Jeremias 4

Almeida Antiga - IBC

1 Se voltares, ó Israel, diz o Senhor, se voltares para mim e tirares as tuas abominações de diante de mim, e não andares mais vagueando;
2 e se jurares: Como vive o Senhor, na verdade, na justiça e na retidão; então nele se bendirão as nações, e nele se gloriarão.
3 Porque assim diz o Senhor aos homens de Judá e a Jerusalém: Lavrai o vosso terreno alqueivado, e não semeeis entre espinhos.
4 Circuncidai-vos ao Senhor, e tirai os prepúcios do vosso coração, ó homens de Judá e habitadores de Jerusalém, para que a minha indignação não venha a sair como fogo, e arda de modo que ninguém o possa apagar, por causa da maldade das vossas obras.

A invasão estrangeira anunciada e descrita

5 Anunciai em Judá, e publicai em Jerusalém; e dizei: Tocai a trombeta na terra; gritai em alta voz, ajuntai e dizei: congregai-vos, e entremos nas cidades fortificadas.
6 Arvorai o estandarte no caminho para Sião; retirai-vos, não demoreis; porque eu trarei do norte um mal, sim, uma grande destruição.
7 Subiu o leão da sua ramada, e o destruidor dos gentios está a caminho, saiu do seu lugar para fazer da tua terra uma desolação, e as tuas cidades serão assoladas, sem habitante.
8 Por isso cingi-vos de saco, lamentai, e uivai, porque o ardor da ira do Senhor não se desviou de nós.
9 E acontecerá naquele dia, diz o Senhor, que desfalecerá o coração do rei e o coração dos príncipes; os sacerdotes pasmarão, e os profetas se maravilharão.
10 Então disse eu: Ah, Senhor Deus! Certamente enganaste grandemente a este povo e a Jerusalém, dizendo: Tereis paz; entretanto a espada penetra-lhe até a alma.
11 Naquele tempo se dirá a este povo e a Jerusalém: Um vento abrasador, vindo dos altos no deserto, aproxima-se da filha do meu povo, não para cirandar, nem para alimpar,
12 sim, um bom vento destes lugares virá a mim; agora também pronunciarei eu juízos contra eles.
13 Eis que ele virá subindo como nuvens, como o redemoinho serão os seus carros; os seus cavalos são mais ligeiros do que as águias. Ai de nós! Pois estamos arruinados!
14 Lava o teu coração da maldade, ó Jerusalém, para que sejas salva; até quando habitarão em ti os teus vãos pensamentos?
15 Porque uma voz anuncia desde Dã, e proclama a calamidade desde o monte de Efraim.
16 Fazei menção às nações; eis, proclamai contra Jerusalém que vigias vêm de uma terra remota; e levantam a voz contra as cidades de Judá.
17 Como guardas de campo estão contra ela ao redor; porquanto ela tem sido rebelde contra mim, diz o Senhor.
18 O teu caminho e as tuas obras te trouxeram essas coisas; essa é a tua iniquidade, porque amargosa é, porque chega até o teu coração.

Lamentações por Judá

19 Ah, entranhas minhas, entranhas minhas! Tenho dores no próprio coração; meu coração faz ruído em mim; não posso me calar; porque tu ouviste, ó minha alma, o som da trombeta e o alarido da guerra.
20 Destruição sobre destruição se apregoa; porque já toda a terra está assolada; de repente são destruídas as minhas tendas, e as minhas cortinas num momento.
21 Até quando verei o estandarte, e ouvirei a voz da trombeta?
22 Deveras o meu povo é insensato, já não me conhece; são filhos ignorantes, não têm entendimento; são sábios para fazer o mal, mas não têm conhecimento para fazer o bem.
23 Observei a terra, e eis que era sem forma e vazia; e os céus, e não tinham luz.
24 Observei os montes, e eis que estavam tremendo; e todos os outeiros estremeciam.
25 Observei e eis que não havia homem algum, e todas as aves do céu tinham fugido.
26 Vi também que a terra fértil era um deserto, e todas as suas cidades estavam derrubadas pela presença do Senhor, e pela sua intensa ira.
27 Pois assim tem dito o Senhor: Toda a terra ficará assolada; de todo, porém, não a consumirei.
28 Por isso lamentará a terra, e os céus em cima se enegrecerão; porquanto assim o disse eu, assim o propus, e não me arrependerei, nem me desviarei disso.
29 Ao clamor dos cavaleiros e dos flecheiros fugirá toda a cidade; entrarão pelas matas, e treparão pelos penhascos; todas as cidades ficarão desamparadas, e nenhum homem habitará nelas.
30 E quando fores despojada, que farás? Embora te vistas de escarlate, e te adornes com enfeites de ouro, embora pintes teu rosto com maquiagem, debalde te farias bela; os teus amantes te desprezarão, e procurarão tirar-te a vida.
31 Pois ouvi uma voz, como a de mulher que está de parto, a angústia como a de quem dá à luz o seu primeiro filho; a voz da filha de Sião, ofegante, que estende as mãos, dizendo: Ai de mim agora! Porque a minha alma desfalece por causa dos assassinos.

Referências Cruzadas

1 Jr 3:1; Jr 3:22; Jl 2:12
2 Dt 10:20; Is 45:23; Is 65:16; Jr 5:2; Is 48:1; Zc 8:8; Gn 22:18; Sl 72:17; Gl 3:8; Is 45:25; 1Co 1:31
3 Os 10:12; Mt 13:7; Mt 13:22
4 Dt 10:16; Dt 30:6; Jr 9:26; Rm 2:28; Rm 2:29; Cl 2:11
5 Jr 8:14
6 Jr 1:13; Jr 1:14; Jr 1:15; Jr 6:1; Jr 6:22
7 2Rs 24:1; Jr 5:6; Dn 7:4; Jr 25:9; Is 1:7; Jr 2:15
8 Is 22:12; Jr 6:26
10 Ez 14:9; 2Ts 2:11; Jr 5:12; Jr 14:13
11 Jr 51:1; Ez 17:10; Os 13:15
12 Jr 1:16
13 Is 5:28; Dt 28:49; Lm 4:19; Os 8:1; Hb 1:8; Jr 49:36-37; Lm 4:19
14 Is 1:16; Tg 4:8
15 Jr 8:16
16 Jr 5:15
17 2Rs 25:1; 2Rs 25:4
18 Sl 107:17; Is 50:1; Jr 2:17; Jr 2:19
19 Is 15:5; Is 16:11; Is 21:3; Is 22:4; Jr 9:1; Jr 9:10; Lc 19:42
20 Sl 42:7; Ez 7:26; Jr 10:20
22 Rm 16:19
23 Is 24:19; Gn 1:2
24 Is 5:25; Ez 38:20
25 Sf 1:3; Is 24:1; Jr 25:31f
27 Jr 5:10; Jr 5:18; Jr 30:11; Jr 46:28
28 Os 4:3; Is 5:30; Is 50:3; Nm 23:19; Jr 7:16
30 2Rs 9:30; Ez 23:40; Jr 22:20; Jr 22:22; Lm 1:2; Lm 1:19
31 Is 1:15; Lm 1:17

3 Diligente trabalho. O jardim do coração precisa ser cultivado. Precisa o solo ser sulcado por profundo arrependimento. As plantas venenosas e diabólicas devem ser arrancadas. O terreno, uma vez coberto de espinhos, só pode ser reconquistado por diligente trabalho. Assim, as más tendências do coração natural só podem ser vencidas por sincero esforço em nome de Jesus e por Sua virtude (PJ 22.2).
19-20. Desolações finais. Em visões do grande dia do juízo, aos inspirados mensageiros de Jeová foi dado ver ligeiramente a consternação dos que não estavam preparados para se encontrarem com o seu Senhor em paz. [Isaías 24:1-8; Joel 1:15-18, 12].
“Estou ferido no meu coração” Jeremias exclamou ao contemplar as desolações produzidas durante as cenas finais da história da Terra [v. 19, 20; Isaías 2:17-21]. Desses tempos de transição, quando o orgulho do homem há de ser abatido, Jeremias, testifica: [Jeremias 4:23-26; 30:7] (PR 373).

A consternação dos despreparados.
Em visões do grande dia do juízo, aos inspirados mensageiros de Jeová foi dado ver ligeiramente a consternação dos que não estavam preparados para se encontrarem com o seu Senhor em paz. [Is 24:1-8; Joel 1:15-18, 12; v. 19, 20 e Isaías 2:17-21] (PR 373).

Tempo do fim da graça. Era necessário que os homens fossem advertidos do perigo; que se despertassem a fim de preparar-se para os acontecimentos solenes ligados ao final do tempo da graça. Declara o profeta de Deus: [Jl 2:11; Hc 1:13]. O profeta Jeremias, prevendo esse tempo terrível, exclamou: [v. 19, 20; Sofonias 1:15, 16; Isaías 13:9].
Ante a perspectiva desse grande dia, a Palavra de Deus, com expressões as mais solenes e impressivas, apela para Seu povo a fim de que desperte da letargia espiritual e busque Sua face, com arrependimento e humilhação. [Joel 2:1, 15-17, 12, 13] (GC 311).

19,20; 23-26. Tudo o que pode ser abalado o será. O mundo está agitado pelo espírito de guerra. A profecia do capítulo onze de Daniel atingiu quase o seu cumprimento completo. Logo se darão as cenas de perturbação das quais falam as profecias. [Isaías 24:1-8; Joel 1:15-18, 12; v. 19, 20; 23-26; 30:7]. Nem todos neste mundo tomaram o partido dos inimigos de Deus. Nem todos se tornaram desleais. Uns poucos existem que são fiéis a Deus; pois escreve João: “Aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:12. Logo será travada a violenta luta entre os que servem a Deus e os que O não servem. Logo tudo que pode ser abalado o será, para que permaneçam as coisas que não podem ser abaladas (T9 15.5).

19,20,23-26. Cenas finais. A Bíblia, e a Bíblia só, dá-nos uma perspectiva correta destas coisas. Ali estão reveladas as grandes cenas finais da história de nosso mundo, acontecimentos que já estão projetando suas sombras diante de si, fazendo o ruído de sua aproximação com que a Terra trema e o coração dos homens desmaie de temor. [Isaías 24:1, 5, 8; Joel 1:15, 17, 18, 12; v. 19, 20, 23-26; 30:7; Isaías 26:20; Salmos 91:9, 10; 50:1-3, 4, 6; Miqueias 4:10-12; Jeremias 30:17, 18; Isaías 25:9, 8; 33:20, 22; 11:4].
Então se cumprirá o propósito de Deus; os princípios do Seu reino serão honrados por todos debaixo do Sol. [Isaías 60:18; 54:14].
Os profetas a quem foram reveladas estas grandes cenas, anelavam compreender sua significação. Eles “inquiriram e trataram diligentemente,… indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava. … Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas;… para as quais coisas os anjos desejam bem atentar”. 1 Pedro 1:10-12.
A nós, que nos achamos nas vésperas do seu cumprimento, de quão profunda importância, de quão vívido interesse, são estes delineamentos de coisas vindouras — fatos pelos quais, desde que nossos primeiros pais se retiraram do Éden, têm os filhos de Deus vigiado e esperado, ansiado e orado! (Ed 180-183).