Êxodo 31

Almeida Antiga - IBC

Os artífices da obra do tabernáculo
1 Depois disse o Senhor a Moisés:
2 Eis que eu tenho chamado por nome a Bezaleel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá,
3 e o enchi do espírito de Deus, no tocante à sabedoria, ao entendimento, à ciência e a todo ofício,
4 para inventar obras artísticas, e trabalhar em ouro, em prata e em bronze,
5 e em lavramento de pedras para engastar, e em entalhadura de madeira, enfim para trabalhar em todo ofício.
6 E eis que eu tenho designado com ele a Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, e tenho dado sabedoria ao coração de todos os homens hábeis, para fazerem tudo o que te hei ordenado,
7 a saber: a tenda da revelação, a arca do testemunho, o propiciatório que estará sobre ela, e todos os móveis da tenda;
8 a mesa com os seus utensílios, o candelabro de ouro puro com todos os seus utensílios, o altar do incenso,
9 o altar do holocausto com todos os seus utensílios, e a pia com a sua base;
10 as vestes finamente tecidas, as vestes sagradas de Arão, o sacerdote, e as de seus filhos, para administrarem o sacerdócio;
11 o óleo da unção, e o incenso aromático para o lugar santo; eles farão conforme tudo o que te hei mandado.

O sábado santo

12 Disse mais o Senhor a Moisés:
13 Falarás também aos filhos de Israel, dizendo: Certamente guardareis os meus sábados; porquanto isso é um sinal entre mim e vós pelas vossas gerações; para que saibais que eu sou o Senhor, que vos santifica.
14 Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós; aquele que o profanar certamente será morto; porque qualquer que nele fizer algum trabalho, aquela alma será exterminada do meio do seu povo.
15 Seis dias se trabalhará, mas o sétimo dia será o sábado de descanso solene, santo ao Senhor; qualquer que no dia do sábado fizer algum trabalho, certamente será morto.
16 Guardarão, pois, o sábado os filhos de Israel, celebrando-o nas suas gerações como pacto perpétuo.
17 Entre mim e os filhos de Israel será ele um sinal para sempre; porque em seis dias fez o Senhor o céu e a terra, e ao sétimo dia descansou, e achou refrigério.

As duas tábuas do testemunho

18 E deu a Moisés, quando acabou de falar com ele no monte Sinai, as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus.

Referências Cruzadas

2 Ex 35:30; Ex 36:1; 1Cr 2:20
3 Ex 35:31; 1Rs 7:14
6 Ex 35:34; Ex 28:3; Ex 35:10; Ex 35:35; Ex 36:1
7 Ex 36:8; Ex 37:1; Ex 37:6
8 Ex 37:10; Ex 37:17
9 Ex 38:1; Ex 38:8
10 Ex 39:1; Ex 39:41; Nm 4:5; Nm 4:6
11 Ex 30:25; Ex 30:31; Ex 37:29; Ex 30:34; Ex 37:29
13 Lv 19:3; Lv 19:30; Lv 26:2; Ez 20:12; Ez 20:20; Ez 44:24
14 Ex 20:8; Dt 5:12; Ez 20:12; Ex 35:2; Nm 15:35
15 Ex 20:9; Gn 2:2; Ex 16:23; Ex 20:10
17 Ex 31:13; Ez 20:12; Ez 20:20; Gn 1:31; Gn 2:2
18 Ex 24:12; Ex 32:15; Ex 32:16; Ex 34:28; Ex 34:29; Dt 4:13; Dt 5:22; Dt 9:10; Dt 9:11; 2Co 3:3

1-6 Intromissão punida com a morte. O Senhor aprecia ver Sua obra feita da maneira mais perfeita possível. No deserto, os israelitas tiveram de aprender a realizar com exatidão e pontualidade a obra relacionada à ordem do acampamento, e especialmente a obra do tabernáculo, de seus ornamentos e seu ritual. Todos tiveram de aprender antes de poder realizar esta obra que até então era nova para eles. Tiveram de ser treinados antes de poderem fazê-la da maneira como Deus a desejava. Havia ali homens prontos para dar palpites e conselhos, e para se intrometer na obra de montagem e desmontagem do tabernáculo. Aqueles que negligenciaram seu trabalho específico para se intrometer no trabalho de outros, achando que possuíam sabedoria especial e que sabiam como este deveria ser feito, foram mortos. Cada um teve de ser ensinado quanto ao valor da pontualidade e da exatidão em todas as posições de confiança. Tiveram de exigir da memória e precisaram compreender a responsabilidade de fazer tudo no devido tempo.
Esta é a disciplina que o Senhor deu antigamente a Seu povo e é a disciplina que deve existir em nossas missões, nossos colégios, casas publicadoras, instituições de saúde. Deus aprecia ver as pessoas compreenderem seus pontos fracos; em vez de fecharem os olhos para seus defeitos, devem fazer esforços perseverantes para vencê-los (Ms 24, 1887).
Como se poderia fazer a obra? Israel fora preservado todos os dias em seu cativeiro no Egito, embora houvesse entre eles homens hábeis, não tinham sido instruídos nas primorosas artes exigidas na construção do tabernáculo. Sabiam fazer tijolos, mas não entendiam do trabalho em ouro ou prata. Como se deveria fazer a obra? Quem era idôneo para tais coisas? Estas questões perturbavam o espírito de Moisés.
Então o próprio Deus explicou como o trabalho deveria ser realizado. Indicou por nome as pessoas que desejava fizessem determinados trabalhos. Bezalel devia ser o arquiteto. Esse homem pertencia à tribo de Judá – tribo que Deus Se deleitava em honrar (Ms 29, 1908).
2-7 Não dependeu de egípcios hábeis. Na antiguidade, o Senhor instruiu Moisés a fazer-Lhe um santuário. O povo devia fornecer o material, e era preciso encontrar homens hábeis para trabalhar o precioso material. Entre a multidão havia egípcios, que atuaram como supervisores dessa obra e possuíam minuciosa compreensão de como ela deveria ser feita. Mas a obra não dependeu deles. O Senhor Se uniu com os agentes humanos, dando-lhes sabedoria para trabalhar com habilidade [cf. Ex 31:2-7]. Que os obreiros no serviço de Deus hoje orem a Ele por sabedoria e perspicaz previsão, para que possam fazer sua obra com perfeição (Ms 52, 1903).
13 O sábado guardado durante a construção (Ex 25:8). Deus ordenou que fosse construído um tabernáculo onde os israelitas, durante seu jornadear pelo deserto, pudessem adorá-Lo. Ordens do Céu foram dadas para que esse tabernáculo fosse construído sem demora. Devido ao caráter sagrado da obra e à necessidade de pressa, alguns argumentaram que o trabalho do tabernáculo deveria ser levado avante no sábado, bem como nos outros dias da semana. Cristo ouviu essas sugestões e viu que o povo estava em grande perigo de cair numa armadilha, concluindo que seriam desculpados por trabalhar no sábado a fim de que o tabernáculo pudesse ficar pronto o mais rápido possível.
Veio-lhes a palavra: “Certamente, guardareis os Meus sábados” [Ex 31:13], Conquanto a obra do tabernáculo devesse ser levada avante com rapidez, o sábado não devia ser empregado como dia de trabalho. Até mesmo a obra na casa de Deus deve dar lugar à sagrada observância do dia de descanso do Senhor. Assim Deus zela pela honra de Seu memorial da criação (CT [MM 2002], 10).
18 Original da lei na arca celestial. Advirto-o: Não coloque sua influência contra os mandamentos de Deus. Essa lei é exatamente como Jeová a escreveu no templo celestial. O ser humano pode pisar sobre sua cópia terrestre, mas o original está guardado na arca de Deus no Céu; e na cobertura dessa arca, que fica precisamente acima dessa lei, está o propiciatório. Jesus está bem ali, diante da arca, para fazer mediação pelo homem (Ms 6a, 1886).
Lei preservada na arca. “E, tendo acabado de falar com ele no monte Sinai, deu Moisés as duas tábuas do Testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus” [Êx 31:18]- Nada que estava escrito nessas tábuas podia ser apagado. O precioso registro da lei foi colocado na arca da aliança e ainda está lá, seguramente escondido da família humana. Mas, no tempo designado por Deus, Ele apresentará essas tábuas de pedra, para serem um testemunho ao mundo todo contra a desobediência a Seus mandamentos e contra o culto idólatra de um dia de descanso falsificado (Ms 122, 1901).