Oseias 6

Almeida Antiga - IBC

1 Vinde, e retornemos para o Senhor, porque ele despedaçou e nos curará; fez a ferida, e nos atará.
2 Depois de dois dias nos revigorará; ao terceiro dia nos levantará, e viveremos diante dele.
3 Então saberemos se estamos prosseguindo em conhecer ao Senhor; como a alva, a sua ida está preparada; e ele virá a nós como a chuva, como a chuva serôdia e a temporã, para a terra.
4 Que te farei, ó Efraim? Que te farei, ó Judá? Porque o vossa bondade é como a nuvem da manhã, e como o orvalho matutino ela passa.
5 Por isso os cortei pelos profetas; pelas palavras da minha boca os matei; os teus juízos são como a luz que sai.
6 Pois eu desejava a misericórdia, e não sacrifícios; e o conhecimento de Deus, mais do que os holocaustos.
7 Eles, porém, como homens, transgrediram a aliança; ali eles se portaram traiçoeiramente contra mim.
8 Gileade é cidade de malfeitores, está manchada de sangue.
9 Como hordas de salteadores que espreitam alguém, assim a companhia dos sacerdotes mata no caminho em acordo; pois cometem lascívia.
10 Tenho visto uma coisa horrenda na casa de Israel; ali está a prostituição de Efraim; Israel está contaminado.
11 Também para ti, ó Judá, ele determinou uma colheita, quando eu retornei o cativeiro do meu povo.

Referências Cruzadas

1 Dt 32:39; 1Sm 2:6; Jó 5:18; Os 5:14; Jr 30:17
2 1Co 15:4
3 Is 54:13; 2Sm 23:4; Sl 72:6; Jó 29:23
4 Os 11:8; Os 13:3
5 Jr 1:10; Jr 23:29; Ex 4:16; Os 12:13; Mq 6:4
6 1Sm 15:22; Sl 50:8; Sl 50:9; Jr 22:16; Jó 31:33
7 Os 8:1; Os 5:7
8 Os 12:11
9 Jr 11:9
10 Jr 5:30; Os 4:12; Os 4:13; Os 4:17
11 Jr 51:33; Sl 126:1

6, 7. Quando os sacrifícios são repugnantes. Os muitos sacrifícios dos judeus e a grande quantidade de sangue que fluía para a expiação de pecados pelos quais eles não sentiam arrependimento verdadeiro sempre foi repugnante a Deus. Ele falou através de Miqueias [Mq 6:6-8].
Oferendas custosas e uma aparência de santidade não podem ganhar o favor de Deus. Por Suas misericórdias, Ele requer um espírito contrito, um coração aberto à luz da verdade, amor e compaixão pelo próximo e um espírito que se recuse a ser seduzido pela avareza ou pelo amor ao próprio eu. Os sacerdotes e governantes eram destituídos desses requisitos essenciais para obter o favor de Deus, e suas mais preciosas oferendas e imponentes cerimônias eram uma abominação aos Seus olhos (ST, 21/03/1878).