Gálatas 2

Almeida Antiga - IBC

Paulo em Jerusalém
1 Depois, passados catorze anos, subi outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando também comigo a Tito.
2 E subi devido a uma revelação, e lhes expus o evangelho que prego entre os gentios, mas em particular aos que eram de destaque, para que de algum modo não estivesse correndo ou não tivesse corrido em vão.
3 Mas nem mesmo Tito, que estava comigo, embora sendo grego, foi constrangido a circuncidar-se;
4 e isto por causa dos falsos irmãos intrusos, os quais furtivamente entraram a espiar a nossa liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos escravizar;
5 aos quais nem ainda por uma hora cedemos em sujeição, para que a verdade do evangelho permanecesse entre vós.
6 Ora, daqueles que pareciam ser alguma coisa (quais outrora tenham sido, nada me importa; Deus não aceita a aparência do homem), esses, digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me acrescentaram;
7 antes, pelo contrário, quando viram que o evangelho da incircuncisão me fora confiado, como a Pedro o da circuncisão
8 (porque aquele que operou a favor de Pedro para o apostolado da circuncisão, operou também a meu favor para com os gentios),
9 e quando conheceram a graça que me fora dada, Tiago, Cefas e João, que pareciam ser as colunas, deram a mim e a Barnabé as destras de comunhão, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão;
10 recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres; o que também procurei fazer com diligência.
11 Quando, porém, Cefas veio a Antioquia, resisti-lhe na cara, porque era repreensível.
12 Pois antes de chegarem alguns da parte de Tiago, ele comia com os gentios; mas quando eles chegaram, se foi retirando e se apartava deles, temendo os que eram da circuncisão.
13 E os outros judeus também dissimularam com ele, de modo que até Barnabé se deixou levar pela sua dissimulação.

Justificação pela fé em Cristo Jesus

14 Mas, quando vi que não andavam retamente conforme a verdade do evangelho, disse a Cefas perante todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como os judeus, como é que obrigas os gentios a viverem como judeus?
15 Nós, judeus por natureza e não pecadores dentre os gentios,
16 sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé de Jesus Cristo, também temos crido em Jesus Cristo para sermos justificados pela fé de Cristo, e não pelas obras da lei; pois pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.
17 Mas se, procurando ser justificados por Cristo, nós mesmos somos também achados pecadores, é, porventura, Cristo ministro do pecado? De modo nenhum!
18 Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor.
19 Pois eu pela lei morri para a lei, a fim de viver para Deus.
20 Estou crucificado com Cristo; no entanto, eu vivo, mas não eu, e sim, Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do filho de Deus, que me amou, e a si mesmo se entregou por mim.
21 Não anulo a graça de Deus; porque, se a justiça vem mediante a lei, logo Cristo morreu em vão.

Referências Cruzadas

1 At 15:2
2 At 15:12; Fp 2:16; 1Ts 3:5
3 Gl 5:2-4
4 At 15:1; At 15:24; 2Co 11:26; Gl 3:25; Gl 5:1; Gl 5:13; 2Co 11:20; Gl 4:3; Gl 4:9
5 Gl 2:14; Gl 3:1
6 Gl 6:3; At 10:34; Rm 2:11; 2Co 12:11
7 At 13:46; Rm 1:5; 1Tm 2:7; 2Tm 1:11; 1Ts 2:4
8 At 9:15; At 13:2; At 22:21; At 26:17; At 26:18; 1Co 15:10; Gl 1:16; Cl 1:29; Gl 3:5
9 Mt 16:18; Ef 2:20; Ap 21:14; Rm 1:5; Rm 12:3; Rm 12:6; Rm 15:15; 1Co 15:10; Ef 3:8
10 At 11:30; At 24:17; Rm 15:25; 1Co 16:1; 2Co 8:9
11 At 15:35
12 At 10:28; At 11:3
14 Gl 2:5; 1Tm 5:20; At 10:28; At 11:3
15 At 15:10; At 15:11; Mt 9:11; Ef 2:3; Ef 2:12
16 At 13:38; At 13:39; Rm 1:17; Rm 3:22; Rm 3:28; Rm 8:3; Gl 3:24; Hb 7:18; Hb 7:19; Sl 143:2; Rm 3:20; Gl 3:11
17 1Jo 3:8; 1Jo 3:9
19 Rm 8:2; Rm 6:14; Rm 7:4; Rm 7:6; Rm 6:11; 2Co 5:15; 1Ts 5:10; Hb 9:14; 1Pe 4:2
20 Rm 6:6; Gl 5:24; Gl 6:14; 2Co 5:15; 1Ts 5:10; 1Pe 4:2; Gl 1:4; Ef 5:2
21 Gl 3:21; Hb 7:11; Rm 11:6

11-14 Repreensão na presença de todos surtiu efeito. Quando Pedro, posteriormente, visitou Antioquia, captou a confiança de muitos por sua conduta prudente para com os conversos gentios. Por algum tempo, ele agiu de acordo com a luz dada pelo Céu. Dominou seu natural preconceito até o ponto de sentar-se à mesa com os conversos gentios. Mas quando certos judeus zelosos da lei cerimonial vieram de Jerusalém, Pedro mudou inesperadamente o seu procedimento para com os conversos do paganismo. Alguns “judeus também dissimulavam com ele, de maneira que até Barnabé se deixou levar pela sua dissimulação”. Gálatas 2:13. Essa revelação de fraqueza da parte daqueles que haviam sido respeitados e amados como dirigentes, produziu dolorosa impressão na mente dos crentes gentios. A igreja foi ameaçada de divisão. Mas Paulo, que viu a subversiva influência do erro praticado para com a igreja pela duplicidade de atitude da parte de Pedro, reprovou-o abertamente por dissimular assim seus verdadeiros sentimentos. Na presença da igreja, Paulo arguiu a Pedro: v.14b. Pedro viu o erro em que havia caído, e procurou imediatamente reparar, tanto quanto possível, o mal que causara. Deus, que conhece o fim desde o princípio, permitiu que Pedro revelasse essa fraqueza de caráter, para que o provado apóstolo visse nada haver em si de que se pudesse vangloriar (AA 109).

16 Não há lugar para a autossuficiência. Somos justificados pela fé. A alma que compreende o significado dessas palavras nunca será autossuficiente. Não temos suficiência em nós próprios, para pensar que somos alguma coisa. O Espírito Santo é nossa eficiência na obra da edificação do caráter, na formação do caráter segundo a semelhança divina. Quando nos achamos capazes de moldar nossa própria experiência, cometemos um grande erro. Nunca podemos, por nós mesmos, obter vitória sobre a tentação. Mas aqueles que têm uma fé genuína em Cristo serão objeto da atuação do Espírito Santo. A alma em cujo coração mora a fé se transformará num belo templo para o Senhor. Ela é dirigida pela graça de Cristo. Crescerá na exata proporção em que depender do ensino do Espírito Santo (Ms 8, 1900).
20 A maior obra do mundo. Tudo o que é bom em homens e mulheres é fruto da operação do Espírito Santo. O Espírito nos ensina a revelar a justiça em nossa vida. A maior obra que pode ser feita em nosso mundo é glorificar a Deus, vivendo o caráter de Cristo. Deus tornará perfeitos apenas aqueles que quiserem morrer para o eu. Aqueles que estiverem dispostos a fazer isso podem dizer: “Já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim” (GI 2:20; Ms 16, 1900).
20 Reconhecimento do governo e legisladores. Hoje, como no tempo de Cristo, a obra do reino de Deus não se acha a cargo dos que reclamam o reconhecimento e apoio dos dominadores terrestres e das leis humanas, mas dos que estão declarando ao povo, em Seu nome, as verdades espirituais que operarão, nos que as recebem, a experiência de Paulo: [v. 20] (DTN 358.4).