Salmos 120

Almeida Antiga - IBC

O salmista ora por livramento // Cântico de degraus
1 Na minha angústia clamei ao Senhor, e ele me ouviu.
2 Senhor, livra-me dos lábios mentirosos e da língua enganadora.
3 Que te será dado, ou que te será acrescentado, língua enganadora?
4 Flechas agudas do valente, com brasas vivas de zimbro!
5 Ai de mim, que peregrino em Meseque, e habito entre as tendas de Quedar!
6 Há muito que eu habito com aqueles que odeiam a paz.
7 Eu sou pela paz; mas quando falo, eles são pela guerra.

Referências Cruzadas

1 Sl 118:5; Jo 2:2
5 Gn 10:2; Ez 27:13; Gn 25:13; 1Sm 25:1; Jr 49:28; Jr 49:29

Escrito por Davi logo após a morte de Samuel. Enquanto a atenção de Saul estava ocupada em lamentação pela morte de Samuel, Davi aproveitou o ensejo para procurar um lugar de maior segurança; assim, fugiu para o deserto de Parã. Foi ali que compôs os salmos cento e vinte e cento e vinte e um (PP 491.3).

5 Companhias salvíficas.
Não encoraje ninguém a estar com você exceto aqueles cuja influência é salvífica. Sejam quais forem as consequências, este passo deve ser dado. Tenha todos limpos em sua habitação. Então você poderá esperar que o Senhor abençoe seus esforços” [de salvar teus filhos] (Carta 1 1857).