Gênesis 9

Almeida Antiga - IBC

A aliança que Deus fez com Noé e com todo gênero humano

1 E Deus abençoou a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra.
2 E haverá medo e pavor de vós sobre todo animal da terra, sobre toda ave do céu, sobre tudo o que se arrasta sobre a terra, e sobre todos os peixes do mar; nas vossas mãos são eles entregues.
3 Tudo quanto se move e vive vos servirá de mantimento; assim como a erva verde, tudo vos tenho dado.
4 A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis.
5 Certamente requererei o vosso sangue, o sangue das vossas vidas; de todo animal o requererei; como também do homem, sim, da mão do irmão de cada um requererei a vida do homem.
6 Quem derramar o sangue de homem, pelo homem será seu sangue derramado; porque Deus fez o homem à sua imagem.
7 Mas quanto a vós, frutificai, e multiplicai-vos; povoai abundantemente a terra, e multiplicai-vos nela.
8 Disse também Deus a Noé e a seus filhos com ele:
9 Eis que eu estabeleço o meu pacto convosco e com a vossa descendência depois de vós,
10 e com todo ser vivente que está convosco: com as aves, com o gado e com todo animal da terra convosco; com todos os que saíram da arca, com todo animal da terra.
11 Estabeleço o meu pacto convosco; não mais será destruída toda a carne pelas águas do dilúvio; e não mais haverá um dilúvio para destruir a terra.
12 E disse Deus: Este é o sinal do pacto que firmo entre mim e vós e todo ser vivente que está convosco, por gerações perpétuas:
13 Eis que ponho o meu arco nas nuvens, e ele será por sinal de um pacto entre mim e a terra.
14 E acontecerá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, o arco será visto nas nuvens,
15 e eu me lembrarei do meu pacto, que há entre mim e vós e todo ser vivente de toda a carne; e as águas não mais se tornarão em dilúvio para destruir toda a carne.
16 O arco estará nas nuvens, e olharei para ele a fim de me lembrar do pacto eterno entre Deus e todo ser vivente de toda a carne que está sobre a terra.
17 E disse Deus a Noé ainda: Esse é o sinal do pacto que tenho estabelecido entre mim e toda a carne que está sobre a terra.
18 Ora, os filhos de Noé que saíram da arca foram Sem, Cam e Jafé; e Cam é o pai de Canaã.
19 Estes três foram os filhos de Noé; e destes foi povoada toda a terra.

Noé planta uma vinha

20 E Noé começou a cultivar a terra e plantou uma vinha.
21 E bebeu do vinho e embriagou-se; e estava nu dentro da sua tenda.
22 E Cam, pai de Canaã, viu a nudez de seu pai, e o contou a seus dois irmãos que estavam fora.
23 Então Sem e Jafé pegaram uma capa e puseram-na sobre os seus ombros, e andando virados para trás, cobriram a nudez de seu pai, tendo os rostos virados para trás, de maneira que não viram a nudez de seu pai.
24 E Noé despertou do seu vinho e soube o que seu filho mais moço lhe fizera;
25 e disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos será ele para seus irmãos.
26 E disse: Bendito seja o Senhor, o Deus de Sem; e Canaã lhe seja por servo.
27 Deus aumentará a Jafé, e este habitará nas tendas de Sem; e Canaã lhe será por servo.
28 E Noé viveu, depois do dilúvio, trezentos e cinquenta anos.
29 E foram todos os dias de Noé novecentos e cinquenta anos; e morreu.

Referências Cruzadas

1 Gn 9:7; Gn 9:19; Gn 1:28; Gn 10:32
2 Gn 1:28; Os 2:18
3 Dt 12:15; Dt 14:3; Dt 14:9; Dt 14:11; At 10:12; At 10:13; Gn 1:29; Rm 14:14; Rm 14:20; 1Co 10:23; 1Co 10:26; Cl 2:16; 1Tm 4:3; 1Tm 4:4
4 Lv 17:10; Lv 17:11; Lv 17:14; Lv 19:26; Dt 12:23; 1Sm 14:33; At 15:20; At 15:29
5 Ex 21:28; Gn 4:9; Gn 4:10; Sl 9:12; At 17:26
6 Ex 21:12; Ex 21:14; Lv 24:17; Mt 26:52; Ap 13:10; Gn 1:27
7 Gn 9:1; Gn 9:19; Gn 1:28
9 Gn 6:18; Is 54:9
10 Sl 145:9
11 Is 54:9
12 Gn 17:11
13 Ap 4:3
15 Is 59:4; Ex 28:12; Lv 26:42; Lv 26:45; Ez 16:60
16 Gn 17:13; Gn 17:19
18 Gn 10:6
19 Gn 5:32; Gn 10:32; 1Cr 1:4
20 Gn 3:19; Gn 3:23; Gn 4:2; Pv 12:11
21 Pv 20:1; 1Co 10:12
23 Ex 20:12; Gl 6:1
25 Dt 27:16; Js 9:23; 1Rs 9:20; 1Rs 9:21
26 Sl 144:15; Hb 11:16
27 Ef 2:13; Ef 2:14; Ef 3:6

2-3 Noé teve medo. Depois de sair da arca, olhou Noé aos fortes animais ferozes que com ele saíram; olhou também para sua família de apenas oito pessoas, e sentiu grande temor de que as feras fossem destruí-los. Mas o Senhor enviou um anjo a Seu servo com esta mensagem: [v. 2, 3] (VA 71.2).
6 Deus protege os direitos das pessoas. Quão cuidadosamente Deus protege os direitos das pessoas! Ele anexou uma penalidade ao assassinato proposital. “Se alguém derramar o sangue do homem, pelo homem se derramará o seu” (Gn 9:6). Se fosse permitido que um só assassino ficasse sem punição, ele, por sua má influência e cruel violência, arruinaria a outros. Isso levaria a um estado de coisas semelhante ao que existia antes do dilúvio. Deus precisa punir os assassinos. Ele dá a vida e a tirará, caso essa vida se torne um terror e uma ameaça (Ms 126, 1901).
12, 13 O arco mostra o amor de Cristo que circunda a Terra. Ao olharmos para esse arco, o selo e sinal da promessa de Deus à humanidade de que a tempestade de Sua ira não mais desolaria nosso mundo pelas águas de um dilúvio, consideramos que, além dos olhos finitos, outros olhos estão contemplando essa gloriosa cena. Os anjos se regozijam ao ver esse precioso sinal do amor de Deus pela humanidade. O Redentor do mundo olha para ele, pois foi por Seu intermédio que esse arco pôde aparecer no céu como sinal ou aliança da promessa feita ao ser humano. O próprio Deus olha para o arco nas nuvens, e Se lembra da aliança eterna entre Ele e o ser humano.
Depois de haver terminado a terrível exibição do poder vingador de Deus na destruição do mundo antigo pelo dilúvio, Ele sabia que, todas as vezes que as nuvens se acumulassem, os trovões ribombassem e reluzissem os relâmpagos, se despertariam os temores daqueles que haviam sido salvos da ruína geral, e que o som da tempestade e o cair da chuva vinda do céu lhes despertaria terror no coração, devido ao receio de que viesse outro dilúvio. Mas, na promessa, eles podem vero amor de Deus [Gn 9:12-15].
A família de Noé contemplou, com admiração e reverência, mescladas com alegria, este sinal da misericórdia de Deus, que se estendia de uma ponta a outra do céu. O arco representa o amor de Cristo que circunda a Terra e chega aos mais altos céus, ligando o ser humano com Deus e unindo a Terra ao Céu.
Ao contemplarmos a bela cena, podemos nos alegrar em Deus, com a certeza de que Ele próprio está olhando para este sinal de Sua aliança, e de que, ao fazê-lo, Se lembra de Seus filhos terrestres, a quem fora dado. Suas aflições, perigos e provas não Lhe estão ocultas. Podemos nos regozijar na esperança, pois o arco da aliança de Deus está sobre nós. Ele nunca Se esquecerá de Seus filhos, de quem cuida. Quão difícil é para a finita mente humana entender o amor e a ternura peculiares de Deus e Sua incomparável condescendência quando Ele disse: “Verei o arco nas nuvens e Me lembrarei de ti” (RH, 26/02/1880).