João 7

Almeida Antiga - IBC

Incredulidade dos irmãos de Jesus
1 Depois disto andava Jesus pela Galileia; pois não queria andar pela Judeia, porque os judeus procuravam matá-lo.
2 Ora, estava próxima a festa dos judeus, a dos tabernáculos.
3 Disseram-lhe, então, seus irmãos: Retira-te daqui e vai para a Judeia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes.
4 Porque ninguém faz coisa alguma em oculto, quando procura ser conhecido. Já que fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo.
5 Pois nem seus irmãos criam nele.
6 Disse-lhes, então, Jesus: Ainda não é chegado o meu tempo; mas o vosso tempo sempre está presente.
7 O mundo não vos pode odiar; mas ele me odeia a mim, porquanto dele testifico que as suas obras são más.
8 Subi vós à festa; eu não subo ainda a esta festa, porque ainda não é chegado o meu tempo.
9 E, havendo-lhes dito isto, ficou na Galileia.

Jesus na festa dos tabernáculos

10 Mas quando seus irmãos já tinham subido à festa, então subiu ele também, não publicamente, mas como em secreto.
11 Ora, os judeus o procuravam na festa, e perguntavam: Onde está ele?
12 E era grande a murmuração a respeito dele entre as multidões. Diziam alguns: Ele é bom. Mas outros diziam: não, antes engana o povo.
13 Todavia ninguém falava dele abertamente, por medo dos judeus.
14 Estando, pois, a festa já em meio, subiu Jesus ao templo e começou a ensinar.
15 Então os judeus se admiravam, dizendo: Como sabe este letras, sem ter estudado?
16 Respondeu-lhes Jesus: A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou.
17 Se alguém quiser fazer a vontade de Deus, há de saber se a doutrina é dele, ou se eu falo por mim mesmo.
18 Quem fala por si mesmo busca a sua própria glória; mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça.
19 Não vos deu Moisés a lei? No entanto nenhum de vós cumpre a lei. Por que procurais matar-me?
20 Respondeu a multidão: Tens demônio; quem procura matar-te?
21 Replicou-lhes Jesus: Uma só obra fiz, e todos vos admirais por causa disto.
22 Moisés vos ordenou a circuncisão (não que fosse de Moisés, mas dos pais), e no sábado circuncidais um homem.
23 Ora, se um homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja violada, como vos indignais contra mim, porque no sábado tornei um homem inteiramente são?
24 Não julgueis pela aparência mas julgai segundo o reto juízo.
25 Diziam então alguns dos de Jerusalém: Não é este o que procuram matar?
26 E eis que ele está falando abertamente, e nada lhe dizem. Será que as autoridades realmente o reconhecem como o Cristo?
27 Entretanto sabemos donde este é; mas, quando vier o Cristo, ninguém saberá donde ele é.
28 Jesus, pois, levantou a voz no templo e ensinava, dizendo: Sim, vós me conheceis, e sabeis donde sou; contudo eu não vim de mim mesmo, mas aquele que me enviou é verdadeiro, o qual vós não conheceis.
29 Mas eu o conheço, porque dele venho, e ele me enviou.
30 Procuravam, pois, prendê-lo; mas ninguém lhe deitou as mãos, porque ainda não era chegada a sua hora.
31 Contudo muitos da multidão creram nele, e diziam: Será que o Cristo, quando vier, fará mais milagres do que este tem feito?

Projetos de prisão de Jesus

32 Os fariseus ouviram a multidão murmurar estas coisas a respeito dele; e os principais sacerdotes e os fariseus mandaram guardas para o prenderem.
33 Disse, pois, Jesus: Ainda um pouco de tempo estou convosco, e depois vou para aquele que me enviou.
34 Vós me buscareis, e não me achareis; e onde eu estou, vós não podeis vir.
35 Disseram, pois, os judeus uns aos outros: Para onde irá ele, que não o acharemos? Irá, porventura, à Dispersão entre os gregos, e ensinará os gregos?
36 Que palavra é esta que disse: Buscar-me-eis, e não me achareis; e, Onde eu estou, vós não podeis vir?

A promessa do Espírito Santo

37 Ora, no seu último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim e beba.
38 Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva.
39 Ora, isto ele disse a respeito do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito ainda não fora dado, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado.
40 Então alguns dentre o povo, ouvindo essas palavras, diziam: Verdadeiramente este é o profeta.
41 Outros diziam: Este é o Cristo; mas outros replicavam: Vem, pois, o Cristo da Galileia?
42 Não diz a Escritura que o Cristo vem da descendência de Davi, e de Belém, a aldeia donde era Davi?
43 Assim houve uma dissensão entre o povo por causa dele.
44 Alguns deles queriam prendê-lo; mas ninguém lhe pôs as mãos.
45 Os guardas, pois, foram ter com os principais dos sacerdotes e fariseus, e estes lhes perguntaram: Por que não o trouxestes?
46 Responderam os guardas: Nunca homem algum falou assim como este homem.
47 Replicaram-lhes, pois, os fariseus: Também vós fostes enganados?
48 Creu nele porventura alguma das autoridades, ou alguém dentre os fariseus?
49 Mas esta multidão, que não sabe a lei, é maldita.
50 Nicodemos, um deles, que antes fora ter com Jesus, perguntou-lhes:
51 A nossa lei, porventura, julga um homem sem primeiro ouvi-lo e ter conhecimento do que ele faz?
52 Responderam-lhe eles: És tu também da Galileia? Examina e vê que da Galileia não surge profeta.
53 E cada um foi para sua casa.

Referências Cruzadas

1 Jo 5:16; Jo 5:18
2 Lv 23:34
3 Mt 12:46; Mc 3:31; At 1:14
5 Mc 3:21
6 Jo 8:30; Jo 2:4; Jo 8:20
7 Jo 15:19; Jo 3:19
8 Jo 7:6; Jo 8:20
11 Jo 11:56
12 Jo 9:16; Jo 10:19; Jo 6:40; Mt 21:46; Lc 7:16; Jo 6:14
13 Jo 9:22; Jo 12:42; Jo 19:38
15 Mt 13:54; Mc 6:2; Lc 4:22; At 2:7
16 Jo 3:11; Jo 8:28; Jo 12:49; Jo 14:10; Jo 14:24
17 Jo 8:43
18 Jo 5:41; Jo 8:50
19 Ex 24:3; Dt 33:4; Jo 1:17; At 7:38; Mt 12:14; Mc 3:6; Jo 5:16; Jo 5:18; Jo 10:31; Jo 10:39; Jo 11:53
20 Jo 8:48; Jo 8:52; Jo 10:20
22 Lv 12:3; Gn 17:10
23 Jo 5:8; Jo 5:9; Jo 5:16
24 Dt 1:16; Dt 1:17; Pv 24:23; Jo 8:15; Tg 2:1
26 Jo 7:48
27 Mt 13:55; Mc 6:3; Lc 4:22
28 Jo 8:14; Jo 5:43; Jo 8:42; Jo 5:32; Jo 8:26; Rm 3:4; Jo 1:18; Jo 8:55
29 Mt 11:27; Jo 10:15
30 Jo 7:19; Mc 11:18; Lc 19:47; Lc 20:19; Jo 8:37; Jo 7:44; Jo 8:20
31 Mt 12:23; Jo 3:2; Jo 8:30
33 Jo 13:33; Jo 16:16
34 Os 5:6; Jo 8:21; Jo 13:33
35 Is 11:12; Tg 1:1; 1Pe 1:1
37 Lv 23:36; Is 55:1; Jo 6:35; Ap 22:17
38 Dt 18:15; Pv 18:4; Is 12:3; Is 44:3; Jo 4:14
39 Is 44:3; Jl 2:28; Jo 16:7; At 2:17; At 2:33; At 2:38; Jo 12:16; Jo 16:7
40 Dt 18:15; Dt 18:18; Jo 1:21; Jo 6:14
41 Jo 4:42; Jo 6:69; Jo 7:52; Jo 1:46
42 Sl 132:11; Jr 23:5; Mq 5:2; Mt 2:5; Lc 2:4; 1Sm 16:1; 1Sm 16:4
43 Jo 7:12; Jo 9:16; Jo 10:19
44 Jo 7:30
46 Mt 7:29
48 Jo 12:42; At 6:7; 1Co 1:20; 1Co 1:26; 1Co 2:8
50 Jo 3:2
51 Dt 1:17; Dt 17:8; Dt 19:15
52 Jo 7:41; Is 9:1; Is 9:2; Mt 4:15; Jo 1:46

1-5 Parentes não compreendiam a missão de Cristo. Os irmãos aqui mencionados eram os filhos de José, e suas palavras foram ditas com ironia. Era muito doloroso para Cristo que Seus parentes mais próximos não entendessem Sua missão e apoiassem as ideias sugeridas pelos inimigos dEle. Mas o Salvador não respondeu ao cruel sarcasmo com palavras da mesma natureza. Compadeceu-Se da ignorância espiritual de Seus irmãos e ansiou dar-lhes uma compreensão clara de Sua missão (Ms 33, 1911).
1-53 Ver Ellen G. White sobre Êx 23:16.
3-5 Devolveu a censura. Seus irmãos Lhe haviam falado em tom de autoridade, ditando o caminho que devia seguir. Ele lhes devolveu a censura, classificando-os, não com Seus abnegados discípulos, mas com o mundo [v. 6, 7] (DTN 315.3).
15 Saber letras sem ter estudado. Nosso Salvador não animava ninguém a frequentar as escolas dos rabinos de Sua época, pela razão de que a mente seria corrompida com o continuamente repetido: “Dizem”, ou: “Foi dito”. Como, pois, devemos nós aceitar as instáveis palavras humanas como exaltada sabedoria, quando se encontra ao nosso alcance uma sabedoria maior e infalível? (T8 310.2).
16 Resgatadas do erro. “Respondeu-lhes Jesus: O Meu ensino não é Meu, e sim dAquele que Me enviou.” Minhas palavras estão em perfeita harmonia com as Escrituras do Antigo Testamento e com a lei pronunciada no Sinai. Não estou pregando uma nova doutrina; estou apresentando antigas verdades resgatadas do sistema de ideias do erro e colocadas numa nova perspectiva (Ms 33, 1911).
41, 50-52 Autoridades e sacerdotes foram enganados. A lição que Cristo havia dado a Nicodemos não fora em vão. A convicção se apoderara de sua mente e, em seu coração, ele aceitou a Jesus. Desde a entrevista com o Salvador, ele havia sinceramente esquadrinhado as Escrituras do Antigo Testamento e visto a verdade colocada no contexto do evangelho.
A pergunta feita por ele era sábia e por si só teria se mostrado merecedora da atenção daqueles que presidiam o conselho, caso não tivessem sido enganados pelo inimigo. Mas estavam tão cheios de preconceito, que argumento algum em favor do Jesus de Nazaré, por mais convincente que fosse, tinha qualquer peso para eles. A resposta que Nicodemos recebeu foi: “Dar-se-á o caso de que também tu és da Galileia? Examina e verás que da Galileia não se levanta profeta” (Jo 7:52).
Os sacerdotes e as autoridades haviam sido enganados, como Satanás queria que fossem, e levados a crer que Cristo saíra da Galileia. Alguns que sabiam que Ele nascera em Belém guardaram silêncio, para que a falsidade não perdesse o seu poder (CT [MM 2002], 234).