Escolha uma Página

Zacarias 4

Almeida Antiga - IBC

A quinta visão: o castiçal de ouro
1 Ora o anjo que falava comigo voltou, e me despertou, como a um homem que é despertado do seu sono;
2 e me perguntou: Que vês? Respondi: Olho, e eis um castiçal todo de ouro, e um vaso de azeite em cima, com sete lâmpadas, e há sete canudos que se unem às lâmpadas que estão em cima dele;
3 e junto a ele há duas oliveiras, uma à direita do vaso, e outra à sua esquerda.
4 Então perguntei ao anjo que falava comigo: Meu senhor, que é isso?
5 Respondeu-me o anjo que falava comigo, e me disse: Não sabes tu o que isso é? E eu disse: Não, meu senhor.
6 Ele me respondeu, dizendo: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel, dizendo: Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos exércitos.
7 Quem és tu, ó monte grande? Diante de Zorobabel tornar-te-ás uma campina; e ele trará a pedra angular com aclamações: Graça, graça a ela.
8 Ainda me veio a palavra do Senhor, dizendo:
9 As mãos de Zorobabel têm lançado os alicerces desta casa; também as suas mãos a acabarão; e saberás que o Senhor dos exércitos me enviou a vós.
10 Ora, quem despreza o dia das coisas pequenas? Pois eles se alegrarão, vendo o prumo na mão de Zorobabel, com aqueles sete; eles são os olhos do Senhor, que discorrem por toda a terra.
11 Então respondi e lhe disse: Que são estas duas oliveiras à direita e à esquerda do castiçal?
12 Segunda vez falei-lhe, perguntando: Que são aqueles dois ramos de oliveira, que pelos dois tubos de ouro vertem de si azeite dourado?
13 Ele me respondeu e disse: Não sabes o que é isso? E eu disse: Não, meu senhor.
14 Então ele disse: Estes são os dois ungidos, que estão diante do Senhor de toda a terra.

Referências Cruzadas

1 Zc 2:3; Dn 8:18
2 Ex 25:31; Ap 1:12; Ex 25:37; Ap 4:5
3 Zc 4:11; Zc 4:12; Ap 11:4
6 Os 1:7
7 Jr 51:25; Mt 21:21; Sl 118:22; Ed 3:11; Ed 3:13
9 Ed 3:10; Ed 6:15; Zc 2:9; Zc 2:11; Zc 6:15; Is 48:16; Zc 2:8
10 Ag 2:3; 2Cr 16:9; Pv 15:3; Zc 3:9
11 Zc 4:3
14 Ap 11:4; Zc 3:7; Lc 1:19; Js 3:11; Js 3:13; Zc 6:5

5 O motivo da pergunta do v. 5. Por estarem constantemente lidando com matérias de revistas, muitos parecem perder sua diferenciação. Que o Senhor não somente lhes unja os olhos para que vejam, mas verta em seu coração o santo óleo que, dos dois galhos de oliveira, flui pelos canos de ouro para o vaso de ouro que alimenta as lâmpadas do santuário. “Então, respondeu o anjo […] e me disse: Não sabes tu o que isto é? E eu disse: Não, senhor meu. Então, ele disse: São os dois ungidos, que assistem junto ao Senhor de toda a Terra”. Zacarias 4:5, 14. A menos que estejamos totalmente atentos, não seremos capazes de discernir as coisas espirituais. Perdemos a compreensão do poder da verdade, e tratamos as coisas sagradas como tratamos as comuns. O resultado é debilidade e incerteza, e não somos seguros conselheiros ou guias. Despertemos, irmãos. Por amor de Cristo, despertemos (OP 75.3).6 Ver Ellen G. White sobre 2Rs 2:11-15.
Encenação não atrai para a verdade. Alguns ministros cometem o erro de pensar que o sucesso depende de arrastar uma grande congregação pelo aparato exterior, anunciando depois a mensagem da verdade em estilo teatral. Isso, porém, é empregar fogo comum, em lugar de fogo sagrado ateado por Deus. O Senhor não é glorificado por essa maneira de trabalhar. Não por meio de notícias sensacionalistas e dispendiosas exibições, que há de Sua obra ser levada a cabo, mas seguindo os métodos de Cristo. “Não por força nem por violência, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos.” Zacarias 4:6. É a verdade nua que, qual espada aguda de dois gumes, corta de ambos os lados, despertando para a vida espiritual os que se acham mortos em ofensas e pecados. Os homens hão de reconhecer o evangelho, quando este lhes for apresentado em harmonia com os desígnios de Deus. — Obreiros Evangélicos, 383 (1915). Ev 136.1 Nem um jota nem um til de qualquer coisa teatral deve aparecer em nossa obra. A causa de Deus deve ter molde sagrado e celestial (Ev 137.2).
6, 7, 10. Um suposto poder não é a força de Deus. Este capítulo está cheio de encorajamento para aqueles que fazem a obra do Senhor nestes últimos dias. Zorobabel tinha ido a Jerusalém para edificar a casa do Senhor, mas se viu cercado de dificuldades. Seus adversários “desanimaram o povo de Judá, inquietando-o no edificar” e “os forçaram a parar com a obra” [Ed 4:4, 23]. Mas o Senhor Se interpôs em favor deles, e a casa foi terminada.
As mesmas dificuldades que foram criadas para atrapalhar a restauração e o desenvolvimento da obra de Deus e as grandes montanhas de dificuldades que surgiram no caminho de Zorobabel serão enfrentadas por todos os que hoje são leais a Deus e a Sua obra. Muitas invenções humanas são usadas para executar planos segundo a mente e a vontade de indivíduos com quem o Senhor não está trabalhando. Mas não são palavras jactanciosas nem uma multidão de cerimônias que mostram que o Senhor está atuando junto a Seu povo. O suposto poder do agente humano não decide essa questão. Aqueles que se colocam em oposição à obra do Senhor podem conseguir atrapalhar por um tempo, mas o mesmo Espírito que sempre guiou a obra do Senhor continuará a guiá-la hoje. “Não por força nem por poder, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos” [Zc 4:6].
O Senhor deseja que toda alma seja forte em Sua força. Quer que olhemos para Ele e recebamos dEle as orientações (RH, 16/05/1899).
11-14 O azeite purifica a alma (Mt 25:1-13). Todos precisamos estudar como nunca antes a parábola das dez virgens. Cinco delas eram prudentes e cinco eram néscias. As prudentes levaram azeite em suas vasilhas junto com as lâmpadas. Este é o azeite santo representado em Zacarias. Esta ilustração é da mais alta importância para aqueles que afirmam conhecer a verdade. Mas, se não praticamos a verdade, não recebemos o azeite santo que os dois tubos de ouro vertem. O azeite é recebido em recipientes preparados para ele. É o Espírito Santo no coração que atua por amor e purifica a alma. […]
Satanás está trabalhando com todo o seu poder infernal para apagar a luz que deve arder intensamente na vida e se irradiar em boas obras. As palavras de Deus a Zacarias mostram de onde vem o santo azeite dourado; e sua brilhante luz, que o Senhor acende nas câmaras da alma, ilumina o mundo através de boas obras. Satanás trabalhará para apagar a luz que Deus tem para toda pessoa, lançando sua sombra no caminho para interceptar todo raio de luz celestial. Ele sabe que seu tempo é curto. O povo de Deus deve se apegar a Ele, do contrário perderá o rumo. Se, enquanto professam ser discípulos de Cristo, eles acariciarem traços de caráter herdados e cultivados que O representam mal, são como o homem que foi à festa do evangelho sem trajar a veste das bodas e como as virgens néscias que não levaram azeite na vasilha para suas lâmpadas. Precisamos nos apegar àquilo que Deus declara que é a verdade, embora o mundo todo possa estar arregimentado contra ela (Ms 140, 1901).
Azeite comunicado através das mensagens. Por intermédio dos seres santos que circundam Seu trono, o Senhor mantém constante comunicação com os habitantes da Terra (VA, 150, 151). O azeite dourado representa a graça com a qual Deus mantém abastecidas as lâmpadas dos crentes. Se não fosse por esse azeite santo que é derramado do Céu nas mensagens do Espírito de Deus, os agentes do mal teriam inteiro controle sobre os seres humanos. Deus é desonrado quando não recebemos a comunicação que Ele nos envia. Dessa forma recusamos o azeite dourado que Ele quer derramar em nossa vida para ser comunicado aos que estão em trevas (RH, 03/02/1903).
A Palavra vertida para o coração dos mensageiros. Estas [as duas oliveiras] vertem seu conteúdo nos vasos de ouro, que representam o coração dos vivos mensageiros de Deus, que levam a Palavra do Senhor ao povo por meio de advertências e apelos.
A própria Palavra deve ser, segundo a ilustração, o azeite dourado que é vertido das duas oliveiras que assistem junto ao Senhor de toda a Terra. Este é o batismo com fogo operado pelo Espírito Santo. Isso abrirá a mente dos descrentes para a convicção. As necessidades da alma podem ser satisfeitas apenas pela atuação do Espírito Santo de Deus. O ser humano, de si mesmo, nada pode fazer para satisfazer os anseios e as aspirações do coração (Ms 109,1897).
12 Para receber constantemente, é preciso repartir sempre . A capacidade para receber o azeite santo das duas oliveiras depende de o recebedor verter esse azeite santo de si mesmo em palavras e atos para suprir as necessidades de outras pessoas. Que obra! Preciosa, satisfatória obra, a de estar constantemente recebendo e sempre repartindo! A capacidade de receber só é conservada ao se repartir (Notebook Leaflets, n. 12, p. 3,4).
14 Dois ungidos. Os ungidos que estão diante do Senhor de toda Terra mantêm a posição uma vez outorgada a Satanás como querubim cobridor. Por intermédio dos seres santos que circundam Seu trono, o Senhor mantém constante comunicação com os habitantes da Terra (VA 150.3).