Êxodo 19

Almeida Antiga - IBC

Deus fala com Moisés no monte Sinai
1 No terceiro mês depois que os filhos de Israel haviam saído da terra do Egito, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai.
2 Tendo partido de Refidim, entraram no deserto de Sinai, onde se acamparam; Israel, pois, ali acampou-se em frente do monte.
3 Então subiu Moisés a Deus, e do monte o Senhor o chamou, dizendo: Assim falarás à casa de Jacó, e anunciarás aos filhos de Israel:
4 Vós tendes visto o que fiz: aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim.
5 Agora, pois, se atentamente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu pacto, então sereis a minha possessão peculiar dentre todos os povos, porque minha é toda a terra;
6 e vós sereis para mim reino sacerdotal e nação santa. São estas as palavras que falarás aos filhos de Israel.
7 Veio, pois, Moisés e, tendo convocado os anciãos do povo, expôs diante deles todas estas palavras, que o Senhor lhe tinha ordenado.
8 Ao que todo o povo respondeu a uma voz: Tudo o que o Senhor tem falado, faremos. E relatou Moisés ao Senhor as palavras do povo.
9 Então disse o Senhor a Moisés: Eis que eu virei a ti em uma nuvem espessa, para que o povo ouça, quando eu falar contigo, e também para que sempre te creia. Porque Moisés tinha anunciado as palavras do seu povo ao Senhor.
10 Disse mais o Senhor a Moisés: Vai ao povo, e santifica-os hoje e amanhã; lavem eles os seus vestidos,
11 e estejam prontos para o terceiro dia; porquanto no terceiro dia descerá o Senhor diante dos olhos de todo o povo sobre o monte Sinai.
12 Também marcarás limites ao povo em redor, dizendo: Guardai-vos, não subais ao monte, nem toqueis o seu termo; todo aquele que tocar o monte será morto.
13 Mão alguma tocará naquele que o fizer, mas ele será apedrejado ou asseteado; quer seja animal, quer seja homem, não viverá. Quando soar a buzina longamente, subirão eles até o pé do monte.
14 Então Moisés desceu do monte ao povo, e santificou o povo; e lavaram os seus vestidos.
15 E disse ele ao povo: Estai prontos para o terceiro dia; e não vos chegueis a mulher.
16 Ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões, relâmpagos, e uma nuvem espessa sobre o monte; e ouviu-se um sonido de buzina mui forte, de maneira que todo o povo que estava no arraial estremeceu.
17 E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte.
18 Nisso todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo; e a fumaça subiu como a fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia fortemente.
19 E, crescendo o sonido da buzina cada vez mais, Moisés falava, e Deus lhe respondia por uma voz.
20 E, tendo o Senhor descido sobre o monte Sinai, sobre o cume do monte, chamou a Moisés ao cume do monte; e Moisés subiu.
21 Então disse o Senhor a Moisés: Desce, adverte ao povo, para não suceder que traspasse os limites até o Senhor, a fim de ver, e muitos deles pereçam.
22 Ora, santifiquem-se também os sacerdotes, que se chegam ao Senhor, para que o Senhor não se lance sobre eles.
23 Respondeu Moisés ao Senhor: O povo não poderá subir ao monte Sinai, porque tu nos tens advertido, dizendo: Marca limites ao redor do monte, e santifica-o.
24 Ao que lhe disse o Senhor: Vai, desce; depois subirás tu, e Arão contigo; os sacerdotes, porém, e o povo não traspassem os limites para subir ao Senhor, para que ele não se lance sobre eles.
25 Então Moisés desceu ao povo, e disse-lhes isso.

Referências Cruzadas

1 Nm 33:15, Dt 4:15
2 Ex 17:1; Ex 17:8; Ex 3:1; Ex 3:12
3 Ex 20:21; At 7:38; Ex 3:4
4 Dt 29:2; Dt 32:11; Is 63:9; Ap 12:14
5 Dt 5:2; Dt 4:20; Dt 7:6; Dt 14:2; Dt 14:21; Dt 26:18; Dt 32:8; Dt 32:9; 1Rs 8:53; Sl 135:4; Is 41:8; Is 43:1; Jr 10:16; Ml 3:17; Tt 2:14; Ex 9:29; Dt 10:14; Jó 41:11; Sl 24:1; Sl 50:12; 1Co 10:26; 1Co 10:28; Dt 33:2; Dt 33:3; 1Pe 2:5; 1Pe 2:9; Ap 1:6; Ap 5:10; Ap 20:6; Lv 20:24; Lv 20:26
8 Ex 24:3; Ex 24:7; Dt 5:27; Dt 26:17
9 Ex 19:16; Ex 20:21; Ex 24:15; Ex 24:16; Dt 4:11; Sl 18:11; Sl 18:12; Sl 97:2; Mt 17:5; Dt 4:12; Dt 4:36; Jo 12:29; Jo 12:30; Ex 14:31
10 Lv 11:44; Lv 11:45; Hb 10:22; Ex 19:14; Gn 35:2; Lv 15:5
11 Ex 19:16; Ex 19:18; Ex 34:5; Dt 33:2
12 Hb 12:20
13 Ex 19:16; Ex 19:19
14 Ex 19:10
15 Ex 19:11; 1Sm 21:4; 1Sm 21:5; Zc 7:3; 1Co 7:5
16 Sl 77:18; Hb 12:18; Hb 12:19; Ap 4:5; Ap 8:5; Ap 11:19; Ex 19:9; Ex 40:34
18 Dt 4:10; Dt 4:11; Dt 33:2; Jz 5:5; Sl 68:7; Sl 68:8; Is 6:4; Hb 3:3; Ex 3:2; Ex 24:17; 2Cr 7:1
19 Ex 19:13; Hb 12:21; Ne 9:13; Sl 81:7
21 Ex 3:5; 1Sm 6:19
22 Lv 10:3; 2Sm 6:7; 2Sm 6:8; Ex 19:12; Js 3:4

3 Instruções antigas devem ser estudadas. As instruções dadas a Moisés para o antigo Israel, com suas características distintas e rígidas, devem ser estudadas e obedecidas pelo povo de Deus hoje (Carta 259, 1903).
Moisés e Deus: conselhos secreto . Moisés, o visível líder dos israelitas, foi admitido nos conselhos secretos do Altíssimo. O povo teve evidência de que Moisés realmente falava com Deus, recebendo dEle a instrução que lhes fora dada (OP [MM 83], 335).
3-8 A aliança de Deus, nosso refúgio. A aliança que Deus fez com Seu povo no Sinai deve ser nosso refúgio e defesa. O Senhor disse a Moisés: “Assim falarás à casa de Jacó e anunciarás aos filhos de Israel: Tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águia e vos cheguei a Mim. Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a Minha voz e guardardes a Minha aliança, então, sereis a Minha propriedade peculiar dentre todos os povos; porque toda a terra é Minha; vós Me sereis reino de sacerdotes e nação santa. […] Veio Moisés, chamou os anciãos do povo e expôs diante deles todas estas palavras que o Senhor lhe havia ordenado. Então, o povo respondeu a uma: Tudo o que o Senhor falou faremos” [Êx 19:3-8]. Esta aliança está tanto em vigor hoje como quando o Senhor a fez com o antigo Israel (SW, 01/03/1904).
7, 8 Compromisso referente à aliança. Este é o compromisso do povo de Deus nestes últimos dias. O serem aceitos por Deus depende do fiel cumprimento dos termos do acordo feito com Ele. Em Sua aliança, Deus inclui a todos que Lhe obedeçam. A todos que praticam a justiça e o juízo, desviando a sua mão de praticar algum mal, a promessa é: Aos que “abraçam a Minha aliança, darei na Minha casa e dentro dos Meus muros, um memorial e um nome melhor do que filhos e filhas; um nome eterno darei a cada um deles, que nunca se apagará” (Is 56:4 e 5) (MG [MM 74], 140).
9 A glória da nuvem emanava de Cristo . A nuvem que guiava Israel se detinha sobre o tabernáculo. A glória da nuvem emanava de Jesus Cristo, que, em meio à glória, falava com Moisés, assim como lhe havia falado do meio da sarça ardente. O brilho da presença de Deus ficava envolto pela escuridão da nuvem da qual Ele fazia Seu pavilhão, para que as pessoas pudessem suportar olhar para a nuvem como se estivessem vendo o Invisível. Este era o plano de Deus para que Ele pudesse Se aproximar do ser humano (Ms 126, 1901).
As condições do concerto. Havendo aspergido o altar com o sangue das ofertas, Moisés “tomou o livro do concerto, e o leu aos ouvidos do povo”. Assim foram solenemente proferidas as condições do concerto, e todos ficaram na liberdade de escolherem conformar-se com as mesmas ou não. Tinham a princípio prometido obedecer à voz de Deus; mas haviam depois disto ouvido proclamar a Sua lei; e seus princípios tinham sido particularizados, para que pudessem saber o quanto este concerto abrangia. Outra vez o povo respondeu unanimemente: “Tudo o que o Senhor tem falado faremos, e obedeceremos.” “Havendo Moisés anunciado a todo o povo todos os mandamentos segundo a lei, tomou o sangue […] e aspergiu não só o próprio livro como também todo o povo, dizendo: Este é o sangue do testamento que Deus vos tem mandado”. Hebreus 9:19, 20 (PP 220.5).