Juízes 13

Almeida Antiga - IBC

O nascimento de Sansão
1 Os filhos de Israel tornaram a fazer o que era mau aos olhos do Senhor, e ele os entregou na mão dos filisteus por quarenta anos.
2 Havia um homem de Zorá, da tribo de Dã, cujo nome era Manoá; e sua mulher, sendo estéril, não lhe dera filhos.
3 Mas o anjo do Senhor apareceu à mulher e lhe disse: Eis que és estéril, e nunca deste à luz; porém conceberás, e terás um filho.
4 Agora pois, toma cuidado, e não bebas vinho nem bebida forte, e não comas coisa alguma impura;
5 porque tu conceberás e terás um filho, sobre cuja cabeça não passará navalha, porquanto o menino será nazireu de Deus desde o ventre de sua mãe; e ele começará a livrar a Israel da mão dos filisteus.
6 Então a mulher entrou e falou a seu marido, dizendo: Veio a mim um homem de Deus, cujo semblante era como o de um anjo de Deus, em extremo terrível; e não lhe perguntei de onde era, nem ele me disse o seu nome;
7 porém disse-me: Eis que tu conceberás e terás um filho. Agora pois, não bebas vinho nem bebida forte, e não comas coisa imunda; porque o menino será nazireu de Deus, desde o ventre de sua mãe até o dia da sua morte.
8 Então Manoá suplicou ao Senhor, dizendo: Ah! Senhor meu, rogo-te que o homem de Deus, que enviaste, venha ter conosco outra vez e nos ensine o que devemos fazer ao menino que há de nascer.
9 Deus ouviu a voz de Manoá; e o anjo de Deus veio outra vez ter com a mulher, estando ela sentada no campo, porém não estava com ela seu marido, Manoá.
10 Apressou-se, pois, a mulher e correu para dar a notícia a seu marido, e disse-lhe: Eis que me apareceu aquele homem que veio ter comigo o outro dia.
11 Então Manoá se levantou, seguiu a sua mulher e, chegando à presença do homem, perguntou-lhe: És tu o homem que falou a esta mulher? Ele respondeu: Sou eu.
12 Então disse Manoá: Quando se cumprirem as tuas palavras, como se há de criar o menino e que fará ele?
13 Respondeu o anjo do Senhor a Manoá: De tudo quanto eu disse à mulher se guardará ela;
14 de nenhum produto da vinha comerá; não beberá vinho nem bebida forte, nem comerá coisa impura; tudo quanto lhe ordenei cumprirá.
15 Então Manoá disse ao anjo do Senhor: Deixa que te detenhamos, para que te preparemos um cabrito.
16 Disse, porém, o anjo do Senhor a Manoá: Ainda que me detenhas, não comerei de teu pão; e se fizeres holocausto, é ao Senhor que o oferecerás. (Pois Manoá não sabia que era o anjo do Senhor).
17 Ainda perguntou Manoá ao anjo do Senhor: Qual é o teu nome? Para que, quando se cumprir a tua palavra, te honremos.
18 Ao que o anjo do Senhor lhe respondeu: Por que perguntas pelo meu nome, visto que é maravilhoso?
19 Então Manoá tomou um cabrito com a oferta de cereais, e o ofereceu sobre a pedra ao Senhor; e fez o anjo maravilhas, enquanto Manoá e sua mulher o observavam.
20 Ao subir a chama do altar para o céu, subiu com ela o anjo do Senhor; o que vendo Manoá e sua mulher, caíram com o rosto em terra.
21 E não mais apareceu o anjo do Senhor a Manoá, nem à sua mulher; então compreendeu Manoá que era o anjo do Senhor.
22 Disse Manoá a sua mulher: Certamente morreremos, porquanto temos visto a Deus.
23 Sua mulher, porém, lhe respondeu: Se o Senhor nos quisera matar, não teria recebido da nossa mão o holocausto e a oferta de cereais, nem nos teria mostrado todas estas coisas, nem agora nos teria dito semelhantes coisas.
24 Depois teve esta mulher um filho, a quem pôs o nome de Sansão; e o menino cresceu, e o Senhor o abençoou.
25 E o Espírito do Senhor começou a incitá-lo em Maané-Dã, entre Zorá e Estaol.

Referências Cruzadas

1 Jz 2:11; Jz 3:7; Jz 4:1; Jz 6:1; Jz 10:6; 1Sm 12:9
2 Js 19:41
3 Jz 6:12; Lc 1:11; Lc 1:13; Lc 1:28; Lc 1:28-31
4 Jz 13:14; Nm 6:2; Nm 6:3; Lc 1:15
5 Nm 6:5; 1Sm 1:11; Nm 6:2; 1Sm 7:13; 2Sm 8:1; 1Cr 18:1
6 Dt 33:1; 1Sm 2:27; 1Sm 9:6; 1Rs 17:24; Mt 28:3; Lc 9:29; At 6:15; Jz 13:17; Jz 13:18; Mt 1:20
14 Jz 13:4
15 Gn 18:5; Jz 6:18
18 Gn 32:39; Is 9:6
19 Jz 6:19; Jz 6:20
20 Lv 9:24; 1Cr 21:16; Ez 1:28; Mt 17:6
21 Jz 6:22
22 Gn 32:30; Ex 33:20; Dt 5:26; Jz 6:22
24 Hb 11:32; 1Sm 3:19; Lc 1:80; Lc 2:52
25 Jz 3:10; 1Sm 11:6; Mt 4:1; Jz 18:12; Js 15:33; Jz 18:11

2-5 Uma lição para as mães. Muitos dos que Deus usaria como Seus instrumentos foram desqualificados ao nascer pelos maus hábitos praticados anteriormente por seus pais. Quando o Senhor quis suscitar Sansão como libertador de Seu povo, recomendou à mãe hábitos de vida corretos antes do nascimento de seu filho. […]
Ao instruir essa mãe, o Senhor deu uma lição a todas aquelas que viriam a ser mães até o final dos tempos. Se a esposa de Manoá seguisse os costumes prevalecentes, seu organismo teria ficado enfraquecido pela violação das leis da natureza, e seu filho teria sofrido, junto com ela, a penalidade da transgressão (GH, fev. 1880).
2-23 Manoá se encontra com Cristo. Manoá e sua esposa não sabiam que aquele que a eles se dirigia era Jesus Cristo. Imaginaram ser um mensageiro do Senhor, não conseguindo, contudo, determinar se era um profeta ou um anjo. Desejando manifestar hospitalidade para com o visitante, convidaram-no a permanecer enquanto preparavam um cabrito. Desconhecendo, porém, a natureza do hóspede, não sabiam se deveriam colocar a oferta diante dEle como alimento ou como oferta queimada.
O Anjo respondeu: “Ainda que Me detenhas, não comerei de teu pão; e, se fizeres holocausto, ao Senhor o oferecerás” (Jz 13:16). Sentindo-se agora seguro de que o visitante era um profeta, Manoá perguntou: “Qual é o teu nome? Para que, quando se cumprir a tua palavra, te honremos?” (Jz 13:17).
A resposta foi: “Por que perguntas assim pelo Meu nome, que é maravilhoso?” (Jz 13:18). Percebendo o caráter divino do hóspede, “tomou, pois, Manoá um cabrito e uma oferta de manjares e os ofereceu sobre uma rocha ao Senhor; e agiu o Anjo maravilhosamente. Manoá e sua mulher estavam observando” (Jz 13:19). Fogo proveio da rocha e consumiu o sacrifício, e, enquanto a chama subia em direção ao céu, “o Anjo do Senhor subiu nela; o que vendo Manoá e sua mulher, caíram com o rosto em terra” (Jz 13:20). Já não restavam mais dúvidas quanto à natureza do visitante. Sabiam que seus olhos haviam contemplado o Santo, aquele que, encobrindo Sua glória na coluna de fogo, fora o guia e ajudador de Israel no deserto.
Surpresa, reverência, temor e mesmo terror encheram o coração de Manoá, que apenas conseguiu exclamar: “Certamente, morreremos, porque vimos a Deus” (Jz 13:22). Sua companheira, contudo, possuiu mais fé que ele nessa hora solene e o fez lembrar que o Senhor aceitara seu sacrifício e ainda lhes prometera que teriam um filho, o qual começaria a livrar Israel. Isso constituía evidência de favor, não de ira. Se a intenção do Senhor fosse destruí-los, Ele não teria operado esse milagre, nem lhes dado uma promessa que, caso perecessem, deixaria de se cumprir (VA, 115, 116; ST, 15/09/1881).
5 A simplicidade leva à prontidão no serviço. Aquele que observa a simplicidade em todos os seus hábitos, restringindo o apetite e controlando as paixões, conservará suas faculdades mentais fortes, ativas e vigorosas, ágeis para perceber tudo que exija pensamento ou ação. Ele será perspicaz para distinguir entre o santo e o profano e pronto a empenhar-se em qualquer empreendimento para a glória de Deus e o benefício da humanidade (MCP2,445,446; ST, 29/09/1881).