Senhor, e é por causa destas abominações que o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti.
13 Perfeito serás para com o Senhor teu Deus.
14 Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os advinhadores; porém, quanto a ti, o Senhor teu Deus não te permitiu tal coisa.

A promessa de um grande profeta

15 O Senhor teu Deus te suscitará do meio de ti, dentre teus irmãos, um profeta semelhante a mim; a ele ouvirás;
16 conforme tudo o que pediste ao Senhor teu Deus em Horebe, no dia da assembleia, dizendo: Não ouvirei mais a voz do Senhor meu Deus, nem mais verei este grande fogo, para que não morra.
17 Então o Senhor me disse: Falaram bem naquilo que disseram.
18 Do meio de seus irmãos lhes suscitarei um profeta semelhante a ti; e porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar.
19 E de qualquer que não ouvir as minhas palavras, que ele falar em meu nome, eu exigirei contas.
20 Mas o profeta que tiver a presunção de falar em meu nome alguma palavra que eu não tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá.
21 E, se disseres no teu coração: Como conheceremos qual seja a palavra que o Senhor falou?
22 Quando o profeta falar em nome do Senhor e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é a palavra que o Senhor não falou; com presunção a falou o profeta; não o temerás.

Referências Cruzadas

1 Nm 18:20; Nm 26:62; Dt 10:9; Nm 18:8; Nm 18:9; 1Co 9:13
3 Lv 7:30-34; Ex 22:29; Nm 18:12; Nm 18:24
5 Ex 28:1; Nm 3:10; Dt 10:8; Dt 17:12
6 Nm 35:2; Nm 35:3; Dt 12:5
7 2Cr 31:2
8 2Cr 31:4; Ne 12:44; Ne 12:47
9 Lv 18:26; Lv 18:27; Lv 18:30; Dt 12:29; Dt 12:30; Dt 12:31
10 Lv 18:21; Dt 12:31; Lv 19:26; Lv 19:31; Lv 20:27; Is 8:19
11 Lv 20:27; 1Sm 28:7
12 Lv 18:24; Lv 18:25; Dt 9:4
13 Gn 17:1
15 Dt 18:18; Jo 1:45; At 3:22; At 7:37; Jo 5:45; Jo 6:14; 1Co 10:1; Mt 21:11
16 Dt 9:10; Ex 20:19; Hb 12:19
17 Dt 5:28
18 Dt 18:15; Jo 1:45; At 3:22; At 7:37; Is 51:16; Jo 17:8; Jo 4:25; Jo 8:28; Jo 12:49; Jo 12:50
19 At 3:23
20 Dt 13:5; Jr 14:14; Jr 14:15; Zc 13:3; Dt 13:1; Dt 13:2; Jr 2:8
22 Jr 28:9; Dt 13:2; Dt 18:20

10 Condenada a prova do fogo (Lv 18:21; 20:2, 3). Deus é um Legislador sábio e compassivo, e julga todos os casos retamente e sem parcialidade. Enquanto os israelitas estavam no cativeiro egípcio, estavam circundados pela idolatria. Os egípcios mantinham tradições com respeito ao oferecimento de sacrifícios. Não reconheciam a existência do Deus do Céu. Faziam sacrifícios a seus ídolos. Com grande pompa e cerimônia realizavam seu culto idólatra. Erigiam altares em honra a seus deuses e exigiam que até os próprios filhos passassem pelo fogo. Após terem erigido os altares, obrigavam os filhos a saltar sobre esses altares através do fogo. Se estes conseguissem fazê-lo sem se queimar, os sacerdotes idólatras e o povo consideravam isso uma evidência de que o deus havia aceitado as ofertas deles e favorecido de maneira especial a pessoa que passava pela prova de fogo. Ela era cumulada de benefícios, e daí em diante era grandemente estimada por todo o povo. Nunca se permitia que fosse punida, por mais graves que fossem seus crimes. Se outra pessoa que pulava através do fogo tivesse a infelicidade de se queimar, então seu destino estava traçado. Diante disso, eles achavam que os deuses estavam irados e não seriam apaziguados por meio de mais nada exceto a vida da infeliz vítima. Assim, ela era oferecida como sacrifício sobre seus altares idólatras.
Mesmo alguns dos filhos de Israel haviam se degradado a tal ponto que praticavam essas abominações, e Deus fazia com que o fogo se inflamasse sobre seus filhos, a quem eles faziam passar por ele. Não chegavam aos extremos das nações pagãs, mas Deus os privava de seus filhos fazendo com que o fogo os consumisse no ato de passarem através dele.
Devido ao fato de o povo de Deus ter ideias confusas sobre as ofertas de sacrifícios cerimoniais e por causa das tradições pagãs confundidas com o culto cerimonial, Deus decidiu dar-lhes instruções definidas, para que compreendessem a verdadeira importância desses sacrifícios que deviam durar apenas até que fosse morto o Cordeiro de Deus, que era o grande antítipo de todas as suas ofertas sacrificais (SG3, 303, 304).