Provérbios 22

Almeida Antiga - IBC

1 Mais digno de ser escolhido é o bom nome do que as muitas riquezas; e o favor é melhor do que a prata e o ouro.
2 O rico e o pobre se encontram; quem os faz a ambos é o Senhor.
3 O prudente vê o perigo e esconde-se; mas os simples passam adiante e sofrem a pena.
4 O galardão da humildade e do temor do Senhor é riquezas, e honra e vida.
5 Espinhos e laços há no caminho do perverso; o que guarda a sua alma retira-se para longe deles.
6 Educa a criança no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.
7 O rico domina sobre os pobres; e o que toma emprestado é servo do que empresta.
8 O que semear a perversidade segará males; e a vara da sua indignação falhará.
9 Quem vê com olhos bondosos será abençoado; porque dá do seu pão ao pobre.
10 Lança fora ao escarnecedor, e a contenda se irá; cessarão a rixa e a injúria.
11 O que ama a pureza do coração, e que tem graça nos seus lábios, terá por seu amigo o rei.
12 Os olhos do Senhor preservam o que tem conhecimento; mas ele transtorna as palavras do prevaricador.
13 Diz o preguiçoso: um leão está lá fora; serei morto no meio das ruas.
14 Cova profunda é a boca da adúltera; aquele contra quem o Senhor está irado cairá nela.
15 A estultícia está ligada ao coração do menino; mas a vara da correção a afugentará dele.
16 O que para aumentar o seu lucro oprime o pobre, e dá ao rico, certamente chegará à penúria.
17 Inclina o teu ouvido e ouve as palavras dos sábios, e aplica o teu coração ao meu conhecimento.
18 Porque será coisa suave, se os guardares no teu peito, se estiverem todos eles prontos nos teus lábios.
19 Para que a tua confiança esteja no Senhor, a ti os fiz saber hoje, sim, a ti mesmo.
20 Porventura não te escrevi excelentes coisas acerca dos conselhos e do conhecimento,
21 para te fazer saber a certeza das palavras de verdade, para que possas responder com palavras de verdade aos que te enviarem?
22 Não roubes ao pobre, porque é pobre; nem oprimas ao aflito na porta;
23 porque o Senhor defenderá a sua causa em juízo, e aos que os roubam lhes tirará a vida.
24 Não faças amizade com o iracundo; nem andes com o homem colérico;
25 para que não aprendas as suas veredas, e tomes um laço para a tua alma.
26 Não estejas entre os que se comprometem, que ficam por fiadores de dívidas.
27 Se não tens com que pagar, por que tirariam a tua cama de debaixo de ti?
28 Não removas os limites antigos que teus pais fixaram.
29 Vês um homem hábil na sua obra? Esse perante reis assistirá; e não assistirá perante homens obscuros.

Referências Cruzadas

1 Ec 7:1
2 Pv 29:13; Jó 31:15
3 Pv 14:16
4 Sl 112:3
5 Pv 15:19; 1Jo 5:18
6 Ef 6:4
7 Tg 2:6
8 Jó 4:8
9 2Co 9:6
10 Gn 21:9; Gn 21:10
11 Sl 101:6
13 Pv 26:13
14 Pv 2:16; Pv 5:3; Pv 7:5; Pv 23:27; Ec 7:26
15 Pv 13:24; Pv 19:18; Pv 23:13; Pv 23:14; Pv 29:15; Pv 29:17
20 Pv 8:6
21 Lc 1:3; Lc 1:4; 1Pe 3:15
22 Ex 23:6; Jó 31:16; Jó 31:21; Zc 7:10; Ml 3:5
23 1Sm 24:12; 1Sm 25:39; Sl 12:5; Sl 35:1; Sl 35:10; Sl 68:5; Sl 140:12; Pv 23:11; Jr 51:36
26 Pv 6:1; Pv 11:15
27 Pv 20:16
28 Dt 19:14; Dt 27:17; Pv 23:10

15 Usar a vara. Vi que sempre que os pais tolerassem que seus filhos saíssem não disciplinados depois que estes manifestaram ira ou expressado seus mau gênio, o pecado é registrado sob a conta dos pais, e teriam que responder por eles, pois via de regra os pais são mais culpáveis que os filhos, que são maus e errados pela negligência dos seus pais (Manuscrito 7, 1854).
29 Deus requer esforços vigorosos e diligentes. Coloquem a máxima energia em seus esforços. Chamem em seu auxílio as mais poderosas motivações. Vocês estão aprendendo. Esforcem-se por ir ao fundo de tudo em que puserem a mão. Nunca tomem como objetivo menos que se tornar competentes nos assuntos em que se ocupam. Não se deixem cair no hábito de ser superficiais e negligentes em seus deveres e estudos; pois os hábitos se fortalecerão e vocês se tornarão incapazes de fazer qualquer coisa melhor.
A mente aprenderá naturalmente a satisfazer-se com o que exige menos cuidado e esforço, e a se contentar com o que é medíocre e inferior. Rapazes e moças, existem profundidades de conhecimento que vocês jamais sondaram, mas vocês ficam satisfeitos e orgulhosos com as realizações superficiais que atingem. Se soubessem muito mais do que sabem, se convenceriam de que sabem bem pouco.
Deus requer de vocês rigorosos e diligentes esforços intelectuais, e cada esforço determinado fortalecerá as suas faculdades. Sua obra será então sempre aprazível, porque vocês saberão que estão progredindo. Vocês podem se habituar a vagarosos, incertos e irresolutos, de modo que a obra de sua vida não seja a metade do que poderia ser; ou, então, com os olhos fixos em Deus e a mente fortalecida pela oração, podem vencer a vagarosidade degradante e o desgosto pelo trabalho. Podem treinar a mente a pensar com rapidez para se esforçar vigorosamente no momento adequado. Se sua mais elevada motivação é trabalhar para ganhar um salário, nunca, em qualquer posição, vocês estarão qualificados para desempenhar grandes responsabilidades e nunca estarão aptos para ensinar (FF [MM 2005/1956], 106; Ms 24, 1887).