Gênesis 4

Almeida Antiga - IBC

O nascimento de Caim e Abel

1 Conheceu Adão a Eva, sua mulher; ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Adquiri um varão, o Senhor.
2 Depois, deu à luz a Abel, seu irmão. Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.
3 Aconteceu que no fim de uns tempos Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor.
4 Abel também trouxe das primícias do seu rebanho, e da gordura deste. Ora, atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta,
5 mas para Caim e para a sua oferta não atentou. Pelo que Caim irou-se grandemente, e descaiu-lhe o semblante.
6 Então o Senhor perguntou a Caim: Por que te iraste? E por que está descaído o teu semblante?
7 Se procederes bem, porventura não serás aceito? E se não procederes bem, o pecado jaz à porta. O desejo dele será para contigo; mas cumpre a ti dominá-lo.

O primeiro homicídio

8 Falou Caim com o seu irmão Abel. E, estando eles no campo, Caim se levantou contra o seu irmão Abel, e o matou.
9 Perguntou, pois, o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu irmão? Respondeu ele: Não sei; sou eu guardador do meu irmão?
10 E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue de teu irmão está clamando a mim desde a terra.
11 Agora, maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para receber da tua mão o sangue de teu irmão.
12 Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua força; fugitivo e vagabundo serás na terra.
13 Então disse Caim ao Senhor: A minha punição é maior do que eu posso suportar.
14 Eis que hoje me lanças da face da terra; também da tua presença ficarei escondido; serei fugitivo e vagabundo na terra; e qualquer que me encontrar me matará.
15 O Senhor, porém, lhe disse: Portanto quem matar a Caim, a vingança cairá sobre ele sete vezes mais. E o Senhor pôs um sinal sobre Caim, para que não o ferisse quem quer que o encontrasse.
16 Então saiu Caim da presença do Senhor, e habitou na terra de Node, ao oriente do Éden.
17 E Caim conheceu a sua mulher, a qual concebeu, e deu à luz a Enoque. E ele edificou uma cidade, e deu à cidade o nome de seu filho, Enoque.
18 A Enoque nasceu Irade, e Irade gerou a Meujael, e Meujael gerou a Metusael, e Metusael gerou a Lameque.
19 Lameque tomou para si duas mulheres: o nome de uma era Ada, e o nome da outra Zila.
20 E Ada deu à luz a Jabal; este foi o pai dos que habitam em tendas e possuem gado.
21 O nome do seu irmão era Jubal; este foi o pai de todos os que tocam harpa e flauta.
22 A Zila também nasceu um filho, Tubal-Caim, fabricante de todo instrumento cortante de cobre e de ferro; e a irmã de Tubal-Caim foi Naamá.
23 Disse Lameque a suas mulheres: Ada e Zila, ouvi a minha voz; escutai, mulheres de Lameque, as minhas palavras; pois matei um homem por me ferir, e um mancebo por me pisar.
24 Se Caim há de ser vingado sete vezes, com certeza Lameque o será setenta e sete vezes.

O nascimento de Sete

25 Tornou Adão a conhecer sua mulher, e ela deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Sete; porque, disse ela, Deus me deu outro filho em lugar de Abel; porquanto Caim o matou.
26 A Sete também nasceu um filho, a quem pôs o nome de Enos. Então, os homens começaram a invocar o nome do Senhor.

Referências Cruzadas

2 Gn 3:23; Gn 9:20; Jo 10:11
3 Nm 18:12
4 Nm 18:17; Pv 3:9; Hb 11:4; Hb 10:12
5 Gn 31:2
7 Hb 11:4; Gn 3:16; Tg 4:17; 1Co 10:13; Hb 10:26; Rm 7:18
8 Mt 23:35; 1Jo 3:12; Jd 11, Jo 19:30
9 Sl 9:12; Jo 8:44
10 Hb 12:24; Ap 6:10; Hb 12:24
14 Jó 15:20-24; Sl 51:11; Gn 9:6; Nm 35:19; Nm 35:21; Nm 35:27
15 Sl 79:12; Ez 9:4; Ez 9:6
16 2Rs 13:23; 2Rs 24:20; Jr 23:39; Jr 52:3
17 Sl 49:11
21 Rm 4:11; Rm 4:12
24 Gn 4:15
25 Gn 5:3
26 Gn 5:6; 1Rs 18:24; Sl 116:17; Jl 2:32; Sf 3:9; 1Co 1:2

3 Abel avisou. Abel aconselhou seu irmão que não viesse diante do Senhor sem o sangue do sacrifício. Caim, sendo o mais velho, não quis ouvir a seu irmão (VA 64.3).
4 Caiu fogo. Uma luz brilhou do Céu e consumiu a oferta de Abel (VA 64.4).
A oferta precisa ser espargida com sangue. Em todas as ofertas para Deus, devemos reconhecer a grande Dádiva; apenas isso pode tornar nosso serviço aceitável a Ele. [..] Caim, porém, ofertou apenas o fruto da terra, e sua oferta não foi aceita pelo Senhor. Ela não expressava fé em Cristo. Todas as nossas ofertas precisam ser aspergidas com o sangue da expiação. Se somos a propriedade adquirida pelo Filho de Deus, cada um de nós deve dar ao Senhor sua própria vida (RH, 24/11/1896).
Substituto aceito temporariamente. O ser humano caído, por causa de sua culpa, não podia mais se aproximar de Deus com suas súplicas, porque a transgressão da lei divina colocara uma barreira intransponível entre o santo Deus e o transgressor. Foi, porém, divisado um plano em que a sentença de morte recaísse sobre um Substituto que tivesse valor superior à lei de Deus. No plano da redenção haveria derramamento de sangue, porque a morte deveria ocorrer como consequência do pecado humano. Os animais a serem sacrificados como oferta prefiguravam a Cristo. Na vítima morta, o ser humano veria o cumprimento temporário das palavras de Deus: “Certamente morrerás” (ibid., 03/03/1874).
Sermões sem Cristo são como a oferta de Caim. Há o perigo de que os sermões e os artigos do periódico sejam como a oferta de Caim, sem Cristo (OP 53.1).
6 Deus nota cada ato. O Senhor viu a ira de Caim, viu que seu semblante estava descaído. Assim se revela quão atentamente o Senhor nota cada ato, cada intenção e propósito, sim, até a expressão do semblante. Este, embora a pessoa possa não dizer nada, revela a recusa de seguir o caminho e a vontade de Deus. […] Quando você não pode seguir o impulso de seu próprio coração rebelde, e é impedido de executar sua própria vontade injusta e não santificada, bem poderia o Senhor lhe fazer a pergunta: “Por que andas irado, e por que descaiu o teu semblante?” Manifestações desse tipo revelam que, por não poderem agir conforme as artimanhas e artifícios de Satanás, as pessoas se exasperam, e só podem manifestar um espírito semelhante ao de Caim (Ms 77, 1897).
8 Era inevitável que houvesse discórdia. Não podia haver harmonia entre os dois irmãos, e era inevitável que houvesse discórdia. Abel não podia concordar com Caim sem se tornar culpado de desobedecer às ordens especiais de Deus (Carta 16, 1897).
Caim cheio de dúvidas e furor. Satanás é pai da descrença, murmuração e rebelião. Encheu Caim de dúvidas e furor contra seu irmão inocente e contra Deus, porque seu sacrifício foi recusado e o de Abel, aceito. E, em sua ira insana, assassinou o irmão (DT, 28).
15 A marca de Caim . Deus deu a cada pessoa sua obra. Se alguém deixa a obra que Deus lhe deu, a fim de fazer a obra de Satanás, para contaminar seu próprio corpo ou levar outrem ao pecado, a obra dessa pessoa é amaldiçoada, e a marca de Caim é colocada sobre ela. A ruína de sua vítima clamará a Deus, como o fez o sangue de Abel (RH, 06/03/1894).
Qualquer pessoa, ministro ou leigo, que busque compelir ou controlar a razão de outra pessoa, torna-se um agente de Satanás para fazer sua obra, e aos olhos do universo celestial traz em si a marca de Caim (Ms 29, 1911).
16. Ilustração para o universo. Poupando a vida do primeiro homicida, Deus apresentou diante de todo o Universo uma lição que dizia respeito ao grande conflito. A tenebrosa história de Caim e seus descendentes foi uma ilustração do que teria sido o resultado de permitir ao pecador viver para sempre, para prosseguir com sua rebelião contra Deus. A paciência de Deus apenas tornou o ímpio mais ousado e desafiador em sua iniquidade. Quinze séculos depois de pronunciada a sentença sobre Caim, o Universo testemunhou os frutos de sua influência e exemplo, no crime e corrupção que inundaram a Terra. Tornou-se manifesto que a sentença de morte pronunciada contra a raça decaída, pela transgressão da lei de Deus, era não somente justa mas misericordiosa (PP 44.2).

17. A vida na cidade. A vida urbana arrasta os jovens para o mundo. vida nas cidades é falsa e artificial. A intensa paixão de ganhar dinheiro, o redemoinho da excitação e da corrida aos prazeres, a sede de ostentação, de luxo e extravagância, tudo são forças que, no que respeita à maioria da humanidade, desviam o espírito do verdadeiro desígnio da vida. Abrem a porta para milhares de males. Estas coisas exercem sobre a juventude uma força quase irresistível (VC 10.2).
25 Sete era de estatura mais nobre do que Caim ou Abel. Sete era de estatura mais nobre do que Caim ou Abel, e parecia-se muito mais com Adão do que os demais filhos. Os descendentes de Sete haviam se separado dos ímpios descendentes de Caim. Prezavam o conhecimento da vontade de Deus, enquanto que a ímpia raça de Caim não tinha qualquer respeito por Deus e Seus sagrados mandamentos (SG3, 60).