Esdras 7

Almeida Antiga - IBC

Artaxerxes envia Esdras a Jerusalém
1 Ora, depois destas coisas, no reinado de Artaxerxes, rei da Pérsia, Esdras, filho de Seraías, filho de Azarias, filho de Hilquias,
2 filho de Salum, filho de Zadoque, filho de Aitube,
3 filho de Amarias, filho de Azarias, filho de Meraiote,
4 filho de Zeraías, filho de Uzi, filho de Buqui,
5 filho de Abisua, filho de Fineias, filho de Eleazar, filho de Arão, o sumo sacerdote –
6 este Esdras subiu de Babilônia. E ele era escriba hábil na lei de Moisés, que o Senhor Deus de Israel tinha dado; e segundo a mão de Senhor seu Deus, que estava sobre ele, o rei lhe deu tudo quanto lhe pedira.
7 Também subiram a Jerusalém alguns dos filhos de Israel, dos sacerdotes, dos levitas, dos cantores, dos porteiros e dos netinins, no sétimo ano do rei Artaxerxes.
8 No quinto mês Esdras chegou a Jerusalém, no sétimo ano deste rei.
9 Pois no primeiro dia do primeiro mês ele partiu de Babilônia e no primeiro dia do quinto mês chegou a Jerusalém, graças à mão benéfica do seu Deus sobre ele.
10 Porque Esdras tinha preparado o seu coração para buscar e cumprir a lei do Senhor, e para ensinar em Israel estatutos e ordenanças.
11 Esta é, pois, a cópia da carta que o rei Artaxerxes deu a Esdras, o sacerdote, o escriba instruído nas palavras dos mandamentos do Senhor e dos seus estatutos para Israel:
12 Artaxerxes, rei dos reis, ao sacerdote Esdras, escriba da lei do Deus do céu: Saudações.
13 Por mim se decreta que no meu reino todo aquele do povo de Israel, e dos seus sacerdotes e levitas, que quiser ir a Jerusalém, vá contigo.
14 Porquanto és enviado da parte do rei e dos seus sete conselheiros para indagares a respeito de Judá e de Jerusalém, conforme a lei do teu Deus, a qual está na tua mão;
15 e para levares a prata e o ouro que o rei e os seus conselheiros voluntariamente deram ao Deus de Israel cuja habitação está em Jerusalém,
16 com toda a prata e o ouro que achares em toda a província de Babilônia, e com as ofertas voluntárias do povo e dos sacerdotes, que voluntariamente as oferecerem para a casa do seu Deus, que está em Jerusalém;
17 portanto com toda a diligência comprarás com este dinheiro novilhos, carneiros, e cordeiros, com as suas ofertas de cereais e as suas ofertas de libações, e os oferecerás sobre o altar da casa do vosso Deus, que está em Jerusalém.
18 Também o que a ti e a teus irmãos parecer bem fazerdes do resto da prata e do ouro, o fareis conforme a vontade do vosso Deus.
19 Os vasos que te foram dados para o serviço da casa do teu Deus, entrega-os todos perante ele, o Deus de Jerusalém.
20 E tudo o mais que for necessário para a casa do teu Deus, e que te convenha dar, o darás da casa dos tesouros do rei.
21 E eu, o rei Artaxerxes, decreto a todos os tesoureiros que estão na província dalém do Rio, que tudo quanto vos exigir o sacerdote Esdras, escriba da lei do Deus do céu, prontamente se lhe conceda,
22 até cem talentos de prata cem coros de trigo, cem batos de vinho, cem batos de azeite, e sal à vontade.
23 Tudo quanto for ordenado pelo Deus do céu, isso precisamente se faça para a casa do Deus do céu; pois, por que haveria ira sobre o reino do rei e de seus filhos?
24 Também vos notificamos acerca de todos os sacerdotes e levitas, cantores, porteiros, netinins, e outros servos desta casa de Deus, que não será lícito exigir-lhes nem tributo, nem imposto, nem pedágio.
25 E tu, Esdras, conforme a sabedoria do teu Deus, que possuis, constitui magistrados e juízes, que julguem todo o povo que está na província dalém do Rio, isto é, todos os que conhecem as leis do teu Deus; e ensina-as ao que não as conhece.
26 E todo aquele que não observar a lei do teu Deus e a lei do rei, com zelo se lhe execute a justiça: quer seja morte, quer desterro, quer confiscação de bens, quer prisão.
27 Bendito seja o Senhor Deus de nossos pais, que pôs no coração do rei este desejo de ornar a casa do Senhor, que está em Jerusalém;
28 e que estendeu sobre mim a sua benevolência perante o rei e os seus conselheiros e perante todos os príncipes poderosos do rei. Assim encorajado pela mão do Senhor, meu Deus, que estava sobre mim, ajuntei dentre Israel alguns dos homens principais para subirem comigo.

Referências Cruzadas

1 Ne 2:1; 1Cr 6:14
6 Ed 7:11; Ed 7:12; Ed 7:21; Ed 7:9; Ed 8:22; Ed 8:31
7 Ed 8:1; Ed 8:15; Ed 2:43; Ed 8:20
9 Ed 7:6; Ne 2:8; Ne 2:18
10 Sl 119:45; Ed 7:6; Ed 7:25; Dt 33:10; Ne 8:1-8; Ml 2:7
12 Ez 26:7; Dn 2:37; Ed 4:10
14 Et 1:14
15 2Cr 6:2; Sl 135:21
16 Ed 8:25; 1Cr 29:6; 1Cr 29:9
17 Nm 15:4
25 Ex 18:21; Ex 18:22; Dt 16:18; Ed 7:10; 2Cr 17:7; Ml 2:7; Mt 23:2; Mt 23:3
27 1Cr 29:10; Ed 6:22
28 Ed 9:9; Ed 7:6; Ed 7:9; Ed 5:5; Ed 8:18

1 Situado no tempo. Cerca de setenta anos após o retorno do primeiro grupo de exilados sob a liderança de Zorobabel e Josué, Artaxerxes Longímano subiu ao trono da Medo-Pérsia. O nome deste rei está em relação com a História Sagrada por uma série de importantes providências. Foi durante o seu reinado que Esdras e Neemias viveram e trabalharam. Ele foi quem em 457 a.C. baixou o terceiro e final decreto para a restauração de Jerusalém. Seu reinado viu o retorno de um grupo de judeus sob Esdras, a conclusão dos muros de Jerusalém por Neemias e seus companheiros, a reorganização das cerimônias do templo e as grandes reformas religiosas instituídas por Esdras e Neemias. Durante seu longo reinado ele não raro mostrou favor ao povo de Deus; e em seus estimados amigos judeus merecedores de sua confiança, Esdras e Neemias, ele reconhecia homens indicados por Deus, despertados para uma obra especial (PR 310.1).
6-10 Esdras publica cópias do livro da lei. Esdras era descendente dos filhos de Arão, um sacerdote que Deus escolheu para ser instrumento do bem para Israel. Deus desejava honrar o sacerdócio, cuja glória havia sido grandemente eclipsada durante o cativeiro. Esdras era um homem de grande piedade e santo zelo. Era também homem culto e escriba versado na lei de Moisés. Essas qualificações o tornavam uma pessoa eminente.
Esdras foi impressionado pelo Espírito de Deus a estudar os livros históricos e poéticos inspirados e, dessa forma, passou a apreciar e compreender mais a lei. Durante o cativeiro, o conhecimento da vontade de Deus fora, em certa medida, perdido. Esdras reuniu todos os exemplares do livro da lei que pôde achar. Publicou cópias deles para o povo de Deus e se tornou um mestre da lei e das profecias nas escolas dos profetas. A Palavra de Deus pura, diligentemente ensinada por Esdras, proporcionou um conhecimento inestimável naquela época (Carta 100, 1907).
Deus deu outra oportunidade e mostra longanimidade. O Senhor suscitou a Esdras para ser Seu servo. Moveu o coração do rei, de forma que Esdras achou mercê diante dele. O rei colocou em suas mãos recursos abundantes para a reconstrução do templo e possibilitou que retornassem os judeus que durante setenta anos foram cativos em Babilônia. Ao dar assim a Seu povo outra oportunidade para servir a Deus em seu próprio país, o Senhor mostrou Sua longanimidade para com Seus filhos rebeldes (Carta 98, 1907).
10 Um exemplo no conhecimento e na prática. Não deixaremos o exemplo de Esdras ensinar-nos o uso devido de nosso conhecimento das Escrituras? A vida desse servo de Deus deve ser uma inspiração para servirmos ao Senhor com o coração, a mente e com todas as forças. A cada um de nós é designada uma obra a fazer, e essa só podemos efetuar por um esforço consagrado. Precisamos antes de tudo aplicar- nos em saber quais as reivindicações de Deus e, então, cumpri-las. Assim poderemos semear sementes da verdade, as quais trarão frutos para a vida eterna (CD [MM 1995], 193).