Malaquias 4

Almeida Antiga - IBC

1 Pois eis que vem o dia que arderá como fornalha; todos os soberbos, sim, todos os que cometem impiedade, serão restolho; e o dia que vem os queimará, diz o Senhor dos exércitos, de sorte que não lhes deixará nem raiz nem ramo.
2 Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o Sol da justiça, com cura nas suas asas; e vós saireis e crescereis como bezerros da estrebaria.
3 E pisareis os ímpios, porque serão cinza debaixo das plantas de vossos pés naquele dia em que farei isso, diz o Senhor dos exércitos.
4 Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo, a qual lhe mandei em Horebe para todo o Israel, com os estatutos e julgamentos.
5 Eis que eu vos enviarei Elias o profeta, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor;
6 E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; não aconteça que eu venha e fira a terra com uma maldição.

Referências Cruzadas

1 Jl 2:31; Ml 3:2; 2Pe 3:7; Ml 3:18; Ob 1:18; Am 2:9
2 Ml 3:16; Lc 1:78; Ef 5:14; 2Pe 1:19; Ap 2:28
3 2Sm 22:43; Mq 7:10; Zc 10:5
4 Ex 20:3; Dt 4:10; Sl 147:19
5 Ap 10:11; Jl 2:31
6 Zc 14:12; Zc 5:3

1 Raíz e ramos do mal (SI 11:6; Jo 8:44). Toda a obra do pai da mentira está anotada nos livros de registro no Céu, e aqueles que se prestam ao serviço de Satanás, para expor e apresentar aos homens as mentiras de Satanás por preceito e prática, receberão segundo suas obras. Raiz e ramos serão destruídos pelos fogos dos últimos dias. Satanás, o grande general da apostasia, é a raiz, e todos os seus obreiros, que ensinam suas mentiras com respeito à lei de Deus, são os ramos (Ms 58, 1897).
2 Sol expulsa as trevas do caráter. Estamos agora no próprio limiar do mundo eterno e na mais solene relação para com o tempo e a eternidade que nunca antes. Examine agora cada um o próprio coração e suplique que os raios do Sol da Justiça expulsem todas as trevas espirituais e purifiquem da corrupção (ViC 188.3).
5, 6 A mensagem de Elias. Nesta época, que precede imediatamente a segunda vinda de Cristo nas nuvens dos céus, Deus chama homens que preparem um povo para estar em pé no grande dia do Senhor. Deve ser realizada, nestes últimos dias, uma obra exatamente como a que João fez. O Senhor está dando mensagens a Seu povo através dos instrumentos que escolheu, e Ele deseja que todos deem ouvidos às admoestações e advertências que Ele envia. A mensagem que precedeu o ministério público de Cristo foi: Arrependei-vos, publicanos e pecadores; arrependei-vos, fariseus e saduceus; “porque está próximo o reino dos céus” [Mt 3:2]. Nossa mensagem não deve ser de paz e segurança. Como um povo que acredita no breve aparecimento de Cristo, temos uma mensagem definida a dar: “Prepara-te […] para te encontrares com o teu Deus” [Am 4:12],
Nossa mensagem precisa ser tão direta quanto a de João. Ele repreendeu reis por sua iniquidade. Apesar do perigo que sua vida corria, ele nunca permitiu que a verdade vacilasse em seus lábios. Nossa obra, nesta época, deve ser feita com a mesma fidelidade. […]
Neste tempo de apostasia quase universal, Deus chama Seus mensageiros a proclamar Sua lei no espírito e no poder de Elias. Como João Batista, ao preparar um povo para o primeiro advento de Cristo, chamou a atenção para os dez mandamentos, devemos dar em tons claros a mensagem: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo” [Ap 14:7], Com o fervor que caracterizou o profeta Elias e João Batista, devemos nos esforçar a fim de preparar o caminho para o segundo advento de Cristo (SW, 21/03/1905).
O caráter da obra. Aqui o profeta descreve o caráter da obra. Os que devem preparar o caminho para a segunda vinda de Cristo, são representados pelo fiel Elias, assim como João veio no espírito de Elias para preparar o caminho para o primeiro advento de Cristo. O grande assunto da reforma deve ser agitado, e despertada a mente do público. A temperança em tudo deve ser associada com a mensagem, para converter o povo de Deus de sua idolatria, de sua glutonaria e de sua extravagância no vestir-se e em outras coisas. A negação própria, a humildade e a temperança requeridas dos justos, aos quais Deus guia e abençoa de modo especial, devem ser apresentadas ao povo em contraste com os hábitos extravagantes e destruidores da saúde daqueles que vivem nesta era degenerada (CSa 72.4).