Isaías 30

Almeida Antiga - IBC

Filhos rebeldes
1 Ai dos filhos rebeldes, diz o Senhor, que tomam conselho, mas não de mim; e que se cobrem, mas não do meu espírito, para acrescentarem pecado a pecado;
2 que caminham para descer ao Egito, sem perguntarem da minha boca; para se fortificarem com a força de Faraó, e para confiarem na sombra do Egito!
3 Portanto, a força de Faraó será a vossa vergonha, e a confiança na sombra do Egito vossa confusão.
4 Pois os seus oficiais estiveram em Zoã, e os seus embaixadores chegaram a Hanes,
5 eles se envergonharam de um povo que de nada lhes serviu, nem de ajuda, nem de proveito, porém de vergonha como também de opróbrio.
6 Oráculo das bestas do sul. Para a terra de aflição e de angústia, de onde vem a leoa e o leão, o basilisco, a áspide e a serpente voadora, levarão às costas de jumentinhos as suas riquezas, e sobre as corcovas de camelos os seus tesouros, a um povo que de nada lhes aproveitará.
7 Pois o Egito os ajudará em vão, e para nenhum propósito; pelo que eu tenho clamado, sobre isso: sua força é sentar quieto.
8 Vai pois agora, escreve isso numa tábua perante eles, registra-o num livro; para que fique como testemunho para o tempo vindouro, para sempre e sempre:
9 que este é um povo rebelde, filhos mentirosos, filhos que não querem ouvir a lei do Senhor;
10 que dizem aos videntes: Não vejais; e aos profetas: Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos coisas aprazíveis, e profetizai-nos ilusões;
11 desviai-vos do caminho, apartai-vos da vereda; fazei que o Santo de Israel deixe de estar perante nós.
12 Pelo que assim diz o Santo de Israel: Visto como rejeitais esta palavra, e confiais na opressão e na perversidade, e sobre elas vos apoiais;
13 por isso esta maldade vos será como brecha que, prestes a cair, já forma barriga num alto muro, cuja queda vem subitamente, num momento.
14 E ele o quebrará como se quebra o vaso do oleiro, que é despedaçado, ele não poupará, de modo que não se achará entre os seus pedaços um caco que sirva para tomar fogo da lareira, ou tirar água da poça.
15 Pois assim diz o Senhor Deus, o Santo de Israel: Voltando e em descanso, sereis salvos; no sossego e na confiança estará a vossa força. Mas não quisestes;
16 antes dissestes: Não; porém sobre cavalos fugiremos; portanto fugireis; e: cavalgaremos sobre os ligeiros; portanto hão de ser ligeiros os vossos perseguidores.
17 Mil fugirão pela ameaça de um só; e pela ameaça de cinco vós fugireis; até que fiqueis como o mastro no cume dum monte, e como o estandarte sobre um outeiro.

A misericórdia de Deus

18 Por isso o Senhor esperará, para ter misericórdia de vós; e por isso será exaltado, para se compadecer de vós; porque o Senhor é um Deus de juízo; bem-aventurados todos os que por ele esperam.
19 Pois o povo habitará em Sião, em Jerusalém; não chorarás mais; será muito misericordioso para contigo, à voz do teu clamor; quando a ouvir, te responderá.
20 Embora vos dê o Senhor pão de angústia e água de aflição, contudo não serão removidos os teus mestres a um canto; antes os teus olhos verão os teus mestres:
21 e os teus ouvidos ouvirão uma palavra por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele; quando vos desviardes para a direita ou para a esquerda.
22 E contaminareis também tuas imagens esculpidas de prata, e o ornamento de tuas imagens fundidas de ouro; e as lançarás fora como roupa menstruada; e lhes dirás: Fora daqui.
23 Então ele te dará chuva para a tua semente, com que semearás a terra, e pão do fruto da terra, o qual será gordo e abundante. Naquele dia o teu gado pastará em largos pastos.
24 Os bois também, e os jumentinhos que lavram a terra comerão forragem limpa, que terá sido padejada com a pá e com o abanador.
25 Sobre todo monte alto, e todo outeiro elevado haverá ribeiros e correntes de águas, no dia da grande matança, quando caem as torres.
26 Ademais, a luz da lua será como a luz do sol, e a luz do sol sete vezes maior, como a luz de sete dias, no dia em que o Senhor atar a brecha do seu povo, e curar a chaga da sua ferida.
27 Eis que o nome do Senhor vem de longe ardendo na sua ira, e seu peso é pesado; os seus lábios estão cheios de indignação, e a sua língua é como um fogo consumidor;
28 e a sua respiração é como o ribeiro transbordante, que chega até o pescoço, para peneirar as nações com peneira de destruição; e um freio de fazer errar estará nas queixadas dos povos.
29 Um cântico haverá entre vós, como na noite em que se celebra uma festa santa; e alegria de coração, como a daquele que sai ao som da flauta para vir ao monte do Senhor, ao poderoso de Israel.
30 O Senhor fará ouvir a sua voz majestosa, e mostrará a descida do seu braço, na indignação da sua ira, e a labareda dum fogo consumidor, e tempestade forte, e dilúvio e pedras de saraiva.
31 Pois com a voz do Senhor o assírio será castigado, o que feriu com a vara.
32 E a cada lugar onde passar o bordão de castigo, que o Senhor lhe imporá, haverá tamboris e harpas; e com batalhas de agitação combaterá contra ele.
33 Porque Tofete está, de há muito, preparada; sim, está preparada para o rei; a fez profunda e larga; a sua pilha é fogo e muita lenha; o assopro do Senhor como torrente de enxofre a acende.

Referências Cruzadas

1 Is 29:15; Dt 29:19
2 Is 31:1; Nm 27:21; Js 9:14; 1Rs 22:7; Jr 21:2; Jr 42:2; Jr 42:20
3 Is 20:5; Jr 37:5; Jr 37:7
4 Is 19:11
5 Jr 2:36
6 Is 57:9; Os 8:9; Os 12:1; Dt 8:15
7 Jr 37:7; Is 30:15; Is 7:4
8 Hb 2:2
9 Is 30:1; Dt 32:20; Is 1:4
10 Jr 11:21; Am 2:12; Am 7:13; Mq 2:6; 1Rs 22:13; Mq 2:11
13 Sl 62:3; Is 29:5
14 Sl 2:9; Jr 19:11
15 Is 30:7; Is 7:4; Mt 23:37
17 Lv 26:8; Dt 28:25; Dt 32:30; Js 12:10
18 Sl 2:12; Sl 34:8; Pv 16:20; Jr 17:7
19 Is 65:9
20 1Rs 22:27; Sl 127:2; Sl 74:9; Am 8:11
21 Js 1:7
22 2Cr 31:1; Is 2:20; Is 31:7; Os 14:8
23 Mt 6:33; 1Tm 4:8
25 Is 2:14; Is 2:15; Is 44:3
26 Is 60:19; Is 60:20
28 Is 11:4; 2Ts 2:8; Is 8:8; Is 37:29
29 Sl 43:4; Is 2:3; Dt 32:4
30 Is 29:6; Is 28:2; Is 32:19
31 Is 37:36; Is 10:5; Is 10:24
32 Is 11:15; Is 19:16
33 Jr 7:31; Jr 19:6

10. Oposição a fiéis advertências. Há alguns nesses últimos dias que clamarão: [v. 10]. Este, porém, não é o meu trabalho. Deus me colocou como reprovadora de Seu povo; e tão seguramente como me colocou essa pesada carga, tornará aqueles a quem essa mensagem é dada responsáveis pela maneira com que a tratam (T4 231.3)

15 Não se prova a utilidade com barulho e ruído. Precisamos confiar em Deus. Essa necessidade é imperiosa. Não é o barulho e ruído que fazemos no mundo o que prova nossa utilidade. Vejam quão silenciosamente Deus atua! Não ouvimos o barulho de Seus passos, mas Ele anda ao nosso redor, trabalhando para o nosso bem. Jesus não buscava notoriedade; Seu poder doador de vida fluía para os necessitados e os aflitos por meio de atos silenciosos, cuja influência se estendeu a todas as terras e foi sentida e expressa na vida de milhões de seres humanos. Os que desejam trabalhar com Deus necessitam de Seu Espírito cada dia; necessitam andar e trabalhar com mansidão e humildade de espírito, sem procurar realizar coisas extraordinárias, satisfeitos por fazer o trabalho que está diante deles, e fazê-lo fielmente. Talvez os homens não vejam ou apreciem seus esforços, mas os nomes desses fiéis filhos de Deus estão escritos no Céu entre Seus mais nobres obreiros, como espalhando Sua semente, tendo em vista gloriosa colheita. “Pelos seus frutos os conhecereis” [Mt 7:16, 20] (NAV [MM 1962], 132; Ms 24,1887).
Tomar tempo para descansar, pensar, apreciar. O Senhor deseja que os seres humanos tomem tempo para descansar, tempo para pensar nas coisas celestiais e apreciá-las. Aqueles que não valorizam as coisas celestiais o suficiente para lhes dedicar tempo, no final perderão tudo (Carta 181,1903).
28-32 Cântico dos remidos. “A soberba da Assíria, e o cetro do Egito se retirará”. Zacarias 10:11. Isto é verdade não somente com respeito às nações que se arregimentaram contra Deus nos tempos antigos, mas também em relação às nações de hoje que deixam de cumprir o divino propósito. No dia da recompensa final, quando o justo Juiz de toda a Terra há de peneirar as nações (Isaías 30:28), e aos que têm sustentado a verdade for permitido entrar na cidade de Deus, as arcadas do Céu reboarão com os triunfantes cânticos dos redimidos (PR 188.2).