Gênesis 13

Almeida Antiga - IBC

Abrão volta ao Egito

1 Subiu, pois, Abrão do Egito para o Negebe, levando sua mulher e tudo o que tinha, e Ló o acompanhava.
2 Abrão era muito rico em gado, em prata e em ouro.
3 E foi em suas jornadas do Negebe para Betel, até o lugar onde a sua tenda estivera a princípio, entre Betel e Ai,
4 até o lugar do altar, que antes fizera ali; e Abrão invocou ali o nome do Senhor.
5 E também Ló, que ia com Abrão, tinha rebanhos, gado e tendas.
6 Ora, a terra não podia sustentá-los, para eles habitarem juntos, porque os seus bens eram muitos; de modo que não podiam habitar juntos.

Abrão e Ló separam-se

7 Pelo que houve contenda entre os pastores do gado de Abrão, e os pastores do gado de Ló. E os cananeus e os perizeus habitavam na terra.
8 Disse, pois, Abrão a Ló: Não haja contenda entre mim e ti, e entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos irmãos.
9 Porventura não está toda a terra diante de ti? Rogo-te que te apartes de mim. Se tu fores para a esquerda, irei para a direita; e se fores para a direita, irei para a esquerda.
10 Então Ló levantou os olhos, e viu toda a planície do Jordão, que era toda bem regada (antes de o Senhor haver destruído a Sodoma e Gomorra), e era como o jardim do Senhor, como a terra do Egito, como quem vem para Zoar.
11 E Ló escolheu para si toda a planície do Jordão, e partiu para o oriente; assim se separaram um do outro.
12 Habitou Abrão na terra de Canaã, e Ló habitou nas cidades da planície, e foi armando as suas tendas até chegar a Sodoma.
13 Ora, os homens de Sodoma eram ímpios e grandes pecadores contra o Senhor.
14 E disse o Senhor a Abrão, depois que Ló se apartou dele: Levanta agora os olhos, e olha desde o lugar onde estás, para o norte, para o sul, para o oriente e para o ocidente;
15 porque toda esta terra que vês, dá-la-ei a ti, e à tua descendência, para sempre.
16 E farei a tua descendência como o pó da terra; de maneira que, se puder ser contado o pó da terra, então também poderá ser contada a tua descendência.
17 Levanta-te, percorre esta terra no seu comprimento e na sua largura; porque a darei a ti.
18 Então Abrão mudou as suas tendas, e foi habitar junto ao carvalhal de Manre, que está em Hebrom; e edificou ali um altar ao Senhor.

Referências Cruzadas

1 Gn 12:9
2 Gn 24:35; Sl 112:3; Pv 10:22
3 Gn 12:8; Gn 12:9
4 Gn 12:7; Gn 12:8; Sl 116:17
6 Gn 36:7
7 Gn 26:20; Gn 12:6
8 1Co 6:7; Gn 11:27; Gn 11:31; Ex 2:13; Sl 133:1; At 7:26
9 Gn 20:15; Gn 34:10; Rm 12:18; Hb 12:14; Tg 3:17
10 Gn 19:17; Dt 34:3; Sl 107:34; Gn 19:24; Gn 19:25; Gn 2:10; Is 51:3; Gn 14:2; Gn 14:8; Gn 19:22
12 Gn 19:29; Gn 14:12; Gn 19:1; 2Pe 2:7; 2Pe 2:8
13 Gn 18:20; Ez 16:49; 2Pe 2:7; 2Pe 2:8; Gn 6:11
14 Gn 13:11; Gn 28:14
15 Gn 12:7; Gn 15:18; Gn 17:8; Gn 24:7; Gn 26:4; Nm 34:12; Dt 34:4; At 7:5; 2Cr 20:7; Sl 37:22; Sl 37:29; Sl 112:2
16 Gn 15:5; Gn 22:17; Gn 26:4; Gn 28:14; Gn 32:12; Ex 32:13; Nm 23:10; Dt 1:10; 1Rs 4:20; 1Cr 27:23; Is 48:19; Jr 33:22; Rm 4:16; Rm 4:17; Rm 4:18; Hb 11:12
18 Gn 14:13; Gn 35:27; Gn 37:14; Gn 22:2

10, 11 Ló convencido de seu erro. Ló escolheu Sodoma para sua morada, porque viu que oferecia vantagens do ponto de vista mundano. Mas, depois de ali se estabelecer e se enriquecer em tesouros terrestres, convenceu-se de que cometera um erro em não tomar em consideração o estado moral da sociedade em meio da qual ia estabelecer seu lar (VF [MM 71], 48).
Escolha do local de moradia. Muitos ainda estão cometendo erro semelhante. Escolhendo um lar, olham mais para as vantagens temporais que podem adquirir do que para as influências morais e sociais que cercarão a eles e suas famílias. Escolhem um território belo e fértil, ou mudam-se para alguma cidade florescente, na esperança de conseguir maior prosperidade; mas seus filhos se acham rodeados de tentações, e muitas vezes formam camaradagens que são desfavoráveis ao desenvolvimento da piedade e à formação de um caráter reto. A atmosfera de moralidade frouxa, de incredulidade, de indiferença às coisas religiosas, tem uma tendência para contrariar a influência dos pais. Exemplos de rebelião contra a autoridade paternal, e divina, estão sempre diante dos jovens; muitos fazem amizades com ateus e incrédulos, e lançam sua sorte com os inimigos de Deus.
Ao escolhermos uma residência, Deus quer que consideremos antes de tudo as influências morais e religiosas que nos rodearão, a nós e a nossas famílias. Podemos achar-nos em situações difíceis, pois que muitos não podem ter o seu ambiente conforme quereriam; e, onde quer que o dever nos chame, Deus nos habilitará a permanecer incontaminados, se orarmos e vigiarmos, confiando na graça de Cristo. Mas não devemos expor-nos desnecessariamente a influências desfavoráveis à formação de caráter cristão. Quando voluntariamente nos colocamos em uma atmosfera de mundanismo e incredulidade, desagradamos a Deus, e de nossos lares repelimos os santos anjos (PP 114).

12-13 Sodomas modernas.
As cidades modernas estão rapidamente se transformando em Sodomas e Gomorras. Numerosos são os dias de folga; o torvelinho da agitação e do prazer desvia milhares de pessoas dos austeros deveres da vida. Os esportes enervantes — o teatro, as corridas de cavalos, os jogos de azar, as bebidas e as bacanais — excitam ao máximo todas as paixões.
A juventude é levada de roldão pela onda popular. Os que se deixam dominar pelas diversões, abrem a porta para um dilúvio de tentações. Dedicam-se a divertimentos sociais e a irrefletida alacridade. Passam de uma a outra forma de dissipação, até perderem tanto o desejo como a capacidade de viver de maneira útil. Esfriam as aspirações religiosas; debilita-se a vida espiritual. As mais nobres faculdades da alma, numa palavra, tudo quanto liga o homem ao mundo espiritual, é envilecido (MCP 315).