Gênesis 5

Almeida Antiga - IBC

A genealogia de Sete

1 Este é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez.
2 Homem e mulher os criou; e os abençoou, e os chamou de Adão, no dia em que foram criados.
3 Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e pôs-lhe o nome de Sete.
4 E foram os dias de Adão, depois que gerou a Sete, oitocentos anos; e gerou filhos e filhas.
5 Todos os dias que Adão viveu foram novecentos e trinta anos; e morreu.
6 Sete viveu cento e cinco anos, e gerou a Enos.
7 Viveu Sete, depois que gerou a Enos, oitocentos e sete anos; e gerou filhos e filhas.
8 Todos os dias de Sete foram novecentos e doze anos; e morreu.
9 Enos viveu noventa anos, e gerou a Cainã.
10 Viveu Enos, depois que gerou a Cainã, oitocentos e quinze anos; e gerou filhos e filhas.
11 Todos os dias de Enos foram novecentos e cinco anos; e morreu.
12 Cainã viveu setenta anos, e gerou a Maalalel.
13 Viveu Cainã, depois que gerou a Maalalel, oitocentos e quarenta anos, e gerou filhos e filhas.
14 Todos os dias de Cainã foram novecentos e dez anos; e morreu.
15 Maalalel viveu sessenta e cinco anos, e gerou a Jarede.
16 Viveu Maalalel, depois que gerou a Jarede, oitocentos e trinta anos; e gerou filhos e filhas.
17 Todos os dias de Maalalel foram oitocentos e noventa e cinco anos; e morreu.
18 Jarede viveu cento e sessenta e dois anos, e gerou a Enoque.
19 Viveu Jarede, depois que gerou a Enoque, oitocentos anos; e gerou filhos e filhas.
20 Todos os dias de Jarede foram novecentos e sessenta e dois anos; e morreu.
21 Enoque viveu sessenta e cinco anos, e gerou a Matusalém.
22 Andou Enoque com Deus, depois que gerou a Matusalém, trezentos anos; e gerou filhos e filhas.
23 Todos os dias de Enoque foram trezentos e sessenta e cinco anos;
24 E Enoque andou com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus o tomou.
25 Matusalém viveu cento e oitenta e sete anos, e gerou a Lameque.
26 Viveu Matusalém, depois que gerou a Lameque, setecentos e oitenta e dois anos; e gerou filhos e filhas.
27 Todos os dias de Matusalém foram novecentos e sessenta e nove anos; e morreu.
28 Lameque viveu cento e oitenta e dois anos, e gerou um filho,
29 e lhe pôs o nome de Noé, dizendo: Este nos consolará acerca de nossas obras e do trabalho de nossas mãos, por causa da terra que o Senhor amaldiçoou.
30 Viveu Lameque, depois que gerou a Noé, quinhentos e noventa e cinco anos; e gerou filhos e filhas.
31 Todos os dias de Lameque foram setecentos e setenta e sete anos; e morreu.
32 E era Noé da idade de quinhentos anos; e Noé gerou a Sem, Cam e Jafé.

Referências Cruzadas

1 1Cr 1:1; Lc 3:38; Gn 1:26; Ef 4:24; Cl 3:10
2 Gn 1:27
3 Gn 4:25
4 1Cr 1:1; Gn 1:28; Mc 1:35; At 1:9
5 Gn 3:19; Hb 9:27
6 Gn 4:26
18 Jd 14; Jd 15
22 Gn 6:9; Gn 17:1; Gn 24:40; 2Rs 20:3; Sl 16:8; Sl 116:9; Sl 128:1; Mq 6:8; Ml 2:6
24 2Rs 2:11; Hb 11:5
29 Lc 3:36; Hb 11:7; 1Pe 3:20; Gn 3:17; Gn 4:11
32 Gn 6:10; Gn 10:21

22-24 Enoque via Deus somente pela fé. Enoque via Deus ao seu lado? Somente pela fé. Ele sabia que o Senhor estava ali e se apegava firmemente aos princípios da verdade. Nós também devemos andar com Deus. Quando fizermos isso, nosso rosto será iluminado pelo brilho de Sua presença, e quando nos encontrarmos uns com os outros, falaremos de Seu poder, dizendo: Louvado seja Deus. Bom é o Senhor, e boa é a palavra do Senhor (Ms 17, 1903).
Cristo, um constante companheiro. Podemos possuir o que Enoque possuía. Podemos ter Cristo como nosso constante companheiro. Enoque andava com Deus e, quando assaltado pelo tentador, podia falar com Deus a respeito daquilo. Ele não tinha o “Está escrito” como nós temos, mas tinha o conhecimento de seu Companheiro celestial. Fazia de Deus seu conselheiro e estava intimamente ligado a Jesus. Assim, Enoque foi honrado nesse modo de agir. Foi trasladado ao Céu sem ver a morte. E aqueles que serão trasladados no fim dos tempos vão ser os que andaram em comunhão com Deus na Terra. Os que tornam manifesto que sua vida está escondida com Cristo em Deus sempre O estarão representando em todas as práticas de sua vida. O egoísmo será cortado pela raiz (Ms 38, 1897).
Fé constante e crescente. Poucos cristãos há que não seriam muito mais fervorosos e dedicados se soubessem que tinham apenas pouco tempo para viver, ou que a vinda de Cristo estava prestes a ocorrer. A fé de Enoque, porém, tornou-se mais forte, o seu amor mais ardente, com o perpassar dos séculos (PP 50.2).
Buscou conformidade com a semelhança divina. Compreendamos a fraqueza da humanidade e vejamos onde o ser humano falha em sua suficiência própria. Seremos então cheios do desejo de ser justamente o que Deus espera que sejamos: puros, nobres e santificados. Teremos fome e sede da justiça de Cristo. Ser semelhante a Deus será o desejo da alma (Carta 169, 1903).
Como Enoque andou com Deus. Enquanto você confiar em seu Pai celestial para a ajuda que precisa, Ele não o abandonará. Deus tem um Céu cheio de bênçãos que deseja conferir àqueles que buscam fervorosamente o auxílio que só o Senhor pode dar. Foi olhando com fé para Jesus, pedindo coisas a Ele, crendo que toda palavra falada se cumpriria, é que Enoque andou com Deus. Ele se manteve ao lado de Deus, obedecendo a toda palavra divina. […] Sua vida foi uma maravilhosa vida de unidade. Cristo era seu companheiro. Ele estava em íntima comunhão com Deus (Ms 111, 1898).
Residência numa atmosfera pura. Enoque não estabeleceu sua residência com os ímpios. Não foi morar em Sodoma, pensando em salvar Sodoma. Colocou a si mesmo e sua família onde a atmosfera seria a mais pura possível. De vez em quando, então, dirigia-se aos habitantes do mundo com uma mensagem dada por Deus. Cada visita que fazia ao mundo lhe era penosa. Ele via e compreendia algo sobre a lepra do pecado. Depois de proclamar sua mensagem, sempre levava de volta consigo, ao seu lugar de retiro, uns poucos que aceitavam a advertência. Alguns desses se tornaram vencedores e morreram antes de vir o dilúvio. Alguns, no entanto, haviam vivido tanto tempo em meio à influência corruptora do pecado que não podiam suportar a justiça (Ms 42,1900).
23 Enoque morava no campo . Como guardadores dos mandamentos de Deus, temos que deixar as cidades. Como fez Enoque, devemos trabalhar nas cidades mas não morar nelas (Ev 77).
Evangelizar as cidades a partir do campo. As cidades devem ser trabalhadas de postos avançados. O mensageiro de Deus disse: “Não serão advertidas as cidades? Sim, não por morar nelas o povo de Deus, mas visitando-as, a fim de adverti-las do que está para sobrevir à Terra.” (Carta 182, 1902. Ev 77.4).
24 Nunca haverá trevas morais tão densas. Enoque andou com Deus, ao passo que a história sagrada registra a respeito do mundo ao seu redor: “Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na Terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração” [Gn 6:5]. A vida justa de Enoque estava em nítido contraste com a das pessoas ímpias ao seu redor. Sua piedade, pureza e a inabalável integridade eram resultado de seu andar com Deus, enquanto que a impiedade do mundo era resultado de seu andar com o enganador da humanidade. Nunca houve e nunca haverá uma época em que as trevas morais serão tão densas como quando Enoque viveu uma vida de irrepreensível justiça (Ms 43, 1900).
Enoque, o primeiro profeta. Enoque foi o primeiro profeta na humanidade. Ele predisse, profeticamente, a segunda vinda de Cristo ao nosso mundo, bem como Sua obra naquele tempo. Sua vida foi um exemplo de consistência cristã. Somente lábios santos devem proclamar as palavras de Deus em denúncias e juízos. Sua profecia não se encontra nos escritos do Antigo Testamento. Talvez nunca encontremos quaisquer livros que relatem os feitos de Enoque, mas Judas, um profeta de Deus, menciona a obra de Enoque (Ms 43, 1900).