Efésios 4

Almeida Antiga - IBC

A unidade da fé
1 Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados,
2 com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor,
3 procurando diligentemente guardar a unidade do Espírito no vínculo da paz.
4 Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação;
5 um só Senhor, uma só fé, um só batismo;
6 um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.
7 Mas a cada um de nós foi dada a graça conforme a medida do dom de Cristo.
8 Por isso ele diz: Quando subiu ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens.
9 Ora, que ele subiu, que significa, senão que também desceu primeiro às partes mais baixas da terra?
10 Aquele que desceu é também o mesmo que subiu muito acima de todos os céus, para que possa preencher todas as coisas.
11 E ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres,
12 para o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;
13 até que todos cheguemos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem perfeito, à medida da estatura da plenitude de Cristo;
14 para que não mais sejamos meninos, jogados de um lado para o outro, levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro;
15 antes, falando a verdade em amor, cresçamos nele em todas as coisas, no cabeça, que é Cristo,
16 do qual o corpo inteiro bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, efetua o seu crescimento para edificação de si mesmo em amor.

A santidade cristã

17 Portanto digo isto, e testifico no Senhor, para que não mais andeis como andam os gentios, na vaidade da sua mente,
18 entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração;
19 os quais, tendo-se tornado insensíveis, entregaram-se à lascívia para cometerem com avidez toda sorte de impureza.
20 Mas vós não aprendestes assim a Cristo,
21 se é que o ouvistes, e por ele fostes instruídos, como a verdade é em Jesus:
22 de que vos despojeis, quanto ao procedimento anterior do velho homem, que é corrompido conforme as concupiscências enganosas;
23 e vos renoveis no espírito da vossa mente;
24 e vos revistais do novo homem, que é criado segundo Deus em justiça e verdadeira santidade.
25 Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo, pois somos membros uns dos outros.
26 Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira;
27 nem deis lugar ao Diabo.
28 Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tem necessidade.
29 Não saia da vossa boca nenhuma palavra corrupta, mas somente a que seja boa, com a finalidade de edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem.
30 # E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual sois selados para o dia da redenção.
31 Toda a amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmia sejam tiradas dentre vós, bem como toda a malícia.
32 Antes sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em favor de Cristo, vos perdoou.

Referências Cruzadas

1 Ef 3:1; Fp 1:27
2 At 20:19
3 Cl 3:14
4 Rm 12:5; 1Co 12:4; 1Co 12:11; Ef 1:18
5 1Co 1:13; 1Co 8:6; 1Co 12:5; Ef 4:13; Gl 3:27
6 Ml 2:10; Rm 11:36
7 Rm 12:3; Rm 12:6
8 Sl 68:18; Jz 5:12
9 Jo 3:13; Jo 6:33; Jo 6:62
10 At 1:9; At 1:11; At 2:33
11 1Co 12:28; At 21:8; At 20:28; Rm 12:7
12 1Co 12:7; 1Co 14:26; Ef 1:23
13 Cl 2:2; 1Co 14:20
14 Is 28:9; Hb 13:9; Mt 11:7; Rm 16:18
15 Ef 4:25; Ef 2:21; Cl 1:18
16 Cl 2:19
17 Ef 4:22; Rm 1:21
18 At 26:18; Ef 2:12; Rm 1:21
19 1Tm 4:2; Rm 1:24
21 Ef 1:13
22 Cl 3:8; Cl 3:9; Ef 4:17; Rm 6:6
23 Rm 12:2
24 Rm 6:4; Ef 2:10; Gl 6:15; Ef 2:10
25 Ef 4:15; Rm 12:5
26 Sl 37:8
27 2Co 2:10; 2Co 2:11
28 At 20:35; Lc 3:11
29 Mt 12:36; Cl 4:6; Cl 3:16
30 Is 7:13; Is 63:10; Ef 1:13-14; Lc 21:28
31 Cl 3:8; Cl 3:19; Tt 3:2; Tt 3:3
32 2Co 2:10; Mt 6:14

Uma lição para aprender e praticar. Indico-lhes as palavras do apóstolo Paulo no cap. 4 de Efésios. Este capítulo todo é uma lição que Deus deseja que aprendamos e pratiquemos (Ms 55, 1903).
Apresentado o meio de manter a unidade. O plano de Deus é revelado de maneira tão clara e simples no cap. 4 de Efésios, de modo que todos os Seus filhos podem compreender a verdade. Aqui é claramente apresentado o meio que Ele designou para manter a unidade de Sua igreja, para que seus membros possam revelar ao mundo uma experiência religiosa saudável (Ms 67, 1907).
4-13 Ver Ellen G. White sobre 1Co 12:4-6, 12.
7 O que é graça? O Senhor viu nosso estado caído; viu nossa necessidade de graça e, visto como amava nossa alma, deu-nos graça e paz. Graça quer dizer favor concedido a alguém que não o merece, alguém que está perdido. O fato de sermos pecadores, em vez de excluir-nos da misericórdia e do amor de Deus, torna o exercício de Seu amor para conosco uma necessidade definida, a fim de que possamos ser salvos (ME1, 347).
8 Deu dons. Enquanto o Salvador Se achava na presença de Deus, recebendo dons para Sua igreja, pensavam os discípulos no sepulcro vazio, e lamentavam-se e choravam (DTN 559).
Ver Ellen G. White sobre At 1:9
13 Ver Ellen G. White sobre Pv 4:23; Fp 1:21.
13, 15 Ver Ellen G. White sobre v. 30; 2Co 3:18; Ap 18:1.
15 O segredo da santidade. Homem algum recebe santidade como direito de nascimento ou como dádiva de algum outro ser humano. Santidade é dom de Deus por meio de Cristo. Os que recebem o Salvador se tornam filhos de Deus. São Seus filhos espirituais, nascidos de novo, renovados em justiça e verdadeira santidade (ver Ef 4:24). Sua mente é mudada. Contemplam as realidades eternas com visão mais clara. São adotados na família de Deus e moldados à Sua imagem, transformados pelo Seu Espírito de glória em glória. De pessoas que dedicavam supremo amor ao próprio eu, tornam-se pessoas que dedicam supremo amor a Deus e a Cristo. […] Aceitar a Cristo como Salvador pessoal e seguir Seu exemplo de abnegação — eis o segredo da santidade (MG [MM 1974], 118).
A graça é essencial todo dia e toda hora. A santificação da alma é realizada por contemplá-Lo [a Cristo] constantemente pela fé como o unigênito Filho de Deus, cheio de graça e de verdade. O poder da verdade consiste em transformar o coração e o caráter. Seu efeito não é como uma pincelada de cor aqui e ali na tela; o caráter todo deve ser transformado, e a imagem de Cristo deve ser revelada em palavras e atos. Uma nova natureza é comunicada. O ser humano é renovado segundo a imagem de Cristo, em justiça e verdadeira santidade (ver Ef 4:24). […] A graça de Cristo é essencial todo dia, toda hora. A menos que ela esteja conosco continuamente, as inconsistências do coração natural aparecerão, e a vida apresentará um serviço dividido. O caráter deve ser cheio de graça e de verdade. Onde quer que a religião de Cristo atue, iluminará e dulcificará cada detalhe da vida com uma alegria mais do que terrena e uma paz mais elevada que a deste mundo (Carta 2a, 1892).
29 Nenhuma comunicação corrupta. Somos aconselhados a não deixar que nenhuma comunicação corrupta saia de nossa boca; mas uma comunicação corrupta não é simplesmente algo que seja vil e vulgar. É qualquer comunicação que eclipse da mente a visão de Cristo, que apague da alma a verdadeira simpatia e amor. É uma comunicação na qual o amor de Cristo não é expresso, mas sim sentimentos de índole não cristã (Carta 43, 1895).
Nenhuma anedota do púlpito. Os ministros não devem formar hábito de contar anedotas no púlpito; isto prejudica o poder e a solenidade da verdade que apresentam. A narração de anedotas ou incidentes que produzam riso ou um pensamento leviano no espírito dos ouvintes, é severamente censurável. As verdades devem ser revestidas de linguagem casta e cheia de dignidade; e as ilustrações devem ser de caráter semelhante (Ev 640.3).
30 Atingindo o alvo da perfeição. O grandioso poder do Espírito Santo realiza uma completa transformação no caráter do ser humano, fazendo dele uma nova criatura em Cristo Jesus. Quando uma pessoa está cheia do Espírito, quanto mais severamente é testada e provada, mais claramente demonstra ser representante de Cristo. A paz que habita o ser é vista no semblante. As palavras e os atos expressam o amor do Salvador. Não há disputa pela posição mais elevada. Há renúncia ao eu. O nome de Jesus é escrito em tudo o que se diz e se faz.
Podemos falar das bênçãos do Espírito Santo, mas a menos que nos preparemos para recebê-Lo, qual o proveito de nossas obras? Estamos nos esforçando com toda a nossa capacidade para chegar a estatura de homens e mulheres em Cristo Jesus? Estamos buscando Sua plenitude, prosseguindo sempre para o alvo colocado diante de nós – a perfeição de Seu caráter? Quando o povo do Senhor atingir esse alvo, serão selados na fronte. Cheios do Espírito, estarão aperfeiçoados em Cristo, e o anjo relator declarará: “Está consumado” (FV [MM 1959], 137; RH, 10/06/1902).
31 Precaver-se da amargura. Ao vir a sacudidura, pela introdução de falsas teorias, esses leitores superficiais não ancorados em parte alguma, são como a areia movediça. Escorregam para qualquer posição para agradar a tendência de seus sentimentos de amargura (EF 177.1).
32 As palavras bondosas nunca se perdem. Nosso alvo deve ser colocar em nossa vida toda a cortesia possível e praticar todos os atos possíveis de bondade aos que nos rodeiam. As palavras bondosas nunca se perdem. Jesus as registra como dirigidas a Ele próprio. Semeiem as sementes da bondade, do amor e da ternura, e elas florescerão e darão fruto (NAV [MM 1962], 291).