Provérbios 15

Almeida Antiga - IBC

1 A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.
2 A língua dos sábios destila o conhecimento; porém a boca dos tolos derrama a estultícia.
3 Os olhos do Senhor estão em todo lugar, vigiando os maus e os bons.
4 Uma língua suave é árvore de vida; mas a língua perversa quebranta o espírito.
5 O insensato despreza a correção de seu pai; mas o que atende à admoestação prudentemente se haverá.
6 Na casa do justo há um grande tesouro; mas nos lucros do ímpio há perturbação.
7 Os lábios dos sábios difundem conhecimento; mas não o faz o coração dos tolos.
8 O sacrifício dos ímpios é abominável ao Senhor; mas a oração dos retos lhe é agradável.
9 O caminho do ímpio é abominável ao Senhor; mas ele ama ao que segue a justiça.
10 Há disciplina severa para o que abandona a vereda; e o que aborrece a repreensão morrerá.
11 A sepultura e a destruição estão abertos perante o Senhor; quanto mais o coração dos filhos dos homens!
12 O escarnecedor não gosta daquele que o repreende; não irá ter com os sábios.
13 O coração alegre aformoseia o rosto; mas pela dor do coração o espírito se abate.
14 O coração do inteligente busca o conhecimento; mas a boca dos tolos se apascenta de estultícia.
15 Todos os dias do aflito são maus; mas o coração contente tem um banquete contínuo.
16 Melhor é o pouco com o temor do Senhor, do que um grande tesouro, e com ele a inquietação.
17 Melhor é um prato de hortaliça, onde há amor, do que o boi gordo, e com ele o ódio.
18 O homem iracundo suscita contendas; mas o longânimo apazigua a luta.
19 O caminho do preguiçoso é como a sebe de espinhos; porém a vereda dos justos é uma estrada real.
20 O filho sábio alegra a seu pai; mas o homem insensato despreza a sua mãe.
21 A estultícia é alegria para o insensato; mas o homem de entendimento anda retamente.
22 Onde não há conselho, frustram-se os projetos; mas com a multidão de conselheiros se estabelecem.
23 O homem alegra-se em dar uma resposta adequada; e a palavra a seu tempo quão boa é!
24 Para o sábio o caminho da vida é para cima, a fim de que ele se desvie da cova que é em baixo.
25 O Senhor desarraiga a casa dos soberbos, mas estabelece a herança da viúva.
26 Os desígnios dos maus são abominação para o Senhor; mas as palavras dos limpos lhe são aprazíveis.
27 O que se dá à cobiça perturba a sua própria casa; mas o que aborrece a peita viverá.
28 O coração do justo medita no que há de responder; mas a boca dos ímpios derrama coisas más.
29 Longe está o Senhor dos ímpios, mas ouve a oração dos justos.
30 A luz dos olhos alegra o coração, e boas-novas engordam os ossos.
31 O ouvido que escuta a advertência da vida terá a sua morada entre os sábios.
32 Quem rejeita a correção menospreza a sua alma; mas aquele que escuta a advertência adquire entendimento.
33 O temor do Senhor é a instrução da sabedoria; e adiante da honra vai a humildade.

Referências Cruzadas

1 Jz 8:1; Jz 8:2; Jz 8:3; Pv 25:15; 1Sm 25:10; 1Rs 12:13; 1Rs 12:14; 1Rs 12:16
2 Pv 15:28; Pv 12:23; Pv 13:16
3 Jó 34:21; Pv 5:21; Jr 16:17; Jr 32:19; Hb 4:13
5 Pv 10:1; Pv 15:31; Pv 15:32; Pv 13:18
8 Pv 21:27; Pv 28:9
9 Pv 21:21
10 1Rs 22:8; Pv 5:12; Pv 10:17
11 Jó 26:6; 2Cr 6:30
12 Am 5:10
13 Pv 17:22; Pv 12:25
15 Pv 17:22
16 Sl 37:16
17 Pv 17:1
18 Pv 26:21; Pv 29:22
19 Pv 22:5
20 Pv 10:1; Pv 29:3
21 Pv 10:23; Ef 5:15
22 Pv 11:14; Pv 20:18
23 Pv 25:11
24 Fp 3:20
25 Pv 12:7; Pv 14:11; Sl 68:5; Sl 68:6; Sl 146:9
26 Pv 6:16; Pv 6:18; Sl 37:30
27 Pv 11:19
28 1Pe 3:15
29 Sl 10:1; Sl 34:16; Sl 145:18; Sl 145:19
31 Pv 15:5
33 Pv 1:7; Pv 18:12

1, 2 Sementes que produzem má colheita. As palavras apaixonadas lançam sementes que produzem uma colheita má que ninguém desejará armazenar. Nossas próprias palavras têm efeito sobre nosso caráter, mas agem de maneira ainda mais poderosa sobre o caráter de outros. Somente o Deus infinito pode medir o dano causado por palavras descuidadas. Essas palavras brotam de nossos lábios, e talvez não tenhamos a intenção de causar qualquer dano- mas elas são um indicativo de nossos pensamentos íntimos, e atuam do lado do mal. Quanta infelicidade tem sido produzida pela pronúncia de palavras descuidadas e cruéis no círculo familiar! As palavras ásperas ficam guardadas na mente, talvez por anos, e nunca perdem seu efeito venenoso. Como cristãos professos, devemos considerar a influência que nossas palavras têm sobre aqueles com quem nos associamos, quer sejam crentes ou descrentes. Nossas palavras são observadas, e pronunciamentos impensados causam dano. Nenhuma associação posterior com crentes ou descrentes neutralizará totalmente a influência desfavorável de palavras impensadas e tolas. As palavras evidenciam o tipo de alimento com que a pessoa é nutrida (YI, 27/06/1895).
33 Ver Ellen G. White sobre Jz 6:15