Deuteronômio 26

Almeida Antiga - IBC

As primícias da terra
1 Também, quando tiveres entrado na terra que o Senhor teu Deus te dá por herança, e a possuíres, e nela habitares,
2 tomarás das primícias de todos os frutos do solo que trouxeres da terra que o Senhor teu Deus te dá, e as porás num cesto, e irás ao lugar que o Senhor teu Deus escolher para ali fazer habitar o seu nome.
3 E irás ao sacerdote que naqueles dias estiver de serviço, e lhe dirás: Hoje declaro ao Senhor teu Deus que entrei na terra que o Senhor com juramento prometeu a nossos pais que nos daria.
4 O sacerdote, pois, tomará o cesto da tua mão, e o porá diante do altar do Senhor teu Deus.
5 E perante o Senhor teu Deus dirás: Arameu prestes a perecer era meu pai; e desceu ao Egito com pouca gente, para ali morar; e veio a ser ali uma nação grande, forte e numerosa.
6 Mas os egípcios nos maltrataram e nos afligiram, e nos impuseram uma dura servidão.
7 Então clamamos ao Senhor Deus de nossos pais, e o Senhor ouviu a nossa voz, e atentou para a nossa aflição, o nosso trabalho, e a nossa opressão;
8 e o Senhor nos tirou do Egito com mão forte e braço estendido, com grande espanto, e com sinais e maravilhas;
9 e nos trouxe a este lugar, e nos deu esta terra, terra que mana leite e mel.
10 E eis que agora te trago as primícias dos frutos da terra que tu, ó Senhor, me deste. Então as porás perante o Senhor teu Deus, e o adorarás;
11 e te alegrarás por todo o bem que o Senhor teu Deus te tem dado a ti e à tua casa, tu e o levita, e o estrangeiro que está no meio de ti.

Dízimos do terceiro ano

12 Quando acabares de separar todos os dízimos da tua colheita do terceiro ano, que é o ano dos dízimos, dá-los-ás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas, e se fartem.
13 E dirás perante o Senhor teu Deus: Tirei da minha casa as coisas consagradas, e as dei ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, conforme todos os teus mandamentos que me tens ordenado; não transgredi nenhum dos teus mandamentos, nem deles me esqueci.
14 Delas não comi no meu luto, nem delas tirei coisa alguma estando eu imundo, nem delas dei para algum morto; ouvi a voz do Senhor meu Deus; conforme tudo o que me ordenaste, tenho feito.
15 Olha desde a tua santa habitação, desde o céu, e abençoa o teu povo de Israel, e a terra que nos deste, como juraste a nossos pais, terra que mana leite e mel.

A aliança

16 Neste dia o Senhor teu Deus te manda observar estes estatutos e preceitos; portanto os guardarás e os observarás com todo o teu coração e com toda a tua alma.
17 Hoje declaraste ao Senhor que ele te será por Deus, e que andarás nos seus caminhos, e guardarás os seus estatutos, os seus mandamentos e os seus preceitos, e darás ouvidos à sua voz.
18 Outrossim, o Senhor hoje te declarou que lhe serás por seu próprio povo, como te tem dito, e que deverás guardar todos os seus mandamentos;
19 para assim te exaltar em honra, em fama e em glória sobre todas as nações que criou; e para que sejas um povo santo ao Senhor teu Deus, como ele disse.

Referências Cruzadas

2 Ex 23:19; Ex 34:26; Nm 18:13; Dt 16:10; Pv 3:9; Dt 12:5; Ne 10:35
5 Os 12:12; Gn 43:1; Gn 43:2; Gn 45:7; Gn 45:11; Gn 46:1; Gn 46:6; At 7:15; Gn 46:27; Dt 10:22
6 Ex 1:11; Ex 1:14
7 Ex 2:23; Ex 2:24; Ex 2:25; Ex 3:9; Ex 4:31
8 Ex 12:37; Ex 12:51; Ex 13:3; Ex 13:14; Ex 13:16; Dt 5:15; Dt 4:34
9 Ex 3:8
11 Dt 12:7; Dt 12:12; Dt 12:18; Dt 16:11
12 Lv 27:30; Nm 18:24; Dt 14:28; Dt 14:29
13 Sl 119:141; Sl 119:153; Sl 119:176
14 Lv 7:20; Lv 21:1; Lv 21:11; Os 9:4
15 Is 63:15; Zc 2:13
17 Ex 20:19
18 Ex 6:7; Ex 19:5; Dt 7:6; Dt 14:2; Dt 28:9
19 Dt 4:7; Dt 4:8; Dt 24:1; Sl 148:14; Ex 19:6; Dt 7:6; Dt 28:9; 1Pe 2:9

8 As maravilhas mostraram o poder de Deus . O Senhor tirou seu povo da longa servidão, de maneira admirável. Deu aos egípcios oportunidade de exibir a insuficiente sabedoria de seus homens poderosos e mostrar o poder de seus deuses em oposição ao Deus do Céu. O Senhor lhes mostrou por Seu servo Moisés que o Criador dos céus e da Terra é o Deus vivo e todo-poderoso, que está acima de todos os deuses. Mostrou que Sua força é superior à do mais forte; que o Onipotente podia tirar Seu povo com mão forte e braço estendido. Os sinais e milagres realizados na presença do faraó não foram dados apenas para seu benefício. Foram também para proveito do povo de Deus, a fim de lhes dar uma visão mais clara e exaltada de Deus e do fato de que todo o Israel devia temê-Lo e estar disposto e ansioso para deixar o Egito e escolher o serviço do verdadeiro e misericordioso Deus. Se não fossem essas maravilhosas manifestações, muitos teriam ficado satisfeitos em permanecer no Egito, em vez de jornadear pelo deserto (SG3, 204, 205).
16 Não reter nada. De nossa parte, não deve haver retenção de nosso serviço ou de nossos meios, se queremos cumprir nossa aliança com Deus [Dt 26:16]. O propósito de todos os mandamentos de Deus é revelar o dever do homem, não só para com Deus, mas também para com seu próximo. Nesta avançada época da história do mundo, não devemos, por causa do egoísmo de nosso coração, questionar ou disputar o direito que Deus tem de fazer essas exigências. Se assim procedermos, enganaremos a nós mesmos e privaremos nossa alma das mais ricas bênçãos da graça de Deus. O coração, a mente e a alma devem se integrar na vontade de Deus. Então, a aliança concebida a partir dos ditames da sabedoria infinita, e feita imperativa pelo poder e autoridade do Rei dos reis e Senhor dos senhores, será nosso prazer. Deus não terá nenhuma controvérsia conosco com respeito a esses preceitos obrigatórios. É suficiente que Ele tenha dito que a obediência a Seus estatutos e leis constitui a vida e prosperidade de Seu povo (Ms 67, 1907).
18 Mútuo compromisso e mútua bênção . As bênçãos da aliança de Deus são mútuas [Dt 26:18]. […] Por nosso voto batismal reconhecemos e confessamos solenemente o Senhor Jeová como nosso governante. Em verdade, fizemos um solene juramento, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, de que daí por diante nossa vida estaria unida à vida desses três grandes poderes, para que a vida que vivemos na carne fosse vivida em fiel obediência à sagrada lei de Deus. Declaramos que havíamos morrido e que nossa vida estava escondida com Cristo em Deus, para que dali por diante andássemos com Ele em novidade de vida, como homens e mulheres que experimentaram o novo nascimento. Reconhecemos a aliança de Deus conosco e nos comprometemos a buscar as coisas lá do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Por nossa profissão de fé, reconhecemos o Senhor como nosso Deus, e nos entregamos para obedecer a Seus mandamentos. Pela obediência à Palavra de Deus, testificamos diante dos anjos e dos homens que vivemos de toda palavra que procede da boca de Deus (ibid.)