Gênesis 15

Almeida Antiga - IBC

1 Depois destas coisas veio a palavra do Senhor a Abrão numa visão, dizendo: Não temas, Abrão; eu sou o teu escudo e o teu grandíssimo galardão.

Deus anima Abrão e promete-lhe um filho

2 Então disse Abrão: Ó Senhor Deus, que me darás, visto que não tenho filhos, e o herdeiro de minha casa é o damasceno Eliézer?
3 Disse mais Abrão: Eis que não me tens dado descendência; assim, um nascido em minha casa será o meu herdeiro.
4 E eis que lhe veio a palavra do Senhor, dizendo: Este não será o teu herdeiro; mas aquele que sair das tuas entranhas será o teu herdeiro.
5 Então o levou para fora, e disse: Olha agora para o céu, e conta as estrelas, se é que as podes contar; e disse-lhe: Assim será a tua descendência.
6 E Abrão creu no Senhor, e isso foi contado como justiça para ele.
7 E lhe disse: Eu sou o Senhor, que te tirei de Ur dos caldeus, para te dar esta terra em herança.
8 Ao que lhe perguntou Abrão: Ó Senhor Deus, como saberei que hei de herdá-la?
9 Respondeu-lhe: Toma-me uma novilha de três anos, uma cabra de três anos, um carneiro de três anos, uma rola e um pombinho.
10 E ele lhe trouxe todos estes, partiu-os pelo meio, e pôs cada parte deles em frente da outra; mas as aves não partiu.
11 E quando as aves de rapina desciam sobre os cadáveres, Abrão as enxotava.
12 Ora, ao pôr do sol, caiu um profundo sono sobre Abrão; e eis que lhe sobreveio um pavor de grandes trevas.
13 Então disse o Senhor a Abrão: Sabe com certeza que a tua descendência será peregrina em terra alheia, e os servirá, e será afligida por quatrocentos anos;
14 e eu também julgarei a nação a qual eles têm de servir; e depois sairão com muitos bens.
15 Tu, porém, irás em paz para teus pais; serás sepultado em boa velhice.
16 Na quarta geração, porém, voltarão para cá; porque a medida da iniquidade dos amorreus ainda não está cheia.

Deus faz uma aliança com Abrão

17 E sucedeu que, quando o sol já estava posto, e era escuro, eis um fogo fumegante e uma tocha de fogo, que passaram por entre aquelas metades.
18 Naquele mesmo dia o Senhor fez um pacto com Abrão, dizendo: À tua descendência tenho dado esta terra, desde o rio do Egito até o grande rio, o rio Eufrates;
19 e o queneu, o quenizeu, o cadmoneu,
20 o heteu, o perizeu, os refains,
21 o amorreu, o cananeu, o girgaseu e o jebuseu.

Referências Cruzadas

1 Dn 10:1; At 10:10; At 10:11; Gn 26:24; Dn 10:12; Lc 1:13; Lc 1:30; Sl 3:3; Sl 5:12; Sl 84:11; Sl 91:4; Sl 119:114; Sl 16:5; Sl 58:11; Pv 11:18
2 At 7:5
3 Gn 14:14
4 2Sm 7:12; 2Sm 16:11; 2Cr 32:21
5 Sl 147:4; Jr 33:22; Gn 22:17; Ex 32:13; Dt 1:10; Dt 10:22; 1Cr 27:23; Rm 4:18; Hb 11:12; Gn 13:16
6 Rm 4:3; Rm 9:22; Gl 3:6; Tg 2:23; Sl 106:31
7 Gn 12:1; Gn 11:28; Gn 11:31; Sl 105:42; Rm 4:13
8 Gn 24:13; Gn 24:14; Jz 6:17; Jz 6:37; 1Sm 14:9; 1Sm 14:10; 2Rs 20:8; Lc 1:18
10 Jr 34:18; Jr 34:19; Lv 1:17
12 Gn 2:21; Jó 4:13
13 Ex 12:40, 41; Sl 105:23; At 7:6; Ex 1:11; Sl 105:25; Gl 3:16-17; Gn 12:4;Gn 21:4-10
14 Ex 6:6; Dt 6:22; Ex 12:36; Sl 105:37
15 Jó 5:26; At 13:36; Gn 25:8
16 Ex 12:40; 1Rs 21:26; Dn 8:23; Mt 23:32; 1Ts 2:16
17 Jr 34:18; Jr 34:19
18 Gn 24:7; Gn 12:7; Gn 13:15; Gn 26:4; Ex 23:31; Nm 34:3; Dt 1:7; Dt 11:24; Dt 34:4; Js 1:4; 1Rs 4:21; 2Cr 9:26; Ne 9:8

5 Abrão começou a contar as estrelas. Levado para fora de sua tenda, foi-lhe dito que olhasse para as incontáveis estrelas a resplandecer nos céus; e, fazendo ele isto, foram proferidas estas palavras: “Assim será a tua semente”. Gênesis 15:5. (PP 89.4).
11 Não deixe que nada macule seu sacrifício. Vigiai tão fielmente como o fez Abraão, para que os corvos ou quaisquer aves de rapina não desçam sobre vosso sacrifício e oferta a Deus. Cada pensamento de dúvida deve ser tão vigiado que não veja a luz do dia mediante o pronunciá-lo. A luz sempre foge das palavras que honram os poderes das trevas (ME2,243).
16 Deus foi paciente durante muito tempo por amor a poucos entre os amorreus . Nos dias de Abraão, o Senhor declarou: “Não se encheu ainda a medida da iniquidade dos amorreus” [Gn 15:16]. Naquele tempo, Ele não quis permitir que fossem destruídos. Nisto se revela a longanimidade de Deus. Os amorreus eram inimigos de Sua lei; não criam nEle como o Deus vivo e verdadeiro; mas entre eles havia algumas pessoas boas e, por amor a esses poucos, Ele foi paciente por longo tempo. Séculos depois, quando os israelitas retornaram do Egito para a terra prometida, os amorreus foram lançados “de diante dos filhos de Israel” [1Rs 21:26]. Finalmente experimentaram a ruína por causa da desobediência obstinada à lei de Deus (RH, 12/07/1906).
A rejeição da luz levou à destruição dos amorreus. Em Seu amor e piedade, Deus deixaria a luz brilhar sobre eles [os amorreus] em raios mais distintos; Ele lhes daria oportunidade de contemplar a operação de Seu maravilhoso poder, a fim de que não houvesse desculpa para sua conduta maligna. É assim que Deus lida com as nações (RH, 02/05/1893).
Soma dos atos maus desencadeia o ministério da ira. Com infalível precisão, o Ser infinito ainda mantém, por assim dizer, uma conta com todas as nações. Enquanto Sua misericórdia se oferece com convites ao arrependimento, esta conta permanecerá aberta; quando, porém, os algarismos atingem certo total que Deus fixou, começa o ministério de Sua ira. Encerra-se a conta. Cessa a paciência divina. Não mais há intercessão de misericórdia a favor delas (TS2 63.2).
17. Fornalha do Egito. Abraão a opressão futura de Seu povo, sob a figura de uma fornalha fumegante e uma tocha de fogo. Declarara que mandaria juízos sobre os seus opressores, e tiraria os cativos com grande riqueza. No Egito, Israel durante muito tempo desfaleceria na fornalha da aflição (PP 185.5).