Lucas 10

Almeida Antiga - IBC

Missão de setenta discípulos
1 Depois disso designou o Senhor outros setenta, e os enviou adiante de si, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir.
2 E dizia-lhes: Na verdade, a seara é grande, mas os trabalhadores são poucos; rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.
3 Ide; eis que vos envio como cordeiros ao meio de lobos.
4 Não leveis bolsa, nem alforje, nem sandálias; e a ninguém saudeis pelo caminho.
5 Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: Paz seja com esta casa.
6 E se ali houver um filho da paz, repousará sobre ele a vossa paz; e se não, voltará para vós.
7 Ficai nessa casa, comendo e bebendo do que eles tiverem; pois digno é o trabalhador do seu salário. Não andeis de casa em casa.
8 Também, em qualquer cidade em que entrardes, e vos receberem, comei do que puserem diante de vós.
9 Curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: É chegado a vós o reino de Deus.
10 Mas em qualquer cidade em que entrardes, e vos não receberem, saindo pelas ruas, dizei:
11 Até o pó da vossa cidade, que se nos pegou aos pés, sacudimos contra vós. Não obstante, sabei que o reino de Deus está próximo de vós.
12 Digo-vos que naquele dia haverá menos rigor para Sodoma, do que para aquela cidade.

Ai das cidades impenitentes!

13 Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se em Tiro e em Sidom se tivessem operado os milagres que em vós se fizeram, há muito que elas se teriam arrependido, assentadas em pano de saco e cinza.
14 Contudo, no Juízo, haverá menos rigor para Tiro e Sidom do que para vós.
15 E tu, Cafarnaum, que te elevas até ao céu, serás lançada na cova.
16 Quem vos ouve, a mim me ouve; e quem vos rejeita, a mim me rejeita; e quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou.

A volta dos setenta

17 Voltaram depois os setenta com alegria, dizendo: Senhor, os próprios demônios se nos submetem pelo teu nome.
18 E ele lhes disse: Eu vi Satanás cair do céu como um relâmpago.
19 Eis que vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; e nada, absolutamente, vos causará dano.
20 Contudo, não vos alegreis porque se vos submetem os espíritos; antes, alegrai-vos porque os vossos nomes estão escritos nos céus.
21 Naquela mesma hora exultou Jesus em espírito, e disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos; sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado.
22 Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece quem é o Filho senão o Pai, nem quem é o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
23 E voltando-se para os discípulos, disse-lhes em particular: Bem-aventurados os olhos que veem o que vós vedes.
24 Pois vos digo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que ouvis, e não o ouviram.

Parábola do samaritano

25 E eis que se levantou certo doutor da lei e, para o experimentar, disse: Mestre, que farei para herdar a vida eterna?
26 # Perguntou-lhe Jesus: Que está escrito na lei? Como lês tu?
27 Respondeu-lhe ele: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.
28 Tornou-lhe Jesus: Respondeste bem; faze isso, e viverás.
29 Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: E quem é o meu próximo?
30 Jesus, prosseguindo, disse: Um homem descia de Jerusalém a Jericó, e caiu nas mãos de ladrões, os quais o despojaram e espancando-o, se retiraram, deixando-o semimorto.
31 Casualmente, descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e vendo-o, passou de largo.
32 De igual modo também um levita chegou àquele lugar, viu-o, e passou de largo.
33 Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou perto dele e, vendo-o, encheu-se de compaixão;
34 e aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando nelas azeite e vinho; e pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem e cuidou dele.
35 No dia seguinte tirou dois denários, deu-os ao hospedeiro e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que gastares a mais, eu to pagarei quando voltar.
36 Qual, pois, destes três te parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos ladrões?
37 Respondeu o doutor da lei: Aquele que usou de misericórdia para com ele. Disse-lhe, pois, Jesus: Vai, e faze tu o mesmo.

Marta e Maria

38 Ora, quando iam de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa.
39 Tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, sentando-se aos pés do Senhor, ouvia a sua palavra.
40 Marta, porém, andava preocupada com muito serviço; e aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá que minha irmã me tenha deixado a servir sozinha? Dize-lhe, pois, que me ajude.
41 Respondeu-lhe o Senhor: Marta, Marta, estás ansiosa e perturbada com muitas coisas;
42 entretanto poucas são necessárias, ou mesmo uma só; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.

Referências Cruzadas

1 Mt 10:1; Mc 6:7
2 Mt 9:37; Mt 9:38; Jo 4:35; 2Ts 3:1
3 Mt 10:16
4 Mt 10:9; Mt 10:10; Mc 6:8; Lc 9:3; 2Rs 4:29
5 Mt 10:12
7 Mt 10:11; 1Co 10:27; Mt 10:10; 1Co 9:4; 1Tm 5:18
9 Lc 9:2; Lc 10:11; Mt 3:2; Mt 4:17; Mt 10:7
11 Mt 10:14; Lc 9:5; At 13:51; At 18:6
12 Mt 10:15; Mc 6:11
13 Mt 11:21; Ez 3:6
15 Mt 11:23; Gn 11:4; Dt 1:28; Is 14:13; Jr 51:53; Ez 26:20; Ez 32:18
16 Mt 10:40; Mc 9:37; Jo 13:20; 1Ts 4:8; Jo 5:23
17 Lc 10:1
18 Jo 12:31; Jo 16:11; Ap 9:1; Ap 12:8; Ap 12:9
19 Mc 16:18; At 28:5
20 Ex 32:32; Sl 69:28; Et 4:3; Dn 12:1; Fp 4:3; Hb 12:23; Ap 13:8; Ap 20:12; Ap 21:27
21 Mt 11:25
22 Mt 28:18; Jo 3:35; Jo 5:27; Jo 17:2; Jo 1:18; Jo 6:44; Jo 6:46
23 Mt 13:16
24 1Pe 1:10
25 Mt 19:16; Mt 22:35
27 Dt 6:5; Lv 19:18
28 Lv 18:5; Ne 9:29; Ez 20:11; Ez 20:13; Ez 20:21; Rm 10:5
29 Lc 16:15
31 Sl 38:11
33 Jo 4:9
35 Mt 20:2
38 Jo 11:1; Jo 12:2; Jo 12:3
39 1Co 7:32; Lc 8:35; At 22:3
42 Sl 27:4

13-15 Ver Ellen G. White sobre Mt 11:20-24.
27 Ver Ellen G. White sobre Mt 22:37-39; Mc 12:30.
28 Inutilidade da pergunta. As palavras do Salvador haviam mostrado a inutilidade de sua pergunta, visto ser ele capaz de a ela responder por si mesmo (DTN 351).
31 O levita era samaritano. O levita era da mesma tribo que o sofredor, ferido e maltratado. Todo o Céu observava os passos do levita estrada abaixo, para ver se o seu coração seria tocado com a dor humana” (BS 47).
41, 42 Martas da vida. A “uma só” coisa que Marta necessitava, era espírito calmo, devoto, mais profundo anseio de conhecimento da vida futura, imortal, e as graças necessárias ao progresso espiritual. Precisava de menos ansiedade em torno das coisas que passam, e mais pelas que permanecem para sempre. Jesus quer ensinar Seus filhos a se apoderarem de toda oportunidade de adquirir o conhecimento que os tornará sábios para a salvação. A causa de Cristo requer obreiros cuidadosos e enérgicos. Existe vasto campo para as Martas, com seu zelo no culto ativo. Sentem-se elas primeiro, porém, com Maria aos pés de Jesus. Sejam a diligência, prontidão e energia santificadas pela graça de Cristo; então a vida será uma invencível força para o bem (DTN 368).