Salmos 11

Almeida Antiga - IBC

Deus salva os retos e castiga os ímpios // Salmo de Davi para o músico-mor
1 No Senhor confio. Como, pois, me dizeis: Foge para o monte, como um pássaro?
2 Pois eis que os ímpios armam o arco, põem a sua flecha na corda, para atirarem, às ocultas, aos retos de coração.
3 Quando os fundamentos são destruídos, que pode fazer o justo?
4 O Senhor está no seu santo templo, o trono do Senhor está nos céus; os seus olhos contemplam, as suas pálpebras provam os filhos dos homens.
5 O Senhor prova o justo e o ímpio; a sua alma odeia ao que ama a violência.
6 Sobre os ímpios fará chover brasas de fogo e enxofre; um vento abrasador será a porção do seu copo.
7 Porque o Senhor é justo; ele ama a justiça; os retos, pois, verão o seu rosto.

Referências Cruzadas

1 Sl 56:11; 1Sm 26:19; 1Sm 26:20
2 Sl 64:3; Sl 64:4; Sl 27:12
3 Sl 82:5
4 Hb 2:20; Sl 2:4; Sl 33:13
5 Gn 22:1
6 Gn 19:24; Gn 43:34
7 Sl 45:7; Jó 36:7

6 Chamas devoradoras são a recompensa dos ímpios. Os ímpios recebem sua recompensa na Terra. “Fará chover sobre os perversos brasas de fogo e enxofre, e vento abrasador será a parte do seu cálice” (SI 11:6). Desce fogo do céu da parte de Deus. A Terra se fende. São extraídas as armas ocultas em suas profundezas. Chamas devoradoras irrompem de todo abismo que se abre. As próprias rochas estão em fogo. Chegou o dia que arde como fornalha. Os elementos se desfazem abrasados; também a Terra, e as obras que nela existem, são atingidas. Os ímpios “serão como o restolho; o dia que vem os abrasará, diz o Senhor dos Exércitos” (Ml 4:1). Todos são punidos “segundo as suas obras” (Ap 22:12) (The Southern Watchman, 14/03/1905).