Hebreus 7

Almeida Antiga - IBC

Um sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque
1 Porque este Melquisedeque, rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, que saiu ao encontro de Abraão quando este regressava da matança dos reis, e o abençoou,
2 a quem também Abraão separou o dízimo de tudo (sendo primeiramente, por interpretação do seu nome, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz;
3 sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas feito semelhante ao Filho de Deus), permanece sacerdote para sempre.
4 Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu o dízimo dentre os melhores despojos.
5 E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar os dízimos do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que estes também tenham saído dos lombos de Abraão;
6 mas aquele cuja genealogia não é contada entre eles, tomou dízimos de Abraão, e abençoou ao que tinha as promessas.
7 Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior.
8 E aqui certamente recebem dízimos homens que morrem; ali, porém, os recebe aquele de quem se testifica que vive.
9 E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos,
10 porquanto ele estava ainda nos lombos de seu pai quando Melquisedeque saiu ao encontro deste.
11 De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (pois sob este o povo recebeu a lei), que necessidade havia ainda de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e que não fosse contado segundo a ordem de Arão?
12 Pois, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.
13 Porque aquele, de quem estas coisas se dizem, pertence a outra tribo, da qual ninguém ainda serviu ao altar,
14 visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, tribo da qual Moisés nada falou acerca de sacerdotes.
15 E ainda muito mais manifesto é isto, se à semelhança de Melquisedeque se levanta outro sacerdote,
16 que não foi feito conforme a lei de um mandamento carnal, mas segundo o poder duma vida indissolúvel.
17 Porque dele assim se testifica: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.
18 Pois, com efeito, o mandamento anterior é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
19 (pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou), e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual nos aproximamos de Deus.
20 E visto como não foi sem prestar juramento (porque, na verdade, aqueles, sem juramento, foram feitos sacerdotes,
21 # mas este com juramento daquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre segundo a ordem de Melquisedeque),
22 por isso mesmo, Jesus foi feito fiador de uma aliança superior.
23 E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer,
24 mas este, porque permanece para sempre, tem o seu sacerdócio perpétuo.
25 Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, porquanto vive sempre para interceder por eles.
26 Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime que os céus;
27 que não necessita, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez por todas, quando se ofereceu a si mesmo.
28 Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens que têm fraquezas, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, para sempre aperfeiçoado.

Referências Cruzadas

1 Gn 14:18
4 Gn 14:20
5 Nm 18:21; Nm 18:26
6 Gn 14:19; Rm 4:13; Gl 3:16
8 Hb 5:6; Hb 6:20
11 Hb 7:18; Hb 7:19; Gl 2:21; Hb 8:7
14 Is 11:1; Mt 1:3; Lc 3:33; Rm 1:3; Ap 5:5
17 Sl 110:4; Hb 5:6; Hb 5:10; Hb 6:20
18 Rm 8:3; Gl 4:9
19 At 13:39; Rm 3:20; Rm 3:21; Rm 3:28; Rm 8:3; Gl 2:16; Hb 9:9; Gl 3:24; Hb 6:18; Hb 8:6; Rm 5:2; Ef 2:18; Ef 3:12; Hb 4:16; Hb 10:19
21 Sl 110:4
22 Hb 8:6; Hb 9:15; Hb 12:24
24 Hb 1:10-11
25 Rm 8:34; 1Tm 2:5; 1Jo 2:1
26 Hb 4:15; Ef 1:20
27 Lv 9:7; Lv 16:15; Rm 6:10
28 Hb 5:1; Hb 5:2; Hb 2:10; Hb 5:9

17 Segundo a ordem de Melquisedeque. O sumo sacerdote tinha o propósito especial de representar a Cristo, que devia tornar-Se sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque. Esta ordem sacerdotal não devia dar lugar a outra, ou ser superada por outra (Redemption: The First Advent of Christ, p. 14).
22 Ver Ellen G. White sobre Hb 8:6, 7.
24-26 Ver Ellen G. White sobre Hb 4:14-16.
24-28 Ver Ellen G. White sobre Rm 8:26, 34.
25 ‘Eu assumirei os pecados deles’. O que Cristo está fazendo no Céu? Está intercedendo por nós. Mediante Sua obra, os portais do Céu estão inundados pela glória de Deus, que brilhará sobre toda pessoa que abrir as janelas da alma em direção ao Céu. Quando as orações dos sinceros e contritos ascendem ao Céu, Cristo diz ao Pai: “Eu assumirei os pecados deles. Que eles fiquem inocentes diante de Ti.” E, quando tira os pecados deles, enche-lhes o coração com a gloriosa luz da verdade e do amor (Ms 28, 1901).
As condições da eleição. Por causa de Sua vida imaculada, obediência e morte na cruz do Calvário, Cristo pode interceder pela raça perdida. O Autor de nossa salvação não intercede por nós agora como mero solicitante mas como um vencedor que reivindica Sua vitória. Sua oferta é completa, e como nosso intercessor executa a obra que escolheu fazer segurando diante de Deus o incensário que contém Seus próprios méritos imaculados e as orações, confissões e ações de graças de Seu povo. Perfumado com a fragrância de Sua justiça, o incenso ascende a Deus como suave aroma. A oferta é inteiramente aceitável, e o perdão cobre todas as transgressões. Para o verdadeiro crente, Cristo é de fato o ministro do santuário, que oficia ali em favor dele e que fala por meio dos agentes designados por Deus.
Cristo pode salvar totalmente todos os que vão a Ele com fé. Se o permitirem, Ele os limpará de toda mácula. Mas, caso se apeguem a seus pecados, não podem ser salvos, pois a justiça de Cristo não cobre nenhum pecado do qual não haja arrependimento. Deus declarou que aqueles que receberem a Cristo como seu redentor, aceitando-O como aquele que tira todo pecado, receberão perdão por suas transgressões. Estas são as condições de nossa eleição. A salvação do ser humano depende de que ele receba a Cristo pela fé. Aqueles que não quiserem recebê-Lo perderão a vida eterna, porque recusaram lançar mão do único meio provido pelo Pai e pelo Filho para a salvação de um mundo a perecer (Ms 142, 1899).
Intercessão pessoal. Cristo está vigilante. Ele sabe tudo sobre nossos fardos, perigos e dificuldades; e apresenta muitos argumentos em nosso favor. Ele adapta Suas intercessões às necessidades de cada pessoa, como fez no caso de Pedro. […] Nosso Advogado enche a boca de argumentos para ensinar os que são Seus, e que estão sendo provados e tentados, a se prepararem contra tentações de Satanás. Ele interpreta todo movimento do inimigo e conduz os acontecimentos (Carta 90, 1906).
25-27 Ver Ellen G. White sobre Rm 8:34.
26 Ver Ellen G. White sobre Hb 9:14.