Habacuque 3

Almeida Antiga - IBC

A oração de Habacuque
1 Oração do profeta Habacuque, à moda de sigionote.
2 Eu ouvi, Senhor, a tua fala, e temi; aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos; faze que ela seja conhecida no meio dos anos; na ira lembra-te da misericórdia.
3 Deus veio de Temã, e do monte Parã o Santo. A sua glória cobriu os céus, e a terra encheu-se do seu louvor.
4 E o seu resplendor é como a luz, da sua mão saem raios brilhantes, e ali está o esconderijo da sua força.
5 Adiante dele foi a peste, e a seus pés carvões ardentes.
6 Ficou de pé e mediu a terra; olhou, e fez tremer as nações; e os montes perpétuos se espalharam, os outeiros eternos se abateram; os seus caminhos são eternos.
7 Vi as tendas de Cusã em aflição; tremem as cortinas da terra de Midiã.
8 Acaso é contra os rios que o Senhor esteve irado? Foi contra os ribeiros a tua ira? Foi contra o mar o teu furor, visto que andaste montado nos teus cavalos e tuas carruagens de salvação?
9 Bem descoberto ficou o teu arco; de acordo com os juramentos das tribos, a tua própria palavra. (Selá) Tu fendeste a terra com rios.
10 Os montes te viram, e tremeram; a inundação das águas passou; o abismo fez ouvir a sua voz, e levantou bem alto as suas mãos.
11 O sol e a lua pararam nas suas moradas, ante o lampejo das tuas flechas foram, e ao brilho da tua lança fulgurante.
12 Com indignação marchaste pela terra, com ira trilhaste as nações.
13 Pois saíste ao socorro do teu povo, para salvamento com teu ungido. Tu feriste a cabeça da casa do ímpio, descobrindo-lhe de todo o fundamento até a nuca. (Selá)
14 Traspassaste a cabeça das suas aldeias com as suas próprias varas; eles saíram como turbilhão para me espalhar; a sua alegria era como para devorar o pobre em segredo.
15 Tu com os teus cavalos marchaste pelo mar, pelo montão de grandes águas.
16 Ouvindo-o eu, o meu ventre se comoveu, ao seu ruído tremeram os meus lábios; entrou a podridão nos meus ossos, tremi dentro de mim, para que possa descansar no dia da angústia: quando ele vier sobre o povo, os invadirá com suas tropas.
17 Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas vides; falhe o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; que o rebanho seja exterminado da malhada e nos currais não haja gado,
18 todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação.
19 O Senhor Deus é minha força, ele fará os meus pés como os da corça, e me fará andar sobre os meus lugares altos. (Ao regente de música nos meus instrumentos de cordas.)

Referências Cruzadas

1 Sl 7:1
2 Sl 85:6; Zc 1:12
3 Dt 33:2; Jr 49:7; Dt 33:2; Hc 3:13
5 Na 1:3; Dt 32:24; Sl 18:8; Ap 16:2
6 Na 1:5; Gn 49:26; Mt 25:32-33; Ap 16:14
8 Hb 3:15; Sl 68:17; Ap 16:4,3
9 Sl 78:15
10 Ex 19:16; Ex 14:22; Ap 16:18-19; Sl 114:6,7,4; Jz 5:5
11 Js 10:12; Js 10:11; Hc 3:3; Is 60:14-20
12 Jr 51:33; Lm 1:15; Is 63:1-6; Jl 3:13; Ap 14:18-20
13 Js 10:24
15 Hb 3:8; Sl 77:19-20
16 Sl 119:120; Is 26:20
17 Hc 1:2 Is 33:16
18 Jó 13:15; Is 41:16; Sl 13:5-6
19 Sl 27:1; 2Sm 22:34; Dt 32:13; Sl 4:1; Sl 18:32-33; Dt 33:29; Is 58:13-14

3-4 Volta de Jesus. Jesus, na nuvem, avança como poderoso vencedor[…] Com antífonas de melodia celestial, os santos anjos, em vasta e inumerável multidão, acompanham-nO em Seu avanço. O firmamento parece repleto de formas radiantes — “milhares de milhares, milhões de milhões.” Nenhuma pena humana pode descrever esta cena, mente alguma mortal é apta para conceber seu esplendor. “A Sua glória cobriu os céus e a Terra encheu-se do Seu louvor. E o Seu resplendor era como a luz” v. 3, 4 (GC 640.3).

13, 14 Segunda vinda: palavras incendiadas. A vinda de Cristo, para inaugurar o reino de justiça, tem inspirado as mais sublimes e exaltadas declarações dos escritores sagrados. Os poetas e videntes da Bíblia dela trataram com palavras incendidas de fogo celestial. O salmista cantou do poder e majestade do Rei de Israel: [Salmo 50:2-4; 96:11-13].
Disse o profeta Isaías: [Isaías 26:19; 25: 8, 9]. E Habacuque, transportado em santa visão, contemplou Seu aparecimento. [Habacuque 3:3-13] (GC 300).