Romanos 16

Almeida Antiga - IBC

Recomendação, saudações e votos
1 Recomendo-vos a nossa irmã Febe, que é serva da igreja que está em Cencreia;
2 para que a recebais no Senhor, de um modo digno dos santos, e a ajudeis em qualquer coisa que de vós necessitar; porque ela tem sido o amparo de muitos, e de mim em particular.
3 Saudai a Priscila e a Áquila, meus cooperadores em Cristo Jesus,
4 os quais pela minha vida expuseram as suas cabeças; o que não só eu lhes agradeço, mas também todas as igrejas dos gentios.
5 Saudai também a igreja que está na casa deles. Saudai a Epêneto, meu amado, que é as primícias da Ásia para Cristo.
6 Saudai a Maria, que muito trabalhou por vós.
7 Saudai a Andrônico e a Júnias, meus parentes e meus companheiros de prisão, os quais são bem conceituados entre os apóstolos, e que estavam em Cristo antes de mim.
8 Saudai a Ampliato, meu amado no Senhor.
9 Saudai a Urbano, nosso cooperador em Cristo, e a Estáquis, meu amado.
10 Saudai a Apeles, aprovado em Cristo. Saudai aos da casa de Aristóbulo.
11 Saudai a Herodião, meu parente. Saudai aos da casa de Narciso que estão no Senhor.
12 Saudai a Trifena e a Trifosa, que trabalham no Senhor. Saudai a amada Pérside, que muito trabalhou no Senhor.
13 Saudai a Rufo, eleito no Senhor, e a sua mãe e minha.
14 Saudai a Asíncrito, a Flegonte, a Hermes, a Pátrobas, a Hermes, e aos irmãos que estão com eles.
15 Saudai a Filólogo e a Júlia, a Nereu e a sua irmã, e a Olimpas, e a todos os santos que com eles estão.
16 Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo. Todas as igrejas de Cristo vos saúdam.
17 Rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles.
18 # Porque os tais não servem a Cristo nosso Senhor, mas ao seu ventre; e, com boas palavras e belos discursos, enganam os corações dos inocentes.
19 Pois a vossa obediência é conhecida de todos. Comprazo-me, portanto, em vós; e quero que sejais sábios para o bem, mas simples para o mal.
20 E o Deus de paz em breve esmagará a Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco.
21 Saúdam-vos Timóteo, meu cooperador, e Lúcio, e Jasom, e Sosípatro, meus parentes.
22 Eu, Tércio, que escrevo esta carta, vos saúdo no Senhor.
23 Saúda-vos Gaio, hospedeiro meu e de toda a igreja. Saúda-vos Erasto, tesoureiro da cidade, e também o irmão Quarto.
24 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém.
25 Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar, segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério guardado em silêncio desde os tempos eternos,
26 mas agora manifesto e, por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus, eterno, dado a conhecer a todas as nações para obediência da fé;
27 a Deus, único sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém.

Referências Cruzadas

1 At 18:18
2 Fp 2:29; 3Jo 1:5; 3Jo 1:6
3 At 18:2; At 18:18; At 18:26; 2Tm 4:19
5 1Co 16:19; Cl 4:15; Fm 1:2; 1Co 16:15
7 Gl 1:22
13 2Jo 1:1
16 1Co 16:20
17 At 15:1; 1Co 5:9
18 Fp 3:19; Cl 2:4
19 Rm 1:8; Mt 10:16
20 Rm 15:33; Gn 3:15; Rm 16:24; Ap 22:21; Ml 4:3
21 At 16:1; At 13:1; At 17:5; At 20:4
23 1Co 1:14; At 19:22; 2Tm 4:20
24 Rm 16:20; 1Ts 5:28
25 Ef 3:20; 1Ts 3:13; 2Ts 2:17; 2Ts 3:3; Jd 24; Rm 2:16; Ef 1:9; Ef 3:3; Ef 3:4; Ef 3:5; Cl 1:27; 1Co 2:7; Ef 3:5; Ef 3:9; Cl 1:26
26 Ef 1:9; 2Tm 1:10; Tt 1:2; Tt 1:3; 1Pe 1:20; At 6:7; Rm 1:5; 27 1Tm 1:17; 1Tm 6:16; Jd 25

25 Os propósitos eternos de Deus. Deus possuía conhecimento dos eventos futuros, antes mesmo da criação do mundo. Ele não adaptou Seus propósitos para que estes se amoldassem às circunstâncias, mas permitiu que as coisas se desenvolvessem e produzissem seus resultados. Não agiu para que certas condições surgissem, mas sabia que elas ocorreriam. O plano que se colocaria em ação no caso de se rebelar alguma das elevadas inteligências celestiais — este era o segredo, o mistério oculto desde as eras passadas. E nos propósitos eternos foi preparada uma oferta para realizar exatamente a obra que Deus fez em favor da humanidade caída (VA, 30).
Planejado antes. O plano de nossa redenção não foi um pensamento posterior, formulado depois da queda de Adão (VA 25.2).
O mistério oculto por séculos eternos. A encarnação de Cristo é um mistério. A união da divindade com a humanidade é de fato um mistério, oculto em Deus, “o mistério que estivera oculto dos séculos” (Cl 1:26). Ele foi mantido em silêncio eterno por Jeová, e foi pela primeira vez revelado no Éden, pela profecia de que o Descendente da mulher esmagaria a cabeça da serpente, e que esta Lhe feriria o calcanhar.
Apresentar ao mundo esse mistério que Deus conservou em silêncio por séculos eternos antes de o mundo e o homem serem criados era a parte que Cristo devia desempenhar na obra que empreendeu quando veio à Terra. E esse maravilhoso mistério, a encarnação de Cristo e a expiação que Ele efetuou, deve ser declarado a todo filho e filha de Adão. […] Seus sofrimentos cumpriram perfeitamente as reivindicações da lei de Deus (ST, 30/01/1912).
O mistério de todos os mistérios. A encarnação de Cristo é o mistério de todos os mistérios (FV [MM 1959], 48).