Mateus 6

Almeida Antiga - IBC

Esmola, oração e jejum
1 Guardai-vos de dardes esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles; caso contrário, não tendes recompensa de vosso Pai, que está nos céus.
2 Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo: Eles têm sua recompensa.
3 Mas, quando deres esmola, que tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita;
4 para que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará abertamente.
5 E, quando orardes, não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo: Eles têm sua recompensa.
6 Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará abertamente.
7 E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque eles pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos.
8 Portanto, não vos assemelheis a eles; porque vosso Pai sabe o que necessitais, antes que lho peçais.
9 Portanto, vós orareis desta maneira: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome;
10 venha o teu reino, seja feita a tua vontade na terra como no céu;
11 o pão nosso de cada dia nos dá hoje;
12 e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores;
13 e não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal. Pois teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém.
14 Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;
15 se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai perdoará as vossas ofensas.
16 Quando jejuardes, não mostreis um rosto triste como os hipócritas; porque eles desfiguram os seus rostos, a fim de parecer aos homens que jejuam. Em verdade vos digo: Eles têm sua recompensa.
17 Tu, porém, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto,
18 a fim de não parecer aos homens que jejuas, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará abertamente.

Os tesouros no céu

19 Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões escavam e roubam;
20 mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não escavam, nem roubam.
21 Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração.
22 A lâmpada do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será cheio de luz;
23 se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo será cheio de trevas. Se, portanto, a luz que há em ti são trevas, quão grandes são tais trevas!
24 Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.

Os cuidados e as inquietações

25 Por isso vos digo: Não fiqueis ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário?
26 Contemplai as aves do céu, pois não semeiam, nem colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celestial as alimenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que elas?
27 Ora, qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado à sua estatura?
28 E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai os lírios do campo, como crescem: eles não trabalham, nem fiam.
29 Eu, porém, vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles.
30 Ora, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pequena fé?
31 Portanto, não fiqueis ansiosos, dizendo: Que comeremos? Ou: Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?
32 Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso.
33 Mas buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
34 Portanto, não fiqueis ansiosos pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta ao dia o seu próprio mal.

Referências Cruzadas

1 Dt 24:13; Sl 112:9; Dn 4:27; 2Co 9:9
2 Rm 12:8
4 Lc 14:14
6 2Rs 4:33
7 Ec 5:2; 1Rs 18:26; 1Rs 18:29
9 Lc 11:2
10 Mt 26:39; Mt 26:42; At 21:14; Sl 103:20; Sl 103:21
11 Jó 23:12; Pv 30:8
12 Mt 18:21
13 Mt 26:41; Lc 22:40; Lc 22:46; 1Co 10:13; 2Pe 2:9; Ap 3:10; Jo 17:15; 1Cr 29:11
14 Mc 11:25; Mc 11:26; Ef 4:32; Cl 3:13
15 Mt 18:35; Tg 2:13
16 Is 58:5
17 Rt 3:3; Dn 10:3
19 Pv 23:4; 1Tm 6:17; Hb 13:5; Tg 5:1
20 Mt 19:21; Lc 12:33; Lc 12:34; Lc 18:22; 1Tm 6:19; 1Pe 1:4
22 Lc 11:34; Lc 11:36
24 Lc 16:13; Gl 1:10; 1Tm 6:17; Tg 4:4; 1Jo 2:15
25 Sl 55:22; Lc 12:22; Lc 12:23; Fp 4:6; 1Pe 5:7
26 Jó 38:41; Sl 147:9; Lc 12:24
31 1Tm 6:8
33 1Rs 3:13; Sl 37:25; Mc 10:30; Lc 12:31; 1Tm 4:8; Ez 7:19

16 Religião manufaturada não traz vida nem luz. Haverá tempos à nossa frente que provarão os seres humanos, e haverá necessidade de vigilância e do tipo correto de jejum. Este não será como o jejum dos fariseus. As razões deles para jejuar tinham a ver com o cerimonialismo exterior. Não humilhavam o coração diante de Deus. Estavam cheios de amargura, inveja, malícia, contenda, egoísmo e justiça própria. Conquanto tivessem a cabeça curvada em fingida humilhação, eram cobiçosos, vaidosos e cheios de si. Tinham um espírito opressor, severo e orgulhoso.
Tudo no culto judaico havia sido mal interpretado e mal aplicado. O propósito das ofertas sacrificais havia sido pervertido. Elas deviam simbolizar a Cristo e Sua missão, para que quando Ele viesse em carne, o mundo pudesse ver a Deus nEle, e aceitá-Lo como o redentor do mundo. Mas a ausência de um serviço verdadeiramente sincero a Deus havia cegado os judeus para o conhecimento divino. Sua religião consistia inteiramente de exigências, cerimônias e tradições.
Os fariseus ainda tinham de aprender que a justiça exalta as nações e que formas e cerimônias não podem tomar o lugar da justiça. Cristo estivera tão verdadeiramente ensinando o povo quando envolto na coluna de nuvem como quando sentado no monte. Foi ordenada ali a mesma compassiva consideração pelos pobres que nas lições dadas aos discípulos. Mas a responsabilidade de todo indivíduo aos olhos de Deus, bem como a misericórdia, o amor e a compaixão divina não foram incluídos nas lições dadas ao povo pelas autoridades de Israel. Cristo disse: “Ninguém põe remendo de pano novo em veste velha; porque o remendo tira parte da veste, e fica maior a rotura” (Mt 9:16). A verdade, a vida e a luz que devem caracterizar a verdadeira piedade não podiam estar unidas com a religião dos fariseus (Ms 3, 1898).
24 Pessoas vacilantes são aliadas de Satanás. Os que começam a vida cristã pela metade, quaisquer que sejam as suas intenções, encontrar-se-ão afinal do lado do inimigo. Ser um apóstata, um traidor da causa de Deus, é mais sério do que a morte, pois significa a perda da vida eterna.
Homens e mulheres vacilantes são os melhores aliados de Satanás. Por mais favorável que seja a opinião que tenham de si mesmos, eles são dissimuladores. Todos os que são leais a Deus e à verdade devem defender firmemente o que é correto porque é correto. Unir-se aos que não são consagrados e, mesmo assim, ser leal a verdade é simplesmente uma impossibilidade. Não podemos nos unir aos que servem a si mesmos, que trabalham com base em planos mundanos, sem perder nossa ligação com o Conselheiro celestial. Podemos libertar-nos da cilada do inimigo, mas ficamos contundidos e feridos, e nossa experiência é diminuída (DCD [MM 1980], 238; RH, 19/04/1898).
28, 29 O esforço que não se iguala à simplicidade. Cristo mostra que, por mais que as pessoas se esforcem exaustivamente para se tornar objetos de admiração, aquilo que tanto prezam não pode ser comparado às flores do campo. Mesmo essas simples flores, que são adornadas por Deus, superariam em beleza as suntuosas vestes de Salomão (Ms 153, 1903).
Uma ideia da consideração de Deus. Se os lírios do campo são objetos aos quais o grande Artista e Mestre tem dedicado atenção, fazendo-os tão belos que superam a glória de Salomão, o maior rei que já empunhou um cetro, e se a erva do campo forma um belo tapete sobre a terra, podemos ter alguma ideia do cuidado que Deus tem pelo ser humano criado à Sua imagem) (OA [MM 1983], 195).
Cada flor expressa amor. O grande Artista e Mestre nos chama a atenção para as inanimadas flores do campo, salientando a beleza de seus matizes e a maravilhosa variedade de tons possíveis em uma única flor. Assim Deus revelou Sua habilidade e cuidado. Assim queria mostrar o grande amor que tem por todo ser humano. Cada flor é uma expressão do amor de Deus (NAV [MM 1962], 252; Carta 24, 1899).
28-30. Uma lição de fé. Apesar de ter sido pronunciada sobre a terra a maldição de que ela passaria a produzir espinhos e cardos, existe uma flor sobre o cardo. Este mundo não é só de tristezas e misérias. O grande livro divino da natureza está aberto ao nosso estudo e dele temos de tirar ideias mais elevadas da grandeza e do inexcedível amor e da glória de Deus (JMM [MM 2009], 229).
Aquele que lançou os fundamentos da Terra, que enfeitou os céus e dispôs as estrelas em sua ordem e que revestiu o solo de um tapete vivo e o embelezou com lindas flores de todos os matizes e de todas as variedades quer que Seus filhos apreciem Suas obras e se deleitem na beleza simples e serena com a qual Ele adornou seu lar terreno (RH, 27/10/1885).
Cristo procurava desviar a atenção de Seus discípulos do artificial para o natural: “Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?” (Mt 6:30). Por que nosso Pai celestial não cobriu a terra com marrom ou cinza? Ele escolheu a cor mais repousante, a mais adequada aos sentidos. Como alegra o coração e refrigera o espírito cansado olhar a terra revestida de vivo verdor! Sem essa cobertura, o ar ficaria cheio de pó, e o solo se assemelharia a um deserto. Cada haste de relva, cada botão a desabrochar e cada flor é um sinal do amor de Deus, e deveria nos ensinar uma lição de fé e confiança nEle. Cristo chama nossa atenção para sua natural beleza e nos assegura que os mais suntuosos trajes do maior rei que já empunhou um cetro terreno não se igualavam aos da mais humilde flor. Vocês que suspiram pelo esplendor artificial que só a riqueza pode adquirir, por custosas pinturas, mobílias e dispendiosos vestidos, deem ouvidos à voz do divino Mestre. Ele apresenta a vocês as flores do campo, cujo simples desenho não pode ser igualado pela habilidade humana (FF [MM 2005/1956], 75).
34 As preocupações de amanhã. Precisamos confiar cada dia, a cada hora em Jesus. Ele prometeu que como os nossos dias será a nossa força. Por Sua graça, podemos levar todos os fardos do presente e cumprir todos os seus deveres. Muitos, porém, vergam à antecipação de aflições futuras. Estão continuamente a trazer para hoje as preocupações de amanhã. Assim, grande parte de suas tribulações são imaginárias. Para estas, Jesus não tomou providências. Ele promete graça apenas para o dia. Manda-nos que não nos preocupemos com os cuidados e tribulações de amanhã; pois “basta a cada dia o seu mal” (TS2 59.3).